Receba as notícias:

A agressividade no transtorno de défice de atenção e hiperactividade (TDAH)

2006-03-17
Por Por Lucinete de Freitas Messina
As crianças com TDAH apresentam, frequentemente, comportamentos inadequados, maior dificuldade para aceitar limites, necessidade de obter recompensas de forma imediata ou em menor frequência; mas é de maior gravidade o transtorno opositor e desafiante (negar a obedecer e desafiar constantemente as figuras de autoridade). Esses aspectos podem levar, mais adiante, a um transtorno grave de conduta.

A coexistência de ambos os quadros (TDAH e Opositor Desafiante) é muito frequente e considera-se que, provavelmente, a impulsividade é o factor que favorece a união dos dois transtornos. As crianças predominantemente desatentas não demonstram este tipo de conduta; portanto, um factor associado de maior risco de comportamento agressivo irá apresentar no subtipo predominantemente hiperactivo impulsivo ou no subtipo combinado (tipos de classificação do TDAH segundo o DSM-IV).

*   Psicóloga pela Florida International University USA. Mestre em Psicologia e Neurocientista do Comportamento da Instituto de Psicologia da USP e Pesquisadora executante do Departamento de Psiquiatria Infantil do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina e Psicologia da USP Master em Neuropsicologia da Saúde Mental e Demência pela Faculdade de Leon na Espanha. Doutoranda da Departamento de Neurociências e Comportamento da Instituto de Psicologia da USP

Nestes casos, a impulsividade impede que a criança analise a situação conflitante na qual se encontra utilizando os mediadores racionais ou cognitivos, e que não tente formular as regras de comportamento que o ajudaram a se controlar nessa situação.

Paralelamente ao deficit nas habilidades de mediação verbal ou auto-instruções em muitos dessas crianças, existe um déficit na aprendizagem das habilidades sociais adequadas para enfrentar as relações interpessoais com respostas não agressivas.

Por último, cabe associar ou relacionar o comportamento agressivo da criança TDAH com uma frágil auto-estima; paradoxalmente ao que pode parecer uma atitude arrogante. Atrás desta, subentende-se uma opinião muito pobre de si mesmo, de tal forma que reflecte na sua incapacidade para aceitar o fracasso ou a crítica.

Ao chegar na adolescência, o comportamento agressivo pode intensificar-se. As mudanças físicas e emocionais que poderá enfrentar qualquer criança nesta idade, podem significar uma atenuante (grave) de complicação que desenvolve em graves crises para o adolescente com TDAH no seu ambiente.

A detecção e intervenção precoce são aspectos especialmente importantes em casos de crianças com hiperactividade que apresentem oposição e conduta desafiante e determinante na evolução de ambos os quadros.

O tratamento deve contemplar a intervenção psicológica (tratamento Cognitivo Comportamental) e neuropediátrica, isso envolverá a família, a escola e, principalmente, a criança no processo.

Definição da Agressividade na Infância

A agressividade em psicopatologia  definimos  como:

a) “conduta intencionalmente dirigida a provocar lesão ou destruição de um objetivo (pessoal, animal ou objeto)”;

b) agressões físicas ou verbais contra os demais (ameaça, empurrões, dirigir-se aos demais com insultos ou gritos);

c) agressões contra objetos (quebra ou jogar objetos ao chão, dar pontapés);

d) e auto-agressão (bate a cabeça, arranhar-se, fazer pequenos cortes em si mesmo).

Todas estas definições podem formar una possível classificação de comportamento agressivo.

Atualmente e seguindo a classificação estatísticas dos transtornos mentais da academia americana de psiquiatria (DSM-IV, 2000), este comportamento não se considera por si mesmo uma entidade patológica, mas a parte de um conjunto de sintomas de numerosos transtornos tais como o transtorno anti-social, a esquizofrenia, o autismo, o atraso mental e o transtorno do déficit de atenção e hiperactividade.

As Causas da Agressividade.

As diversas teorias que tentam explicar a agressividade dividem-se, fundamentalmente, em ativas e reativas. As ativas ou teorias biológicas, subentende-se a origem interna da agressão, são entendidas como inatas e consistentes à espécie humana. As reativas explicam os mecanismos ambientais que facilitam e mantêm o comportamento agressivo, destacando entre elas a teoria da aprendizagem  social.

Desse ponto de vista da teoria da aprendizagem social, o comportamento agressivo se dá ante uma situação de conflito que provoca um sentimento de frustração na criança. O tipo de reacção que terá a criança dependerá de como saiba reagir diante dessa situação conflitante. É dizer que dependerá de sua experiência prévia.

Os processos pelos quais tenha aprendido a comportar-se de maneira agressiva são a modelagem e o reforço (basicamente a observação por parte da criança de modelos que respondam agressivamente às situações conflitantes). Esses processos actuaram, por sua vez, como mecanismos de manutenção desses comportamentos.

Predição de Violência

Profissionais de saúde mental geralmente dizem que a violência não pode ser predita e a maioria insiste que a lei não deve pedir-lhes que façam tais profecias ao sentenciar criminosos. Eventos incomuns são difíceis de prever de forma exata e o comportamento de um paciente numa clínica ou hospital pode ser evidência insatisfatória para outros ambientes e situações, como as brigas domésticas. As predições a curto prazo podem ser mais precisas e as atuais pesquisas podem melhorá-las.

Drogas e Psicoterapia

Drogas e psicoterapia são usadas na prevenção a longo prazo e na conduta violenta. As drogas mais úteis são os neurolépticos (antipsicóticos), ansiolíticos, lítio, antidepressivos e betabloqueadores. Estas drogas atuam em sistemas de neurotransmissores usando ácido gama-aminobutírico (GABA), noradrenalina (NA) ou serotonina (5-hidroxitriptamina ou 5-HT) e também atuam nos sistemas nervosos periférico e central, reduzindo a ansiedade por supressão da emergência normal da resposta de luta ou fuga do corpo. Impede o comportamento agressivo em pacientes com transtornos cerebrais orgânicos e transtornos explosivos intermitentes.

Psicoterapia de vários tipos é usada no tratamento a longo prazo de pacientes violentos, dentro e fora dos hospitais. As drogas geralmente são suplementadas por psicoterapia de suporte oferecendo tranqüilização, incentivo e aconselhamento. Terapias de grupo e familiar são úteis em parte porque ocorre tanta violência dentro das famílias e em parte porque os pacientes em grupos discutirão questões que, de outra forma, evitariam. São confrontados por pessoas com problemas semelhantes e colocados numa posição de ajudá-las enquanto se ajudam.

O tratamento comportamental e cognitivo de pacientes agressivos visa à substituição sistemática de padrões de pensamento e comportamento potencialmente violentos por outros mais adaptativos. Os behavioristas, por exemplo, pensam na personalidade paranóica, limítrofe e anti-social como padrões de comportamento mal adaptados e rígidos. Modelos cognitivos sanam deficiências em explicações comportamentais simples de violência, levando em consideração expectativas, atribuições, interpretações, objetivos e motivações.

Essa psicoterapia é útil principalmente quando a violência resulta de um transtorno da personalidade ou de controle dos impulsos.

Ao tratar pacientes violentos, os terapeutas podem evitar. Uma reação autoritária ou punitiva, porém, é igualmente má. Violência costuma decorrer de sentimentos avassaladores de impotência e humilhação; uma resposta punitiva somente eleva a sensação de impotência e, portanto, aumenta a probabilidade de agressividade.

