Receba as notícias:

Prova 2 - «O que Darwin viu nas Galápagos»

Concurso «Na Senda de Darwin» - Prova apresentada pela equipa «Tritões»

A 15 de Setembro de 1825, o naturalista Charles Darwin embarcou no Beagle da marinha britânica com apenas 25 anos, com destino as ilhas Galápagos onde ficou 35 dias, cinco semanas.

Já nas Galápagos visitou apenas 4 ilhas: são Cristóvão, Floreana, Isabela e Santiago. Durante a sua expedição a estas ilhas tirou anotações e ficou fascinado com as características únicas e diferentes que cada uma das ilhas apresentava.

Ao chegar às ilhas Galápagos, Darwin ficou inicialmente bastante desapontado com o que viu, não percebendo logo de imediato a relevância das suas observações, tomando consciência do valor das suas anotações e registos apenas anos depois da sua viagem.

Podemos dizer que o que chamou mais a atenção a Darwin nas Galápagos foram as tartarugas gigantes e os tentilhões.

Os tentilhões são pássaros de pequeno porte, que apresentam uma grande diversidade de formas do bico, as quais estão adaptadas a funções especificas. Uma destas funções é, por exemplo, a necessidade de quebrar as sementes, sendo os bicos largos e muito resistentes. A análise dos bicos dos tentilhões terá levado Darwin a pensar que os seres evoluem, apresentando as características que são mais favoráveis ao meio ambiente em que estão inseridos. Os tentilhões parecem ser um excelente exemplo de uma evolução divergente, atendendo à diversidade de habitats que as ilhas Galápagos proporcionam.
Também nas Galápagos, Darwin foi alertado sobre as diferenças das tartarugas gigantes de ilha para ilha, não lhe dando grande importância, na altura,  mas mesmo assim levou exemplares delas para Inglaterra e algumas anotações, a partir das quais Darwin encontrou a base para fundamentar a percepção da diferenciação das espécies.

Tendo os Galápagos uma formação geológica muito particular, e devido ao isolamento das ilhas do continente, Darwin conseguiu compreender o meio ambiente único existente nas ilhas Galápagos através de analises ao solo, à observação da flora e fauna.

Enquanto escrevia o seu diário da viagem do Beagle escreveu “ A história natural dessas ilhas é certamente curiosa, e merece atenção. As maiorias das produções orgânicas são criações nativas, não encontradas em nenhum outro lugar.”

Assim, podemos concluir que foi nas Galápagos que Darwin se percebeu que são os longos períodos de selecção natural, os responsáveis pela diversidade das espécies ao nosso redor, que sempre tiveram que lutar pela sobrevivência.

Passados os 35 dias, Darwin volta a Inglaterra, onde ficou a estudar para publicar "A origem das espécies". O pouco tempo que Darwin passou nas Galápagos pouco terá influenciado " A origem das espécies". Mas apesar disto, ainda hoje, as Galápagos são vistas como o principal motor do darwismo e o “laboratório vivo da evolução”.


Voltar...

Últimas notícias

Dê azeite ao seu coração

Dois jovens cientistas portugueses
entre oito distinguidos pela EMBO

Neste Natal dê o seu apoio ao Ciência Hoje

Efeitos da cafeína diferem com ou sem açúcar?

António Fernandes da Fonseca deixou a “sua marca”
na passagem pelo Mundo!

É possível estudar «cientificamente» as salsichas?
Universidades de Lisboa, Évora e Trás-os-Montes e Alto Douro fizeram investigação

UBI apresenta amanhã em Bruxelas
sistema de propulsão inovador

Podemos fazer algo para minimizar
ou mesmo evitar a demência?

"Santo graal da cardiologia" vence prémio Fundação Altran para a Inovação

Investigador da UC lidera investigação europeia
sobre as doenças de Parkinson e de Machado-Joseph

Equipa internacional revela o "big bang"
da evolução das aves

Henrique Leitão, vencedor do Prémio Pessoa:
“Um curso de física bem dado é uma verdadeira sinfonia”

Instituto do Território lança Agênca da Baixa Densidade

UC entre as instituições europeias que venceram
o projecto “Vida Saudável e Envelhecimento Activo”

Investigação científica da UE aberta para todos

Cientistas portugueses no vulcão da Ilha do Fogo

UC inaugura projecto pioneiro para resolver
problema da fruticultura nacional

Investigadores da UTAD promovem avanços significativos
na compreensão da doença de Alzheimer

Prémios Pfizer entregues hoje

“Espelho mágico” permite ver como as peças de roupa
de uma loja ficam na pessoa

Sexo de pinguins: como determiná-lo

Punir as crianças quando mentem não funciona

LED desenvolvido pela UA quer revolucionar tecnologia
que recebeu Nobel da Física

Habilidades de feira vs. bancos de escola

Beba vinho tinto! Pela sua saúde!

Aveiro «inventa» folha de fruta não comercializada

UMinho quer criar lentes e iluminação para daltónicos

Vinho e cultura melhores do que sol e areia
e Portugal pode beneficiar com isso

Desenvolvido em Espanha um modelo
para detectar a condução agressiva

Distinguido estudo do metabolismo
de células do cancro do pulmão