Receba as notícias:

Especialistas mundiais de wikis reúnem-se entre segunda e quarta-feira no Porto

2008-09-07
Alguns dos maiores especialistas mundiais em wikis, páginas da Internet de construção colectiva que podem ser modificadas pelos leitores, participam entre segunda e quarta-feira no Porto na quarta edição do simpósio internacional WikiSym.

O evento, que conta com 130 inscritos, tem como principais oradores George Landow, professor da Brown University, Estados Unidos, Stewart Nickolas, do núcleo da IBM dedicado às tecnologias emergentes na Internet, e Dan Ingals, autor da linguagem de programação Smalltalk.

George Landow é o mais conceituado especialista mundial em hipertexto, autor de "Hypertext 3.0: Critical Theory na New Media in an Era of Globalization", editado em 2006 como versão actualizada e alargada das obras sobre o mesmo tema que publicou em 1992 e 1997.

O presidente do WikiSym 2008, Ademar Aguiar, professor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), disse à agência Lusa que George Landow vai procurar demonstrar na sua conferência, terça-feira, que já se faziam wikis antes de Ward Cunningham ter criado, em 1995, aquele que é considerado o primeiro wiki, Portland Pattern Repository.

Ademar Aguiar destacou também a intervenção de Dan Ingals, que vai apresentar "The Lively Kernel", projecto de investigação que lidera na Sun Microsystems e que antecipa a passagem de wikis de textos para wikis de objectos gráficos.

Projecto da NASA

O simpósio vai contar também com a presença de Stewart Mader, "especialista e evangelista na criação de wikis", autor de "WikiPatterns" e "Using Wikis in Education", livros sobre o uso de wikis na educação, na investigação e nas empresas.

Stewart Mader é também co-fundador do "The Science of Spectroscopy", projecto da NASA que repensa a forma como a ciência é ensinada, através "um modelo que começa com aplicações reais, capta a atenção e o envolvimento dos alunos e só depois explica as técnicas e a teoria".

O programa do WikiSym inclui ainda mais 20 comunicações, duas das quais de investigadores portugueses, vários workshops e tutoriais, e cinco "open spaces", espaços físicos onde qualquer participante pode propor à discussão um tema ou texto, sem necessidade de aprovação prévia da comissão científica.

"O 'open space', que já se faz noutros eventos, é também chamado uma 'unconference' [não congresso]. Nada está programado. Temos cinco espaços com várias cadeiras, todos numa sala grande, onde as pessoas promovem temas e tentam juntar outras pessoas em debates. Reservámos 20 horas só para isso, em sessões paralelas ao resto do programa", explicou Ademar Aguiar.

Tema muito popular

O presidente do simpósio salientou que os wikis constituem "um tema muito popular", o que levou a organização da edição do Porto a abrir ao público um evento que começou por ser uma conferência científica. "Toda a gente já ouviu falar pelo menos na Wikipedia", realçou, notando que os wikis têm tido muitas outras aplicações, nomeadamente na produção de trabalhos conjuntos por alunos universitários.

Ademar Aguiar reconheceu que em Portugal os wikis estão muito restringidos às universidades, sendo poucos os exemplos de utilização pelas empresas. Para reforçar a ligação à sociedade, a edição deste ano do simpósio vai estrear o "Wiki Walk", um passeio de cerca de uma hora e um quarto por vários locais da cidade do Porto, sábado, durante o qual alguns convidados vão colocar desafios e questões aos especialistas.

O primeiro WikiSym realizou-se em 2005 em S. Diego, Estados Unidos, como evento paralelo à conferência OOPSLA da Association for Computing Machinery (ACM). Nos anos seguintes, o simpósio decorreu em Odense, Dinamarca, e Montreal, Canadá, também como evento paralelo, sendo a edição do Porto a primeira a decorrer autonomamente.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Neste Natal dê o seu apoio ao Ciência Hoje

Efeitos da cafeína diferem com ou sem açúcar?

António Fernandes da Fonseca deixou a “sua marca”
na passagem pelo Mundo!

É possível estudar «cientificamente» as salsichas?
Universidades de Lisboa, Évora e Trás-os-Montes e Alto Douro fizeram investigação

UBI apresenta amanhã em Bruxelas
sistema de propulsão inovador

Podemos fazer algo para minimizar
ou mesmo evitar a demência?

"Santo graal da cardiologia" vence prémio Fundação Altran para a Inovação

Investigador da UC lidera investigação europeia
sobre as doenças de Parkinson e de Machado-Joseph

Equipa internacional revela o "big bang"
da evolução das aves

Henrique Leitão, vencedor do Prémio Pessoa:
“Um curso de física bem dado é uma verdadeira sinfonia”

Instituto do Território lança Agênca da Baixa Densidade

UC entre as instituições europeias que venceram
o projecto “Vida Saudável e Envelhecimento Activo”

Investigação científica da UE aberta para todos

Cientistas portugueses no vulcão da Ilha do Fogo

UC inaugura projecto pioneiro para resolver
problema da fruticultura nacional

Investigadores da UTAD promovem avanços significativos
na compreensão da doença de Alzheimer

Prémios Pfizer entregues hoje

“Espelho mágico” permite ver como as peças de roupa
de uma loja ficam na pessoa

Sexo de pinguins: como determiná-lo

Punir as crianças quando mentem não funciona

LED desenvolvido pela UA quer revolucionar tecnologia
que recebeu Nobel da Física

Habilidades de feira vs. bancos de escola

Beba vinho tinto! Pela sua saúde!

Aveiro «inventa» folha de fruta não comercializada

UMinho quer criar lentes e iluminação para daltónicos

Vinho e cultura melhores do que sol e areia
e Portugal pode beneficiar com isso

Desenvolvido em Espanha um modelo
para detectar a condução agressiva

Distinguido estudo do metabolismo
de células do cancro do pulmão

Estudar como os circuitos neurais coordenam a locomoção
vale 1,5 milhões de euros

Investigadores de Aveiro querem «tirar»
os medronhos das garrafas