Mudança dos Padrões Violentos

A mudança de padrões violentos pode ser obtida diretamente por recompensas manipuladoras e estímulos ambientais ou indiretamente por alternativas de ensino. Os métodos diretos incluem punição, correção excessiva (apologias, reparações), conduta de contingência (contratos comportamentais com penas por quebra) e técnicas de autocontrole. As respostas alternativas são desenvolvidas principalmente através do treinamento de habilidades sociais e resolução de problemas. Outros métodos são limitar a exposição dos pacientes a modelos de comportamento agressivo, tornando-os menos sensíveis à provocação e ensiná-los a usar sugestão e auto-instrução para orientar suas ações. Especialmente no caso de transtornos de personalidade, a terapia do comportamento e cognitiva pode ser efetiva tanto num ambiente controlado, mas os resultados devem ser transferido para os ambientes cotidianos.

Os pacientes que tenham adquirido o hábito de agressividade acham difícil fantasiar, planejar ou antecipar conseqüências. Devem aprender a imaginar respostas alternativas as sugestões que sempre tenham evocado agressividade. Pede-se a eles que registrem situações nas quais ocorra violência e observem as recompensas temporárias: respeito intimidado, alívio de responsabilidade, ganho material e assim por diante. As más conseqüências específicas são então destacadas. Depois de aprender a perceber eventos diferentemente, os pacientes podem ser ensinados sobre outros modos de obter seus fins através do treinamento das habilidades sociais, que usa métodos tais como modelos, narrativas, elogios e feedback corretivo. O tratamento em grupo é especialmente útil por ser menos caro que a terapia individual e porque outros membros do grupo podem servir de modelo, parceiros e fornecedores de recompensas.

No treinamento das habilidades de resolução de problemas, os pacientes são ensinados a ver o ponto de vista de outras pessoas, antecipar suas reações e compreender as conseqüências de suas próprias ações. Nas famílias em que as crianças têm transtornos de conduta, poderá ser útil o treinamento de conduta familiar. Esta é uma forma de treinamento de habilidades de resolução de problemas em que os pais são ensinados a usar disciplina consistente como substituto para aspereza inconsistente. Aprendem a dar ordens claras, negociar compromissos e usar formas leves de punição.

Kaue da Cruz Oliveira
2008-01-06
20:11
Preocupo-me com o tema principalmente por ver o meu filho de 1 ano e 1 mês de idade bater-se sucessivamente em sua própria cabeça, mostrando-se hiperativo nervoso.
Roberto
2008-06-23
16:33
Kaue, é importante prestar atenção nesta prática de seu filho, pois, muito além de uma hiperatividade, outros problemas podem estar relacionados. É importante ficar atento a outrasa práticas de seu filho, como a fala, as palavras que fala, a forma como se sustenta no corpo de quem o segura, a forma como lida com o outro e com objetos. Auto-agressão pode ser proveniente de autismo, por exemplo, e não só hiperatividade. Abraços.
Rafael
2009-05-21
20:12
O meu filho tem 6 anos, a 3 descobrimos por meio do colégio que ele tinha uma dificuldade grande de concentração, fomos procurar uma psicóloga que diagnosticou que ele tem um transtorno de atenção. Algumas vezes além de ficar "ausente" na aula ele fica muito transtornado, sendo violento com ele e com quem tentar apazigua-lo quando é contrariado, principalmente quando é negado algo que ele queira ter ou fazer. Em dezembro de 2008 fomos a um neurologista que passou o seguinte remédio Trofanil 10mg, houve uma pequena melhora na concentração mas a agressividade não, nesse mês de maio quase todo dia ele tem uma crise de violência, não sabemos a quem recorrer e que tratamento temos que fazer, precisamos de ajuda estou vendo meu filho sofrer, minha esposa esta desesperada como eu. Ficamos no Rio de Janeiro capital, se alguém tiver uma informação que possa nos ajudar eu fico muito grato.
Célio Je.
2009-09-01
01:56
Boa Noite!.
Eu e meu filho apresentamos quadros de violencia desmedida.
Eu, nao tenho auto-controle suficiente para pensar antes de agir quando sou "afrontado" mais intensamente.
Meu relacionamento, por sua vez, no final, se tornou bastante conturbado, por esta minha atitude errônea.
Na época culpei a terceiros, mas hoje vejo que o erro está em mim.
Quero informações sobre como me tratar e ajudar a "curar" meu filho dessa doença que eu mesmo transmiti à ele com meus atos impensados. Não sei se o caminho comeca por aqui mas jah reconheco minha doenca e incapacidade de me curar sozinho. Aguardo respostas, mais pelo meu filho que nao seguirá este caminho, como também minha familia que será recompensado com paz e armonia.
Abraço a todos.
Célio Jr.

Obs: Agradeço se a resposta for postada no e-mail. pois este é mais visitado por mim.
carmen
2009-09-10
16:49
Depois de tudo o que li, fiquei com a certeza do que já desconfiava... o meu filho de 8 anos é hiperativo. Agradeço indicação de 1 bom especialista em Évora(Portugal), com alguma urgência, pois está a começar mais 1 terrível ano lectivo (para todos).
margarida gomes
2009-10-09
15:09
tenho um filho com 12 anos estremamente agressivo desde pequeno seguido por pedopsiquiatra e medicadocom ritalina la 30 mg risperdal e actualmente com diplexil, ja mudou de escola mas tende afazer e a criar atritos com todos os colegas pois não sabe sociabilizar, o irmao com menos 2 anos e acompanhado por comportamento de oposiçao mas torna-se mais moldavel, ja li procuro, mas eu propia estou esgotada e por vezes o mais dificil para mim e comtrolar o comportamento com os dois que me tiram do serio, irritando-me muito sobretudo o olhar dos demais e a maneira como lhes apontam os dedos e sobretudo o comentario mais usal mal educados nao lhes sabem dar educação em casa.Pergunto se existe algum livro que possa ler?
Ana Paula
2009-10-10
18:49
Tenho um filho com 10 anos, desde pequeno por vezes muito meigo, mas quando o contrario, principalmente quando mando fazer as coisas da escola, não gosta de estudar já ficou retido na 3ºano, neste momento está no 5º ano, grita e fica agressivo manda tudo para o chão , está a ser seguida por uma neurologista de comportamento toma ritalina la 20 mg .Não veijo melhoras nenhumas.
pergunto onde devo ir ou fazer ?
OBRIGADA
CLAUDIA
2009-10-31
01:10
meu filho de 3 anos e 9 meses é hiperativo, de um grau bem acentuado, agora está se tornando agressivo, isso é sintoma de hiperatividade tbem? devo procurar um psiquiatra?
Patricia Campelo
2009-11-28
23:41
Olá, nós professores temos muita dificuldade em lidar com defictis apresentados por crianças na sala de aula. Ficamos sem saber como ajudá-las. Materiais como esses são muito importantes para nosso dia-a-dia.
Patrícia
2009-12-02
19:07
Meu namorado sofre crises assustadoras de agressividade quando fica irritado. Lendo este artigo eu gostaria de ter algumas informações a respeito do hiperativismo relacionado com a agressividade, porém, na vida adulta, tendo em vista que ele foi uma criança hiperativa e não obteve o tratamento adequado. Quero saber se existe tratamento e como devo proceder para ajudá-lo, pois ele não aceita tratamento médico por se considerar uma pessoa normal.
wagner
2009-12-03
15:48
olá, meu nome é wagner e fui a 2 anos atrás diagnosticado como tdah. lendo todos estes depoimentos, sensibilizo-me pelos problemas enfrentados por todos, pois ja passei pela maioria deles e ainda passo por alguns. posso indicar excelentes profissionais especializados no assunto, que me ajudaram a melhorar minha qualidade de vida e tenho certeza que poderao ajudar boa parte das pessoas que aqui pedem ajuda. quem desejar pode me escrever por email: wagnerfosw@gmail.com
Fernanda Gleicy
2009-12-03
15:49
Eu sou babá de um menininho de quase seis anos, ele é hiperativo e agressivo, ele não é agressivo com todo mundo só com algumas pessoas. Ele gosta muito de mim e me respeita mas mesmo assim eu gostaria de ajudar ele, o q eu posso fazer? como ajuda-lo!!! Ele passa a maior parte do tempo dele comigo por isso eu quero ajuda-lo!!!
Sara e Anny
2009-12-05
01:49
Ola!CHC!
Eu e a minha amiga achamos super interessante a reportagem "A jararaca da ilha'.Gostamos muito porque nós não sabiamos que, uma jararaca pode viver por muito tempo em uma ilha.
Nós amamos a reportagem, como também amamos a CHC.
Um beijo e um abraço das suas fãs.

