Receba as notícias:

Odor das axilas pode revelar a fertilidade feminina

É a conclusão de um estudo da Universidade de praga

2006-01-16
Uma investigação publicada na edição mais recente de Ethology descobriu que os homens têm a possibilidade de usar o cheiro como um mecanismo a estabelecer quando as suas actuais ou possíveis parceiras se encontram na fase mais fértil. Membros do sexo feminino de uma série de espécies primatas apresentam o seu período fértil através de alterações comportamentais e/ou morfológicas. A opinião prevalente era de que não existiam alterações relevantes nos humanos nesse ciclo. No entanto, Jan Havlícek, antropologista da Universidade de Praga, e outros investigadores descobriram que o odor auxiliar da mulher é considerado mais atractivo na fase folicular, ou seja, na altura em que é mais provável que haja procriação.
Um dos mecanismos possíveis para avaliar a fase do ciclo menstrual é através do cheiro. Assim, os investigadores pesquisaram as alterações possíveis do odor ao longo do ciclo menstrual numa amostra de 12 mulheres com ciclos menstruais regulares que não usassem contraceptivo hormonal. Para recolher o odor corporal elas utilizaram almofadinhas nas axilas durante 24 horas, sob condições controladas (restrições de alimentação, sem desodorizante, etc.). O odor corporal foi recolhido repetidamente durante a fase do ciclo menstrual e do ciclo folicular. As amostras foram analisadas por 42 homens de acordo com a atractividade e intensidade.

O odor das mulheres foi considerado mais atractivo e menos intenso na sua fase folicular. Por outro lado, a maior intensidade e menor atractividade foram encontradas durante o período menstrual. Os resultados sugerem que o odor corporal pode ser usado pelos homens como uma pista sobre o período fértil das actuais ou possíveis parceiras sexuais.  

luciana
2008-02-28
12:04
esta é uma visao reducionista do comportamento dos homens quanto às suas escolhas sexuais.
soraia pereira
2008-08-21
04:52
e se a mulher e pouco asseada? ese ela sempre fede, como que engravida? isso não faz sentido.
Alícia
2009-09-30
03:24
Em resposta a Soraia Pereira, tem mulheres que tem a predisposição genético do odor nas axilas, se vc não tem e engravida, sorte sua. Isso não significa que feder é vantagem pra alguém conseguir engravidar. É ignorancia sua dizer que a afirmação não faz sentido se não comprovou. Eles não querem dizer que todas as mulheres tem de apresentar mau cheiro no período fértil, mas que a alteração deste odor em algumas pode ajudar a identificá-lo.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Investigação sobre Cancro, AVC e descontaminação da água
por medicamentos distingue jovens investigadoras

UTAD investiga valor nutricional do leite de golfinhos

Terapia amiga do ambiente descontamina
águas das pisciculturas

Portas abertas para novos tratamentos
para a artrite reumatóide

Gosta de merujes? Vão aparecer na sua mesa!

Estudantes de medicina apostam
na formação científica e humana

Investigadora da Universidade de Coimbra premiada
pela Sociedade Portuguesa de Doenças Metabólicas

UC estuda o impacto do novo metro igeiro de Macau

Hepatite C: nova realidade, novos horizontes

Saúde do cérebro e do coração começa na boca

Descoberto o responsável pelo surgimento
de problemas de memória

UA combate contrafacção com códigos DNA para marcas

Investigadores belgas e franceses medem
a temperatura do coração das estrelas

Estudante da UA imprime circuitos electrónicos em papel

Je suis Charlie

Investigações sobre cromossomas e doença de Huntington
premiadas hoje pela FLAD

Investigadora da UTAD distinguida na Galiza
com Prémio “Vicente Risco”

Compostos descobertos na casca do eucalipto
já têm método de extracção

Em 2015 continuo a supor que poderíamos ter pedido baunilha…

Investigadores de Coimbra querem melhorar
prognóstico do transplante de fígado

Curador do primeiro planetário da América
vai ser português

Humilhação dos 7-1 leva o Brasil
a olhar para a ciência

Carlos Ribeiro eleito para o primeiro grupo
dos FENS-Kavli Scholars

Rotundas virtuais vão projectar rotundas reais
seguras e amigas do ambiente

Dê azeite ao seu coração

Dois jovens cientistas portugueses
entre oito distinguidos pela EMBO

Neste Ano Novo dê o seu apoio ao Ciência Hoje

Efeitos da cafeína diferem com ou sem açúcar?

António Fernandes da Fonseca deixou a “sua marca”
na passagem pelo Mundo!

É possível estudar «cientificamente» os enchidos?
Universidades de Lisboa, Évora e Trás-os-Montes e Alto Douro fizeram investigação