Receba as notícias:

Endro, concorrente ou companheira da erva-doce no Nordeste Brasileiro?

Artigo

2006-11-15
Por Paulo Alves Wanderley(1); Maria J. Araújo Wanderley (2) e Juliana Lucas de Sousa (3) *
Paulo Alves Wanderley explica como o endro sobrevive no Brasil
Paulo Alves Wanderley explica como o endro sobrevive no Brasil

O endro também conhecido como Aneto ou Dill é uma erva aromática muito utilizada na medicina popular. De origem Asiática e pertencente à família Umbeliferae assim como a erva-doce (Foeniculum vulgare Miller), essas duas culturas convivem juntas nas regiões mais altas do Nordeste do Brasil há pelo menos 60 anos. Arbusto de porte mais baixo e de ciclo anual ao contrário da erva-doce que vive mais de dez anos produzindo bem, o endro divide com a erva-doce as mesmas áreas, mesmos insectos polinizadores e também hospeda as mesmas pragas nessa região. Com aparentes desvantagens botânicas de porte e ciclo, o endro desenvolveu estratégias surpreendentes para sobreviver e conseguir perpetuar -se diante do seu parente muito mais imponente, a erva-doce.

* 1. Professor da Universidade Federal da Paraíba - Brasil/ Departamento de Agropecuária;
2. Professora do Centro de cultura Anglo Americana/ Brasil;
3. Aluna do Curso de Bacharelato em Administração da Universidade Federal da Paraíba – Brasil

Últimas notícias

Bactéria da flora intestinal de mosquitos
pode bloquear transmissão de malária e dengue

Subvalorizar o Ébola é crime!

Pepinos do mar já podem ser produzidos em aquacultura

A Ciência na educação pré-escolar

A guerra dos espermatozóides

O Viagra protege o coração para além do quarto

Premiado dispositivo portátil
para recuperar lesões desportivas

Aí está o andarilho inteligente motorizado
com «marca» portuguesa

Ajuda de emergência para «overdoses»

Investigadores portugueses abrem novas possibilidades
no desenho de vacinas contra o cancro

Porquê eu? Muitas mulheres que vivem na pobreza
culpam os filhos e a vida amorosa

O papel dos "oásis" oceânicos nas interacções
entre organismos marinhos

Planta substituta de sal desenvolvida
em cultura in vitro por aluna da UTAD

Trabalho de investigadores da UA
cruza-se com o do Nobel da Física 2014

José Vieira da Universidade do Minho
foi eleito presidente da FEANI

Machimosaurus: o crocodilomorfo
de nove metros do Jurássico de Portugal

Investigação do IMM sobre causas e tratamento
da doença de Crohn premiada nos EUA

Jet lag prejudica funções cognitivas a curto prazo

Quando melhores descobertas ganham destaque
nas primeiras páginas dos jornais e nos telejornais

Investigadores do Porto distinguidos com prémio Grünenthal Dor

Fundação Champalimaud e governo do Rajastão
investem em clínica para o cancro

Visão sem precedentes de duzentas galáxias no Universo

Pistas para a neutralização do HIV

Homens e mulheres avaliam arte de forma diferente

Aumento do desemprego (também) pode
colocar em causa o futuro da Segurança Social

Colar os cromossomas no sítio certo

Cientista Português identifica mecanismo que evita
o suicídio celular e um potencial alvo contra o cancro

Maior painel termodinâmico do mundo é português

Jogos interactivos auxiliam vítimas de AVC

Nobel da Química premeia invenção
do microscópio fluorescente de alta resolução