Sara e Anny.3ª série D, Morais Barros.Piracicaba, S.P.
Carla
2009-12-13
00:02
Boa noite. Infelizmente tambem tenho um caso na faamilia, que é a minha filha de 10 anos. Eu própria já estou adar em doida. Tenho um filho de 4 anos e nao tem nada a ver com ela.
Já consultei psicolgos e todos eles me perguntarao o que estava a li a fazer? Porque o problema dela é ser muito mimada, ter uma personalidade muito forte, etc...O problema é que ela já antes era o que era mas obedecia, mas desde que nasceu o irmao, ela na escola é boa aluna nunca chumbou e ja esta este ano no 5 ano. Mas na escola estou sempre a ser chamada pelos professores, que ela fala muito, destrai a turma, que se alevanta da cadeira para dar um caldo na cabeça dos colega, etc...( Ela tambem a verdade se diga que pode ter esta maneira de ser, mas enquanto os colegas fazem pela calada ela nao, faz logo quando tem que fazer, nao é cinica e detesta pessoas e crianças cinicas)... No recreio e na rua á porta de casa ela dasse lindamente com certas crianças mas com outras anda sempre á luta...Por exemplo ela este ano esta na mesma turma da prima, fora da escola dao-se lindamente as duas na escola andao sempre as duas a descutir e a baterem-se e a provocarem-se...É muito esquesito!?
Quando estamos as duas eu e ela, nem parece a minha filha, damos lindamente, ela porta-se bem ninguem nos ouve e ela obedece a tudo. O problema é ela com certas pessoas, quando estamos em familia, amigos ou eu ela, o pai e irmao. SeI que tambem é um pouco de ciumes se dou mais atençao ao pai ou irmao, avo etc etc. Mas ao contrario de muitos pais desde que nasceu o irmao estamos a dar mais coisas. Mas tambem ralho mais com ela e por vezes bato porque o cansaço já é mesmo muito, porque passa a vida a bater no irmao a contrarialo etc etc. Mas quando quer brinca com ele ás 1001 maravilhas. Ela queria uma irma em vez do irmao, tambem ja lhe fiz ver as coisas e nao posso engravidar para lhe fazer a vontade até vir uma irma!? Honestamente se ela nao é inperactiva nao tem nada, entao o que ela tem, ou o que lhe posso dar, para se acalmar. Valdisperte ja lhe deu e nao resultou. Em reelaçao ao ambiente familiar ela nao ve pai e mae a baterem-se, podemos descutir mas muito raro, somos uns pais que trabalhamos e vivemos para eles, somo super amigos deles, nao percebo.
Se poderem me ajudar um conselho um medicamento agradeço muito.
Porque estou cansada, muito magra e sinceramente ja nao me aguento muito mais, nao sei o que fazer, porque apesar de tudo amo esta miuda com todo o amor do mundo ela e o meu filho, e ela sabe que sou tudo para ela. Por eles sou capaz de tudo, sou mae galinha e nao queria virar uma mae monstro.
Ajudo-a em tudo por favor ajudem-me a compreender e ajudar a minha filha porque ja vao 6 anos assim, desde que o irmao nasceu.
Podem enviar os vossos conselhos para:
carla_gomes76@hotmail.com


