Receba as notícias:

Passeio micológico dá a conhecer fungos e cogumelos do Alentejo

Iniciativa do Departamento de Biologia da Universidade de Évora

2008-12-11
Alunos conhecem diferentes tipos de fungos
Alunos conhecem diferentes tipos de fungos

Um "passeio micológico" é mais uma forma de o Departamento de Biologia da Universidade de Évora (UE) dinamizar o projecto Venha conhecer os cogumelos, que designa como "uma riqueza do Alentejo". Dia 14, na Herdade da Mitra, alunos e outros interessados poderão perceber como se formam e, por exemplo, as diferenças entre os cogumelos venenosos e os comestíveis.

A mesa é, aliás, o local onde eles aparecem à maioria das pessoas. Com várias espécies e formas, explica a UE numa nota de anúncio da iniciativa, os cogumelos têm um importante papel no ecossistema e na economia local e nacional.

Há uma grande diversidade de fungos que produzem cogumelos, na zona do Alentejo, e a equipa que desenvolve projectos na área da micologia no Departamento de Biologia da universidade alentejana pretende dar a conhecer ao público a sua importância e a sensibilizar para a necessidade de os proteger e conservar.

Celeste Silva, daquele departamento, e investigadora na área da micologia, destaca a receptividade dos alunos para iniciativas como o passeio micológico. "Os alunos ficam fascinados com a ida ao campo, a explicação e a oportunidade de, no laboratório, observarem o que recolheram no campo. Sentem-se uns pequenos cientistas", conta.

No Alentejo, as diferentes paisagens, como os prados e pastagens, os matos, os azinhais/sobreirais, os pinhais e os eucaliptais, oferecem diferentes características que permitem às diferentes espécies de fungos encontrarem condições para se instalarem. Cada ecossistema oferece diferenças ambientais que vão garantir a sobrevivência dos fungos. Deste modo, os passeios micológicos são "um modo engraçado e divertido de conhecer o ecossistema e os cogumelos que aqui se formam e que contribuem para a conservação do sistema de montado alentejano", refere a nota da UE.

Os cogumelos são produzidos por fungos durante a reprodução sexuada e tal como os frutos, produzem, protegem e dispersam esporos, que são estruturas que, em condições de humidade e temperaturas favoráveis, germinam e originam novos organismos. Os cogumelos estão, para os fungos que os produzem, como a maçã está para a macieira. Esses novos organismos apresentam diferentes formas, tamanhos, cores, cheiros e texturas que vão influenciar a sua dispersão. Formadores credenciados e reconhecidos pela Ordem dos Biólogos estarão, domingo, a servir de guias aos alunos e outros interessados em participar no passeio, que culmina com um almoço.

Informações e inscrições para o correio electrónico css@uevora.pt ou através do telefone 933 168 388. Pode ainda visitar a página do projecto de divulgação da universidade em www.projectos.uevora.pt/cogumelo.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Neste Natal dê o seu apoio ao Ciência Hoje

Efeitos da cafeína diferem com ou sem açúcar?

António Fernandes da Fonseca deixou a “sua marca”
na passagem pelo Mundo!

É possível estudar «cientificamente» as salsichas?
Universidades de Lisboa, Évora e Trás-os-Montes e Alto Douro fizeram investigação

UBI apresenta amanhã em Bruxelas
sistema de propulsão inovador

Podemos fazer algo para minimizar
ou mesmo evitar a demência?

"Santo graal da cardiologia" vence prémio Fundação Altran para a Inovação

Investigador da UC lidera investigação europeia
sobre as doenças de Parkinson e de Machado-Joseph

Equipa internacional revela o "big bang"
da evolução das aves

Henrique Leitão, vencedor do Prémio Pessoa:
“Um curso de física bem dado é uma verdadeira sinfonia”

Instituto do Território lança Agênca da Baixa Densidade

UC entre as instituições europeias que venceram
o projecto “Vida Saudável e Envelhecimento Activo”

Investigação científica da UE aberta para todos

Cientistas portugueses no vulcão da Ilha do Fogo

UC inaugura projecto pioneiro para resolver
problema da fruticultura nacional

Investigadores da UTAD promovem avanços significativos
na compreensão da doença de Alzheimer

Prémios Pfizer entregues hoje

“Espelho mágico” permite ver como as peças de roupa
de uma loja ficam na pessoa

Sexo de pinguins: como determiná-lo

Punir as crianças quando mentem não funciona

LED desenvolvido pela UA quer revolucionar tecnologia
que recebeu Nobel da Física

Habilidades de feira vs. bancos de escola

Beba vinho tinto! Pela sua saúde!

Aveiro «inventa» folha de fruta não comercializada

UMinho quer criar lentes e iluminação para daltónicos

Vinho e cultura melhores do que sol e areia
e Portugal pode beneficiar com isso

Desenvolvido em Espanha um modelo
para detectar a condução agressiva

Distinguido estudo do metabolismo
de células do cancro do pulmão

Estudar como os circuitos neurais coordenam a locomoção
vale 1,5 milhões de euros

Investigadores de Aveiro querem «tirar»
os medronhos das garrafas