Receba as notícias:

Encontro científico debate estrelas da investigação

Conferência internacional e jornadas da História e Astronomia em Portugal

2009-05-18
Einstein e Eddington
Einstein e Eddington
Chamam-se Eddington, Melo e Simas, Gago Coutinho, e D. João V. Cada um marcou, à sua maneira e em alturas diferentes, a história da astronomia e da ciência em geral, em Portugal e no mundo. Nas próximas quinta e sexta-feira, as grandes figuras da astrofísica estão em destaque em dois encontros abertos ao público.

Quem se interessa pela ciência e pela sua história vai ter muito por descobrir e aprender esta semana. Associando-se às celebrações do Ano Internacional da Astronomia (AIA2009), a Sociedade de Geografia de Lisboa organiza, por ocasião das comemorações do 90.º aniversário da expedição científica de Eddington à Ilha do Príncipe, uma conferência internacional em que serão discutidas as implicações das observações do astrofísico inglês para a ciência.
Na quinta-feira decorrem também na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa, as «Jornadas de História da Astronomia em Portugal».

Os resultados astronómicos obtidos em São Tomé e Príncipe por Eddington são considerados como um dos mais significativos acontecimentos científicos do século XX. O seu papel na comprovação da Teoria da Relatividade de Einstein e outros desafios encarados pela ciência, dão assim o mote à conferência inaugural proferida por António Manuel Nunes dos Santos, da Universidade Nova de Lisboa, às 18h30, no primeiro dia do colóquio.

O encontro reúne em Lisboa especialistas internacionais do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, da Royal Astronomical Soeciety e da Sociedade de Geografia de Lisboa, entre outros, para discutir as repercussões para a ciência da experiência de medição da deflexão da luz pelo campo gravítico levada a bem por Arthur Eddington.

Caberá ao ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, encerrar na sexta-feira à tarde (16h30) os dois dias de trabalho, com uma palestra subordinada ao tema «A Teoria da Relatividade no Século XXI».

Esta tese e a sua divulgação em Portugal, pelo trabalho do astrónomo Melo e Simas, estarão também em discussão durante as jornadas, no Anfiteatro da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), dia 21 de Maio.

Novidades e resultados

Astrolábio de precisão (foto 1922 em blog ex-ogma)
Astrolábio de precisão (foto 1922 em blog ex-ogma)
Com o apoio do Centro Interuniversitário da História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), a instituição recebe vários investigadores portugueses que irão focar a evolução da astronomia no país, da «Aula da Esfera» do colégio de Santo Antão ao "astrolábio de precisão" de Gago Coutinho.

"Durante o encontro, serão apresentadas muitas novidades e resultados novos, fruto da investigação dos mais reputados especialistas portugueses nos últimos anos. Penso que estas jornadas serão um verdadeiro "virar de página" no conhecimento da história da astronomia entre nós", revela o responsável pela organização do colóquio, Henrique Leitão.

Ao todo, serão abordados sete temas que traçam uma cronologia da Astronomia no nosso país, com um destaque particular para dois observatórios astrónomicos, o de Coimbra e Lisboa.

No fim das Jornadas, será ainda realizada uma visita à exposição «Estrelas de Papel: Livros de Astronomia dos séculos XIV a XVIII», patente na Biblioteca Nacional até 31 de Julho, mostra que reúne algumas das mais famosas obras que desenharam e redesenharam o Universo.

As observações realizadas por Sir Arthur Eddington, a 29 de Maio de 1919, na ilha do Príncipe (São Tomé e Príncipe), durante um eclipse solar total, permitiram comprovar experimentalmente a Teoria da Relatividade proposta por Einstein alguns anos antes, determinando a revisão da noção de gravitação vigente desde Newton e trazendo a Albert Einstein uma forte notoriedade pública.

A tese predizia um desvio duas vezes maior do que o anunciado pela gravitação newtoniana. As imagens conseguidas por Eddington durante o eclipse serviram de verificação experimental da deflexão da luz pelo campo gravítico. Graças à astronomia e à astrofísica, deu-se um passo importante no conhecimento da Física.

A conferência comemorativa, promovida pela Sociedade de Geografia de Lisboa, em colaboração com o Governo Regional da Ilha do Príncipe, a Royal Astronomical Society, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a ONG «Scientists in the World» (SIW), prolongar-se-á no dia 29 de Maio, na Ilha de Príncipe, com um encontro científico e o descerramento de uma lápide oferecida pela Royal Astronomical Society.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

O flagelo das alergias

«Vender» empregos é o que vai dar!

O grande desafio:
reparar autoestradas axonais para tratar lesões

Estudo avalia impacto da crise económica nos médicos

A burocracia e as TIC
(esta dádiva de algum deus suspeito!)

When bad news are good news for neurodegenerative diseases

Nova lei da investigação clínica
publicada hoje em Diário da República

Dor condiciona actividades diárias dos doentes mais idosos

Fraunhofer Portugal Challenge premeia a ciência nacional

Investigadores da UC localizam a distribuição celular
da proteína envolvida na Alzheimer

Cocktails de pesticidas prejudicam a saúde dos solos

Polémica das Ciências do Mar:
resposta ao coordenador do painel de avaliação

Cancro de Mama “Triplo-negativo” e Metástases do Cérebro
«vencem» bolsas de investigação da Associação Laço

Galaxy Zoo abre as portas do Universo

“Será realista o mundo de Avatar ?”

São João da Madeira vence “Dá Power ao Electrão”

“Jogar” na Sala de aula: estudo da UC defende
a utilização de dispositivos móveis no ensino

Fobias: quem tem medo compra um cão!

Bolsas para Ciências do Mar: críticas vindas a público
são totalmente desprovidas de fundamento

Estudo sociológico sobre jovens portugueses/as
vence prémio mundial

Alunos do secundário desvendam a física das partículas na UMinho

Sabe escolher azeite de qualidade?
Se vai só pela acidez está errado!

Projecto internacional da UA mostra vantagens
da iluminação pública inteligente com LED

Candidatos denunciam irregularidades
na atribuição de bolsas da FCT

Cientista português ligado
a nova investigação sobre Alzheimer

Cancro e diabetes: políticas a longo prazo
reduzem incidência de casos

Quinta do Seixo é caso de estudo
para especialistas europeus em biodiversidade

Trinta concorrentes disputam meia-final do FameLab

Veneno de caracol marinho letal pode facultar
novos tratamentos para a dor crónica em humanos

Cientistas portugueses no maior projecto da UE
contra a degradação dos solos europeus