Obrigado e Boas Festas
MARIA JOSÉ DOMINGOS BOTELHO
2010-01-05
23:31
Meu filho tem 5 anos de idade, e hiperativo, ele está muito nervoso, agressivo demais, ele faz tratamento psicologico e tambem toma remedio controlado, mas não está adiantando, ele está muito violento, quebra tudo, não sei mais como lidar com ele, ele fala em até morrer, MariaJosé Domingos Botelho de Caratinga MG
Cris
2010-01-07
23:07
Tenho um sobrinho de 1 ano e 10 meses e ele é agressivo demais,repete palavras muitas vezes,grita,bate com a cabeça ,não sei se é só agressividade...posso consultar um especialista?Qual?Ele ainda mama no peito e com isso domina totalmente a mãe (minha irmã).Não tem um pai presente ,porém é muito bem cuidado por todos nós.
Acredito que o fato de ter tido uma gravidez complicada no emocional e com uma idade de 41 anos possa permitir que ele seja tão tirano.Tenho uma filha e sei que não é fácil educar porém tenho a impressão que ele não tem limites e queria ajudar de alguma forma.
Obrigada!
Carla Santos
2010-01-10
22:58
Ola meu nome é Carla Santos, tenho um filho com 2 anos e outro com 10 anos que é bastante nervoso, acredito que a situaçao se vai agravar devido a minha separaçao. O pai, nao liga aos filho o que faz com que o mais velho se revolte contra as pessoas que estam junto dele. Ja por varias vezes agrediu o irmao, ja nao sei que fazer, ele ate ja foi ao medico mas dizem que nao é hiperactividade. Por favor alguem que me ajude que me de um conselho, sinto a minha vida a desmoronar se.
ANA
2010-01-21
17:17
olá eu tenho um filho de 4 anos ele é muito agressivo vquando contrariado , foi lhe diagnosticado epilépsia mas pensamos ter tamber hiperactivadade , ele é incapaz de terminar uma tarefa na escola e em casa também não brinca grita e ameaça todos com pontpes e chapadas quero muito ajudalo todos procuram outras explicações mas eu não quero que este priblema se arraste por muito mais tempo
David
2010-01-28
23:02
O meu filho tem 20 anos e é hiperativo desde os 6 anos, idade em que foi diagnosticado, sempre teve problemas de concentração, foi sempre muito complicado lidar com ele na escola e em casa. Foi pai aos 17 anos foi sempre muito precipitado, sempre com medo que tudo acabe, mas agora com 20 anos as coisas ainda estao piores, pois nao respeita ninguem em casa, está sempre com a mania da perseguição não o posso chamar a atenção de nada pois acha que tem razão em tudo que diz ou faz, ninguem lhe consegue tirar a razão, uma asneira atras da outra, já não sei o que faço mais para o chamar á razão, pois não dá ouvidos. Queria que fosse a um psiquiatra para fazer um tratamento, mas ele diz nem pensar, pois acha que não tem nehum problema e que nós é que não o deixamos em paz. Já não sei o que fazer mais, já pensei em deixar a casa e ir com a minha esposa e o filho dele que está à nossa guarda morar para outro lado e deixa-lo em casa sozinho para ver se ele ganhava responsabilidade. esteve empregado durante 2 anos mas por falta de respnsabilidade acabou por ser despedido, agora não quer arranjar trabalho pois não sabe o que quer e tem medo de enfrentar mais uma nova situação, por muito que eu insista ele não tem iniciativa propria, só para o que não deve.
Está muito complicado, pois já não tenho paciencia com ele, já não consigo conversar com ele pois ele desvia as conversar para onde lhe dá jeito, para coisas que não são muito importantes.
O que devo fazer, para que ele ganhe mais um pouco de responsabilidade e que dê mais ouvidos a quem lhe quer bem??
Wânia Alves de Andrade Condini
2010-03-16
17:43
16/03/2010 - Também tenho uma filha hiperativa e com transtorno de deficit de atenção. Ela é desatenta na escola e extremamente agressiva comigo e com seus colegas, no entanto, quando lhe interessa sabe ser extremamente simpática. Ela tem 15 anos e pra piorar a situação passou por uma desilusão amorosa que a marcou muito. Estou tratando dela a 02 meses com Ritalina e enquanto o remédio faz efeito ela tem um comportamento normal, no entanto, quando passa o efeito do remédio ela volta a ser agressiva e a comunicação se torna extremamente difícil. Tentei um tratamento com uma psicoterapeuta e ela diagnosticou que o problema dela é unicamente físico. Estou a beira da loucura, pois não consigo ter mais paciência com ela e o pai por ignorância, não tem a conduta que deveria ter com ela.
Marta S.
2010-03-22
02:07
O meu filho tem 18 meses e estou com muito medo que esteja com algum problema grave.. está numa fase terrível, não obedece a ninguém, grita (chega por vezes ao ponto de se deitar no chão), e, bate com a cabeça (nas paredes, cadeiras, chão...) penso que para chamar a atenção... normalmente quando isso acontece (o que tem se tornado muito regular), sabe que fez um dói-dói, porque toca na cabeça e diz, mas tem vezes que acha piada e outras que o faz no meio da birra... já não sei o que pensar. Por favor espero que alguém me dê uma resposta. Obrigada!
Elza
2010-04-28
19:01
Boa tarde!
Eu tenho um filho de 5 anos e 6 meses, ele já estuda há 3 anos, na escola nunca recebi reclamações dele pelo contrário mas em casa as coisas mudam pra muito pior.
Basta que ele seja contráriado, ele se transforma que bater, quebrar as coisas, se machucar.diz que quer morrer, ou que quer que a pessoa que contráriou ele morra e daí por diante. Nunca o criei fazendo suas vontades sempre converso com ele depois explico que o que ele fez é feio e não pode , mais a cada dia que passa ele fica menos tolerante. Gostaria muito de uma orientação.Ele precisa de alguma tratamamento?
carmen
2010-05-13
04:35
Também tenho um filho de 11 anos que trato desde os 4 anos. O tratamento começou com Ritalina e há um ano passou a tomar Rispiridona e Carbamazepina. Frequenta a 5 serie normal e noutro periodo frequenta uma escola para terapia social. Tem frequentemente crise de violência, chegando a agredir seus colegas e professores. A diretora da escola chega a ligar para o Conselho Tutelar dizendo que não dou a medicação, por isso ele tem crise. Mas meu filho é medicado duas vezes por dia (pela manhã e a noite). Não sei mais o que fazer. Frequenta psicologo, psiquiatra, terapeuta ocupacional, pedagogo.
O que mais eu posso fazer para ajudá-lo??
laide pierangelli
2010-05-27
19:25
gostei mais queria saber um pouco se quando a criança fica aduto como e o seu compotamento mesmo tomando remedio desde criança.obrigada
Rita
2010-06-01
03:43
Gostei muito da maneira como vocês abordaram este tema. Tenho um filho de 10 anos que faz uso de ritalina há um ano e meio. Há mais ou menos 08 meses começou a apresentar um comportamento desafiador principalmente em relação a mim. A médica prescreveu Risperdal, mas eu ainda não tive coragem de introduzir a medicação. Vi o depoimento de Carmem em 13-05-2010 e receio que aconteça o mesmo : o remedio também não resolva. Gostaria de ajudá-lo sem ter que utilizar novo medicamento. Existe algum livro que vocês indiquem para me ajudar a lidar melhor com o problema de meu filho, as vezes me acho muito autoritária ?
tatiane
2010-07-11
20:45
oi gostaria de saber como façpo p controlar a agressividade de um menino de nove anos que tem tdah, ele faz tratamento psicologico, mas não usa nenhum remedio. somente a terapia resolverá seu problema ou precisaria de um medicamento?
ioma
2010-07-16
21:41
Sou uma mãe com filho agressivo...
Todos nos estamos pedindo socorro.
Alguem tem que ajudar, da forma correta.
O perigo esta aumentando.
Elisabeth
2010-07-21
17:42
Tenho um filho de 5 anos que se transformou depois do nascimento da irmã há 7 meses, ele está muito agressivo, não respeita a babá, agredindo- a fisicamente. Tenho muito medo dessa agressividade sem controle com algumas pessoas o que devo fazer???
douglas
2010-07-23
22:31
ola meu nome douglas tenho 23 anos meu poblema tenho poblemas com violencia desmedida fico descontrolado acabo sempre fassendo coisas sem pensar por favor me ajude quero saber se alguma forma de controlar isso essa agresiidade !
EDNA FÁTIMA GUIMARÃES SOARES
2010-07-26
14:08
Bom dia!
Eu tenho um filho de 4 anos e 9 meses, ele já estuda dede os 2,5 anos, na escola nunca recebi reclamações dele pelo contrário mas em casa as coisas mudam pra muito pior.
Basta que ele seja contráriado, ele se transforma que bater, quebrar as coisas. diz que quer que o ladrão venha e me leva, e quando falo que vou mesmo com o ladrão embora ele diz que não vai mais charmar o ladrão . Nunca o criei fazendo suas vontades sempre converso com ele depois explico que o que ele fez é feio e não pode , mais a cada dia que passa ele fica menos tolerante. Gostaria muito de uma orientação.
simone canto de aquino
2010-08-18
19:08
ola boa tarde gostaria que alguem me ajudassem pois meu filho tem 11anos e tem problema de agressividade ele tem sindrome de danw ,em casa ele e uma criança otima mas na escola ele e muito agressivo a professora reclama dele todo dia nao sei mas o que fazer alguem pode me ajudar
Fabiana Girão
2010-08-28
22:40
Gostaria de pedir socorro, meu filho tem 10 anos e desde 1 ano foi diagnosticado como autista, com a idade avançando as crises estão se agravando muito, agora ele se autoagride,quebra as coisas em casa, fala coisas sem sentido, mente muito,fala muitos palavrões e me bate, nas últimas crises fomos parar no pinel lá ele foi medicado e liberado, mesmo assim so conseguiu dormir por pouco tempo, ele atualmente faz uso de seroquel 50 mg, tofranil, risperidona, não sei mais o que fazer estou perdendo o controle da situação, peço ajuda pois vejo que meu filho sofre muito.
Fabiana Tierno Devisati
2010-09-01
03:38
Identifiquei muitos dos problemas que tenho com o meu filho de 5 anos, principalmente com o depoimento de Elza, 28-04-2010, como posso ter as respostas dos profissionais. Ele faz terapia desde fevereiro, mas a impressão que eu tenho é que está cada vez pior.
Fabiana
michele
2010-09-07
22:30
tenho um filho de 5 anos naõ tenho reclamação dele na escola mas em casa ele se transforma qd contrariado fica agressivo quer quebrar tudo bate a cabeça na parede estou desesperada que médico devo levar?
Mariana
2010-09-12
05:37
Olá,

Tenho um filho de 2 anos e 2 meses.
Ele bate na cabeça com as mãos quando é contrariado. Não sei como agir. Já tentei ignorar, falar que não pode, dar carinho...ele se mostra muito agressivo e não para quieto. Como devo agir?
Camila
2010-09-17
01:58
Sou professora auxiliar de um aluno de 10 anos que tem TOD. Ele é bem difícel todo o tempo, consigo mantê-lo fora da crise por alguns dias, mas uma vêz por semana, no mínimo, ele tem esse surto. É extremamente desgastante para todos, pois ele grita, chama a professora, diretora, orientadora e eu de palavras de baixíssimo calão, agride-nos violentamente, faz ameaças do tipo: Vou mandar meu pai te sequestrar e te estuprar, te matar etc. Diz que o sonho dele é fazer 18 anos para comprar uma arma e vir à escola matar todos seus colegas, todos os professores e depois matar a propria mãe. E que depois disso ele vai ficar feliz. Ele vive só com a mãe que faz tudo que pode, o leva a psiquiatra ( ele toma 2 comp de risperidona por dia) mas diz q não sabe o que fazer. O pai vive em outro estado (RS) e não se interessa pela vida do filho.
Apesar de tudo os colegas gostam dele ( ou o temem, ainda não tenho certeza ).
Eu também luto muito por ele na escola, junto a mãe tb, mas não estou tendo nenhum sucesso. Ele sabe ser muito agradável e é muito carinhoso e bajulador qdo está bem. Estou quase desistindo dele. Gostaria de saber como agir nesses momentos de crise, já que acabo me sentindo muito impotente e triste. Desde já agradeço a atenção dispensada.
Regina Nunes
2010-11-11
19:30
Meu filho de 9 anos tem problemas para acitar ordens que não seja minha ou do meu marido. Ele está muito violento e desrespeitoso com colegas, professores e funcionários da escola, os Pais de alunos que ele agrediu entraram com um pedido de expulsão na escola. O que eu posso fazer para melhorar isso?
Nágila Pessoa
2010-11-30
12:44
O meu problema é o mesmo de Regina Nunes! o que faço!!
Já não aguento mais tantos problemas de escola, e as pessoas me olharem com crítica!!! Porque se eu pudesse mudar a situação, eu mudaria, mas tem coisas que fogem ao meu controle! Bom dia!!! nagila.pessoa@bol.com.br
Elizabeth Cistina
2011-02-23
18:40
tenho um filho de 10 anos e ele tem comportamento de criança de 5 anos ele da muito trabalho na escola briga com os colegas da sala não presta atençao na aula o professor diz pra mim que não aguenta mais ele e ele sempre me responde com agressividade já procurei um psicologo para ele mas não resolveu e eu não sei como lidar com ele a diretora da escola disse pra mim que se ele continuar assim vai transferir ele para outra escola eu não sei o que fazer essa já é a quarta escola que eu já o colo quei preciso de uma horientação ou um acompanhamento psicologico me ajuda.....
patricia lopes araujo
2011-03-23
16:53
Lendo esses depoimentos sei que meu filho nao é o unico e compreendo todo o sofrimento, estou passando por isso com meu filho kevyn de 7 anos acompanho o problema dele ja tem 6 anos ele é agressivo,iperativo e tem tarnstorno de coduta mas é minha vida, ele faz tratamento e toma respiridona mais nã0 esta adiantando, ja mudei de casa e de escola porque as pessoas nã0 aceitam ele, também me separei do pai dele um relacionamento que durou 7 anos, e me casei denovo meu atual marido me ajuda muito e aceita o meu filho mais esta muito dificil, nao sei mais oque fazer preciso de ajuda ou pelo menos uma palavra de conforto porque estou esgotada. obrigada precisava desabafar...
CAMILA LIMA
2011-04-06
02:03
boa noite tenho uma sobrinha adotiva, de 1 ano e 8meses, ela nasceu prematura de 6 meses, e todos nós a amamos so que ela não para de bater a cabeça nas coisas e de bater, iso acontece mais quando ela é contrariada qual o especialista que devemos procurar urgente , porque não queremos que ela sofra ..
ATT
ana
2011-06-09
22:30
oi, tenho o meu filho de 3 anos e 9 meses ,estou tendo muitos problemas com ele na escola.
A professora reclama q ele briga, não fica quieto não sei fazer?
Em casa ele é um pouco mas calmo , mas ´porém muito teimoso.
POr ele ter q fazer novamente o mesmo ano pq fazer
aniversario em agosto no fim ,teve q ficar na turma de 3 mas ja vai fazer 4.
Será q isso possa , está pesando , talvez a professora possa estar cobrando demais, o q será meu deus
Zelia Meireles
2011-07-26
23:19
Ola boa noite... tenho um filho com 8 anos que está com desenvolvimento atraso grave não fala . não come sozinho e só grita . não posso ir com ele para ambientes muito movimentados que começa logo aos gritos e as pessoas começam olhar logo para nos , eu fici bastante comtrangida. agora anda numa face que esta sempre nas refeicoes á mordiscar nos as pernas os braços , eu mando lhe paarar ele ainda faz pior ja não sei como lidar com esta situação esta ficar difÌcil... faz uma medicação para o acalmar nas nem assim está ajudar.
Ele tem de usar um capacete porque se não está sempre dar com a cabeça nas paredes nos moveis em tudo que lhe aparecer à frente. estes comportamentos dele ja são desde os 2 anos mas agora esta ficar muito pior estou muito preocupada ,gostava se soubesse de algum medico que me informaçe obrigado
Gevania
2011-08-15
18:58
Meu namorado tem este transtorno mais nunca toquei no assunto com ele .
Temos uma amigo de 16 anos que tem o transtorno ele e muito proximo do meu namorado .
As vezes jogo uma indireta dizendo que ele parece ter 10 anos ao inves 33 mais ele da risada .
O que faço será que pessoas assim são agressivas posso casar com uma pessoa assim ?
Ele ja foi casado e tem ate uma filha 9 anos .
Se eu tiver filhos com ele ,meus filhos podem ter o problema?
O que faço gosto muito dele?
Maria
2011-08-19
06:17
Como todos acima tenho problemas em casa, meu filho hoje com 21 anos desde criança foi agressivo,eu as vezes me culpo pois sempre fui uma pessoa nervosa, mas nao agressiva.
Se as coisas nao correm da maneira que ele quer é um motivo para disparar palavras agressivas e quebrar o que estiver na sua frente.Nao consegue levar adiante o que começa, mas ao mesmo tempo è doce e educado, todos gostam dele e o elogiam, è inteligente mas nao aproveita a inteligencia que tem, eu me sinto impotente por nao poder ajuda lo,ele proprio disse que precisa de ajuda para se controlar, mas o que fazer? Qual tratamento è melhor para o caso dele? Tenho receio pois ja vi pessoas que eram como ele e hoje com tratamento parecem apaticas e tristes.
Existe um tratamento especifico para "tipos diferentes de agressividade"?
Obrigada
Lindecy Pereira de Araújo Duarte
2011-09-17
01:41
Tenho um filho 6 anos que apresenta dificuldade na comunicação e na interação com adultos,desde os três anos de idade que já levamos para vários especialistas até agora a neuro pediatra não fechou o diagnóstico diz que ele tem um distúbio de comportamento.Tenho estudadodo bastante sobre autismo,síndrome de aspergen,e TDAH, incrível como os sintomas são parecidos.Indico a leitura do livro MENTES INQUIETAS de Ana Beatriz Barbosa Silva e um saite SON RISE há muitas dicas boas para os pais que estão nesta angústias vale ressaltar que nestes anos de árdua luta,entre progressos e regressos concluie que os melhores terapêutas são os pais;o ambiente familiar da criança é que irá melhor desenvolvê-lo.Não desanimemos.CORAGEM,DISPOSIÇÃO para corrermos atrás e entrarmos no mundo deles o quanto antes para estabilisar e contribuir para o seu melhor desenvolvimento.
Isa
2012-03-09
00:40
Ola sou muito agressiva e sensiva quando me irrito agrido as pessoas proxima e eu propria já não aguento mais essa situação ja tomo remedio faço terapia infelismente foi muito mimada vejo tanta ''babançao'' com outras criança fico com pavo medo de ter filhos e fica como eu quero superar isso acredito que vo superar a minha psicolaga fala que to desenvolvendo mais queria mais formas deu supera isso mas porque não aguento olha pra mim e ver uma marca que eu fiz isso me deixa ruim que ve que nao aguentei me maxuquei sei quem sofre que sabe quero superar demais isso pois quero busca minhas coisas sonha com futuro bom vence meus sonhos agradesço muito se poderem me ajuda mesmo não conseguido fica meu desabafo obrigada (:

A vitória so vem quando acreditamos na vitória. E que eu creio
luciana
2012-03-12
12:57
Olá, sou professora do ensino infantil, e estou com uma criança que apresenta graves sinais de agressividade, nçao aceita ordem e nem limites, além de destruir seus próprios objetos constantemente de uma forma muito violenta, sua familia nao tem estrutura fisica, psicologicae nem emocional para lidar com o caso. como devo prosseguir?
egizelda
2012-03-17
23:42
tenho um filho de 5 anos que tem o mesmo problema,nao consegue ficar quieto,so quando assiste algum desenho que goste,ele esta na creche e tenho muita reclamaçao dele,alem de nao prestar atençao ele nao deixa seus colegas prestarem,interfere na conversa entre eu e meu marido fala alto,roi unha e come as pontas do dedo,ele e muito amoroso e inteligente,mas nao e obediente abre e fecha a geladeira toda hora joga os brinquedos no chao,estraga a maiorias deles,fico muito triste por ele ser regeitado por crianças e ate adultos por esta impulsividade que tem.ele nao e agressivo mas tem brincadeiras que irrita as crianças.ele esta tomando tofranil 10mg a 7 dias,gostaria de saber se este medicamento ajuda na sua melhora
wallzinha
2012-04-24
03:27
olá boa noite,,, fiz uma busca na internet e deparei com essa matéria, achei que tem a ver com o que está acontecendo com meu filho!
Estou me sentindo tão perdida pois meu filho fez 2 anos e 2 meses... sempre muito esperto mostra se inteligentissímo mas á algum tempo vejo que el se bate!!! Fico chocada com isso!!! já fiz de tudo,,, conversei com ele, fiquei brava,dei até palmadas no desespero de faze-ló parar mais ele leva na brincadeira. se bate de machucar,,, dá soco em sua própria cabeça , bate a cabeça na parede, no chão, em quinas de móveis! sinceramente eu nunca ví isso. já ví criança fazer isso porque está com raiva mais do nada assim, nunca! Estou muito preocupada... se puder me dizer algo eu agradeço.
obrigada
Marisete Weber
2012-04-24
19:58
Boa tarde. Minha filha tem 9 anos, e tem sindrome cornelia de longe, leve. Ela tem problemas de concentração e agressividade. Ela é muito inteligente, mas quando nao consegue fazer algo na escola, ela começa a agredir os colegas, a rasgar os trabalhos deles. A sindrome nao tem tratamento, mas as consequencias devem ter. Gostaria de entrar em contato com mais pais que tenham esse problema.
Obrigada pelo espaço.
Silesia Cardoso Pinto
2012-04-30
02:04
Meu filho tem 8 anos e a 2 anos toma Ritalina,20ml,se não toma,não consegue fazer nada,nos finais de semana e feriados eu não dava,mas ele tem ficado violento e agressivo,diz palavrões chuta tudo,estou preocupada,gostaria de uma medicação mais leve que ele pude tomar todos os dias.Aguardo uma resposta.ele vai a um neuro pediatra,talvez o melhor fosse um psiquiatra talvez.
Obrigada.
leudimar p. de souza
2012-05-14
21:32
Meu filho foi diagnosticado como imperativo,disturbio de comportamento e disatençao.Nao consegue se concentrar na escola ,briga o tempo todo bate nos colegas, rasga as tarefas é sempre uma confusao ele so se concentra um poquinho quando toma a RITALINA mesmo assim é muito agressivo tanto na escola quanto em casa e não sei mais o que fazer. ele faz acompanhamento com um psiquiatra ,mas eu estou precisando de mais ajuda pois na escola dele ha muita rejeição.
mari
2012-08-17
03:52
Lendo estes comentários percebo que não estou sozinha nessa caminhada em busca de alternativas para ajudar minha filha a ser feliz. Uma menina linda, inteligente, mas que também agride, se contrariada. Gostaria de mais informaçoes.
martha
2012-09-03
05:10
Meu filho amado e muiito desejado, ele esta com 6 anos esta na primeira serie porem a professora dele reclama muito dele que ele e agressivo bate nos colegas eu fiko muito triste porque algumas mães aponta ele na rua o que eu faço meu filho e minha vida me doe tudo que familiares diz que não damos educação para ele eu estou cortando o que ele gosta.
Que Deus possa abençoar tds que estão passando por isso e abençoe nossos filhos livrando dos olhos ruins dos outros.
Luciane
2012-09-03
17:15
Meu filho tem 7 anos é Hiperativo e opositor desafiador, faço tratamento com neuropediatra (faz uso de ritalina 20mg + risperidona), psicoterapia, mas ele é muito agressivo, gostaria de saber se a Equoterapia poderia ajudar nesse caso? Estou desesperada.
Renata Santos
2012-09-11
13:19
Meu filho tem 6 anos,ja passa com o psiquiatra ele toma o Ritalina,so que persabemos que não ta fazendo mais efeito, pois ele estar muito agressivo com as outras crianças .toddos os dias tenho reclamações dele que machucou os coleguinhas.Alguem me ajude que não sei mas como agir.socorro.......
patricia
2012-11-29
01:12
tenho um problema bem parecido com os que li acima meu ex namorado tem surtos e fica muito agressivo se bate bate a cabeça na parede ofende com palavras horriveis oque tiver na frente quebra ja quebrou porta guarda-roupa celular isso dura minutos depois passa chora muito e fica normal como se nada tivesse acontecido ele é uma pessoa maravilhosa carinhoso um doce de pessoa so que essas crises nao aguentei ele pede pra voltar mas nao sei oque fazer gostaria de saber qual medico devo procurar e se isso tem cura porque isso me abala muito ver ele se batendo por favor de puder me ajudar
kassiana
2012-12-31
18:52
Oi! minha filha de 8 anos tem DTAH,já passou por 3 escolas,repetiu o ano esse ano e já passou por 3 psicólogos,tomou remédio e nada aconteceu,continua com o mesmo comportamento,gostaria de saber oq pode acontecer com ela na face adulta?Ela pode ficar louca?pois estou preocupada se esse comportamento dura p sempre,se melhora ou não.
MIRIAN
2013-01-24
11:06
OI MEU BEBE VAI FAZER 1 ANINHO DIA 02/02/2013 SEMPRE QUANDO ELE QUER ALGO E NÃO DOU PORQUE PODE MACHUCAR OU QUEBRAR ELE CHORA MUITO SENTIDO FICA NERVOSO QUE CHEGA ATE SE ESTICAR FICANDO COM PELE VERMELHINHA E BATE COM A MAOZINHA EM SUA CABEÇA E PUXA O CABELO OU DA MORDIDINHAS.EU SOU UMA MAE CORUJA BEIJO ELE EM TODO TEMPO O PAI TAMBPEM ATE TOMANDO BANHO ELE GANHA BEIJINHOS TODA HORA,EU TRABALHO O DIA TODO E O PAI TAMBÉM,E ELE FICA COM A AVÓ QUE CUIDA COMO SE FOSSE O PROPRIO FILHO DELA MUITO BEM,ELE FICA EM UM AMBIENTE TRANQUILO MAS COM PESSOAS QUE FUMA CIGARRO ALÉM DA CONTA,SO QUE A AVO FALA ALTO E AS VEZES GRITA PERTO DELE, COM ALGUEM QUE ESTA NA CASA,MAS EM RELAÇÃO AO BEBE O QUE PODE ESTAR ACONTECENDO?TIVE UMA GRAVIDEZ TRANQUILA MARAVILHOSA ATE SEM ENJOO ALGUM,NUNCA FUMEI E NEM BEBI.

UM ABRAÇO
ESPERO RESPOSTA
Leida
2013-02-02
23:07
Ola, minha filha de 3 anos e meio está muito agitada, nervosa, gritando, respondendo mal, fazendo caretas, chirando quando contrariada, pede pra dormir na casa da minha irmã, quando chega lá, brinca, ri, mas na hora de dormir diz quero a minha mãe e isso tudo depois que a irmãnzinha nasceu, e está com 1 mês de vida... Não sei o que fazer com tanta agressividade, não quer tomar banho, reclama muito, diz grocerias com as pessoas, diz até que não gosta das pessoas e que elas são feias... E eu passo vergonha... O que fazer, procurar um paicólogo ou esperar com paciência que essa fase passa! E se passar essa faze com quanto tempo?
Muito agradecida ficarei se vocês me responderem.
Sou do Brasil.
margarida reis
2013-02-11
20:23
boa noite o meu nome é margarida e tenho uma filha com 10 anos do 1 casamento e um menino com 3 do 2 casamento , acontece que nao aguento a agressividade da minha filha , insulta-me a mim e ao meu marido é extremamente malcriada e adora ver-me em baixo ja nao aguento ela grita berra como seu eu lhe estivesse a bater e depois como hoje que foi um dia terrivel fez-me passar um inferno eu bati-lhe e ela foi dormir ao pai estou desolada não sei o que fazer ja fui a psicologos e a uma pedopsiquiatra e nÃO SEI nada muda , na escola não é mt boa aluna mas a nivel de comportamento é um anjo.
o meu ex marido diz que eu sou a má da fita pq ela lá em casa dele porta-se bem .
alguem me ajuda? serei má mae?
Marinete E. Alves
2013-02-13
14:25
Tenho um filho de 13 anos, muito inteligente, só que é muito agressivo, chegando a me agredir, depois chora pedi desculpas, ajoelha e começa a chorar pedindo para ser ajudado, não sei o que fazer pois já o levei em dois psicólogos e nada resolve. Ele relata que quando é contrariado ou iritado, ele perde o controle e agride não só a mim como também a sua irmã, que por sua vez o provoca, ele não sabeexplicar mas sente uma coisa muito estranha em sua cabeça junto com a vontade de até matar.
Sei que ele foi uma criança mimada e não gosta de ouvir um "não", ele também é ansioso aos extremos e chora muito. Sei que ele confia em mim e sabe o quanto o amo, seu relacionamento com seu pai não é bom. Por favor me ajude!!
dulcineia fernandes
2013-03-07
18:58
meu filho esta muito agitado no cologio nao si consentra na aula.ele tem 4anos em casa ele so fica nervoso se diz a palavra nao
paula
2013-03-19
16:10
Oi estou aqui pq estou desesperada tenho uma sobrinha de 14 anos e ultimamente ela vem com uns comportamento estranho muito agressiva não se pode falar nada com ela que ela se altera aumenta a voz se bate se arranha diz que não precisa de ninguém ou que não vai estudar e isso repete por varias vezes a mesma palavra exemplo não vou estudar,não vou estudar, não vou estudar,não vou estudar com o olho fixo sem piscar e assim por diante estou ficando preocupada.
Alana Camilla Gomes
2013-03-22
02:56
Olá,sou professora com especialização em Ed. Especial, atualmente estou trabalhando como professora AP.(atendente permanente)de Ed. Especial, numa escola de ensino regular e, acompanho um aluno de 7 anos com característica de TDAH. A psiquiatra que o atende diagnosticou, Transtorno de comportamento e Transtorno de ansiedade e Defice de Atenção. Na escola não gosta de seguir regras de sala de aula. Resiste em registrar os conteúdos,em realizar as atividades propostas em sala de aula. Só se interessa por jogos e brincadeiras. E na maioria das vezes que é contrariado, reage com agressões e insultos.
Agride com frequência a professora da sala que lhe impõe regras.Não tenho experiência com esse tipo de transtorno, mas estou muito interessada em ajuda-lo, e a saber como lidar com esses comportamentos inadequados. Gostaria da dica de um especialista deste transtorno, ou alguém que já passou pela mesma situação. Obrigada.
LUCIANE
2013-03-26
10:23
BOM DIA!, TENHO UM FILHO DE 5 ANOS ELE ESTA MUITO AGRESSIVO NO COLEGIO QUANDO CONTRARIADO QUER BATER NOS AMIGOS RASGA OS CADERNOS DOS AMIGOS...GRITA MUITO QUAZE TODOS OS DIAS TENHO DE IR AO COLEGIO PARA ASSINAR UM PAPEL Q A DIRETORA MANDA PQ ELE FICOU AGRESSIVO....NAO ESTOU MAIS COM FORÇAS PRA ESSA SITUAÇÃO..NAO AGUENTO MAIS, ELE É ACOMPANHADO POR PISCOLOGA DESDE OS 2 ANOS ...ELE VAI PRA FONODIOLOGA POIS TEM ATRASSO DE FALA....LEVEI ELE NO NEURO ELE DISSE Q MEU FILHO NAO TEM NADA MAIS PASSOU UM REMEDIO CHAMADO PASSIFLORINE, MAIS NAO ESTA ADIANTANDO NADA...VOU VOLTAR AO NEURO...., MAIS EU GOSTARIA DE UMA OPINIÃO SOBRE ESSE CASO, OBRIGADA DESDE JÁ.
silvana
2013-04-26
16:01
Meu filho tem 12 anos e está cursando o 6 ano, e esta muito agressivo na escola com os professores e colegas.
Até mesmo em casa com os pais e irmã,tem também muita dificuldade na leitura e diz ter preguiça de estudar.-Como relatou a surpervissora está preocupando porque tem alunos maiores que ele em sala e teme que fique pior.
Já coloquei de castigo ja tirei as coisas que gosta de fazer, mas não está adiantando nada estou muito preocupada, O que posso fazer para ajuda-lo e como fazer por favor me ajude a ajudar o meu filho.
Magda Aparecida dos Santos Silva
2014-02-17
15:51
Preciso de ajuda para meu filho de 6 anos. Gostaria de um contato de voces em que eu pudesse marcar uma consulta de um especialista em neuropsicomportamental. Estou cansada de rodar em especialistas e nada conclusivo e meu filho e nis sofrendo.
Muito obrigada, Magda
Gostaria que pudéssemos nis comunicar por email.
mara
2014-08-07
01:10
tenho um aluno extremamente agressivo: chama a todos de palavrões, inclusive a mim, faz bullying, soca , bate, arremessa coisas para ferir os outros, não gosta que olhem para ele encarando-o, não respeita funcionários do colégio, sai sem permissão, foge da escola, joga objetos alheios pelo chão para provocar, empurra-me para passar quando tento impedi-lo de fugir de sala... não teria espaço para comentar o restante. Preciso de ajuda, mas não sei a quem recorrer, já que na escola tentamos solucionar e não conseguimos...Estou cansada de ser agredida e os outros alunos também. O que fazer? O aluno tem deficiência intelectual, é forte fisicamente e é adolescente, sendo que os demais têm entre 8 e 9 de idade. Obrigada.
Rita
2014-08-14
14:54
Eu tenho um filho de 11 anos que desde 5 anos faz tratamento neurologico, psiquiatrico e terapia. toma medicamentos desde 5 anos, não dorme direito desde que nasceu. Foi diagnosticado TDHA. Ele é muito agressivo e está ficando pior, mesmo tomando medicamento pela manhã e a noite. Não sei mas o que faço, estou desesperada e com medo do futuro. Por favor alguém me ajude. Estou chorando muito despois que vi o depoimento de várias pessoas que tem filhos , inclusive filhos de 20 anos que continua com o mesmo problema. Estou desesperada, sem saber o que fazer. Sou católica, vou a missa, mas tem horas que falo besteira por não aceitar esta situação. Não temos paz em casa, na escola sempre briga com os colegas. Por favor alguém nos ajude, a mim e a todos que estao precisando.
Elaine
2014-08-26
03:37
Tenho um filho de 11anos que apresenta Hiperatividade com muita impulsividade e dificuldade de aceitar o não e regras. E extremamente inteligente apresentandoQI acima da média, porém me da mo trabalho na escola, fala muito nas aulas,testa as professoras, provoca os colegas e atualmente fala coisas que não condizem com a realidade para chamar a atenção. Tomar italiana e sertralina que sinceramente parecem não fazer efeito.Estou totalmente confusa, perdida,a psicóloga diz que não sei impor limites e que seu comportamento na escola e reflexo da minha falta de autoridade , porém eu dou castigos que são obedecidos,pois isso ele obedece apesar de ficar muito irritado.Tem momentos que penso que irei enlouquecer tamanha são as brigas que enfrento todos os dias,tenho outro filho de 9anos que e mais tranquilo porém as vezes quer imitar o irmão. Tem dias que vou dormIr com ele brigando e quando ele acorda no dia seguindo já arruma alguma coisa para provocar a mim , seu irmão e as vezes o pai . Sinceramente preciso de ajuda. Amo muito meus filhos mas com os constantes conflitos as vezes falo coisas que meu coração não sente, até com Deus já plasfemei.Obrigada pela oportunidade de expor meus problemas.
luciane reis
2014-09-26
04:59
Tenho um filho de 2 anos e 9 meses,meu relacionamento está pertubado o pai dele me culpa q a vida dele está está porcaria por monha culpa q ele não tem vida por q temos um filho q ele tem q viver num relacionamento por causa do nosso filho acredito q não está fazendo nada bem para nosso filho o comportamento dele nei a mim também estou muito triste com está situação na minha casa o q posso fazer para ajudar meu marido pois amo ele muito e meu filho também gostaria de ajuda
Lucilene Quirino Bueno
2014-10-20
15:35
Nós temos um aluno com síndrome de Asperger com autismo, ele é violento. Neste ano (!º ano dele na escola) , ele agrediu um colega na aula de Ed. Física com uma raquete, e há 15 dias a Diretora, que foi hospitalizada, pois perdeu os sentidos. E está at´hoje de licença médica. Gostaríamos de saber o que devemos fazer, pois se um adulto teve tantos traumas, o que poderá acontecer se agredir outra criança?

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Subvalorizar o Ébola é crime!

Pepinos do mar já podem ser produzidos em aquacultura

A Ciência na educação pré-escolar

A guerra dos espermatozóides

O Viagra protege o coração para além do quarto

Premiado dispositivo portátil
para recuperar lesões desportivas

Aí está o andarilho inteligente motorizado
com «marca» portuguesa

Ajuda de emergência para «overdoses»

Investigadores portugueses abrem novas possibilidades
no desenho de vacinas contra o cancro

Porquê eu? Muitas mulheres que vivem na pobreza
culpam os filhos e a vida amorosa

O papel dos "oásis" oceânicos nas interacções
entre organismos marinhos

Planta substituta de sal desenvolvida
em cultura in vitro por aluna da UTAD

Trabalho de investigadores da UA
cruza-se com o do Nobel da Física 2014

José Vieira da Universidade do Minho
foi eleito presidente da FEANI

Machimosaurus: o crocodilomorfo
de nove metros do Jurássico de Portugal

Investigação do IMM sobre causas e tratamento
da doença de Crohn premiada nos EUA

Jet lag prejudica funções cognitivas a curto prazo

Quando melhores descobertas ganham destaque
nas primeiras páginas dos jornais e nos telejornais

Investigadores do Porto distinguidos com prémio Grünenthal Dor

Fundação Champalimaud e governo do Rajastão
investem em clínica para o cancro

Visão sem precedentes de duzentas galáxias no Universo

Pistas para a neutralização do HIV

Homens e mulheres avaliam arte de forma diferente

Aumento do desemprego (também) pode
colocar em causa o futuro da Segurança Social

Colar os cromossomas no sítio certo

Cientista Português identifica mecanismo que evita
o suicídio celular e um potencial alvo contra o cancro

Maior painel termodinâmico do mundo é português

Jogos interactivos auxiliam vítimas de AVC

Nobel da Química premeia invenção
do microscópio fluorescente de alta resolução

Cientistas europeus manifestam-se dia 17
em Espanha, França e Itália