Receba as notícias:

Encontro científico debate estrelas da investigação

Conferência internacional e jornadas da História e Astronomia em Portugal

2009-05-18
Einstein e Eddington
Einstein e Eddington
Chamam-se Eddington, Melo e Simas, Gago Coutinho, e D. João V. Cada um marcou, à sua maneira e em alturas diferentes, a história da astronomia e da ciência em geral, em Portugal e no mundo. Nas próximas quinta e sexta-feira, as grandes figuras da astrofísica estão em destaque em dois encontros abertos ao público.

Quem se interessa pela ciência e pela sua história vai ter muito por descobrir e aprender esta semana. Associando-se às celebrações do Ano Internacional da Astronomia (AIA2009), a Sociedade de Geografia de Lisboa organiza, por ocasião das comemorações do 90.º aniversário da expedição científica de Eddington à Ilha do Príncipe, uma conferência internacional em que serão discutidas as implicações das observações do astrofísico inglês para a ciência.
Na quinta-feira decorrem também na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa, as «Jornadas de História da Astronomia em Portugal».

Os resultados astronómicos obtidos em São Tomé e Príncipe por Eddington são considerados como um dos mais significativos acontecimentos científicos do século XX. O seu papel na comprovação da Teoria da Relatividade de Einstein e outros desafios encarados pela ciência, dão assim o mote à conferência inaugural proferida por António Manuel Nunes dos Santos, da Universidade Nova de Lisboa, às 18h30, no primeiro dia do colóquio.

O encontro reúne em Lisboa especialistas internacionais do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, da Royal Astronomical Soeciety e da Sociedade de Geografia de Lisboa, entre outros, para discutir as repercussões para a ciência da experiência de medição da deflexão da luz pelo campo gravítico levada a bem por Arthur Eddington.

Caberá ao ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago, encerrar na sexta-feira à tarde (16h30) os dois dias de trabalho, com uma palestra subordinada ao tema «A Teoria da Relatividade no Século XXI».

Esta tese e a sua divulgação em Portugal, pelo trabalho do astrónomo Melo e Simas, estarão também em discussão durante as jornadas, no Anfiteatro da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), dia 21 de Maio.

Novidades e resultados

Astrolábio de precisão (foto 1922 em blog ex-ogma)
Astrolábio de precisão (foto 1922 em blog ex-ogma)
Com o apoio do Centro Interuniversitário da História das Ciências e da Tecnologia (CIUHCT), a instituição recebe vários investigadores portugueses que irão focar a evolução da astronomia no país, da «Aula da Esfera» do colégio de Santo Antão ao "astrolábio de precisão" de Gago Coutinho.

"Durante o encontro, serão apresentadas muitas novidades e resultados novos, fruto da investigação dos mais reputados especialistas portugueses nos últimos anos. Penso que estas jornadas serão um verdadeiro "virar de página" no conhecimento da história da astronomia entre nós", revela o responsável pela organização do colóquio, Henrique Leitão.

Ao todo, serão abordados sete temas que traçam uma cronologia da Astronomia no nosso país, com um destaque particular para dois observatórios astrónomicos, o de Coimbra e Lisboa.

No fim das Jornadas, será ainda realizada uma visita à exposição «Estrelas de Papel: Livros de Astronomia dos séculos XIV a XVIII», patente na Biblioteca Nacional até 31 de Julho, mostra que reúne algumas das mais famosas obras que desenharam e redesenharam o Universo.

As observações realizadas por Sir Arthur Eddington, a 29 de Maio de 1919, na ilha do Príncipe (São Tomé e Príncipe), durante um eclipse solar total, permitiram comprovar experimentalmente a Teoria da Relatividade proposta por Einstein alguns anos antes, determinando a revisão da noção de gravitação vigente desde Newton e trazendo a Albert Einstein uma forte notoriedade pública.

A tese predizia um desvio duas vezes maior do que o anunciado pela gravitação newtoniana. As imagens conseguidas por Eddington durante o eclipse serviram de verificação experimental da deflexão da luz pelo campo gravítico. Graças à astronomia e à astrofísica, deu-se um passo importante no conhecimento da Física.

A conferência comemorativa, promovida pela Sociedade de Geografia de Lisboa, em colaboração com o Governo Regional da Ilha do Príncipe, a Royal Astronomical Society, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a ONG «Scientists in the World» (SIW), prolongar-se-á no dia 29 de Maio, na Ilha de Príncipe, com um encontro científico e o descerramento de uma lápide oferecida pela Royal Astronomical Society.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Aves fogem para Norte

Iniciativa monitoriza estado de saúde, aptidão física
e rendimento táctico de bombeiros em contexto de combate

Investigadores do Algarve combatem células tumorais
com extractos de plantas de sapal

Aditivos mais naturais?

UTAD alerta para os riscos do consumo de bivalves
produzidos em ambientes poluídos

Podemos prever a evolução?

Um Nobel de medicina que nem medicina sabe

Menopausa e a osteoporose: estudo premeia
investigadora de Coimbra

A revolução dos filmes de cristais líquidos

Abutre-preto volta ao Alentejo 40 anos depois

Grafeno mais sílica: a revolução
da indústria tecnológica do futuro

De como um smartphone pode controlar
a qualidade dos óleos de fritar

Cátedra do Real Madrid aprova projecto que envolve
a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

António Damásio profere conferência no Porto

Investigadora portuguesa revela novo método
de detecção precoce de cancro do pâncreas

Universidade da Beira Interior
com avanços no cancro da próstata

Investigadores portugueses distinguidos
por avanços na área da dor

Identidade, valores, modernidade: o meu livro
sobre o pensamento de Onésimo Teotónio Almeida

Nanopartícula entrega moléculas terapêuticas
a tumores cerebrais malignos

Portugal conquista prémio europeu
de conservação da natureza

E se lhe oferecerem um chão inteligente?

Plantas portuguesas dão origem a infusões de qualidade premium

CR7 já não é uma estrela! É uma galáxia!

EGO em Aveiro: uma peça do inventor da pílula

Estrutura social é importante na conservação de espécies

Philae acordou e mandou notícias

Coimbra indica nova direcção para o tratamento
dos vários tipos de cancro

Aveiro cria o anjo da guarda dos condutores

Cientista português financiado por March of Dimes
para estudar malária durante a gravidez

Barcelona cria sistema para avaliação cognitiva
de trabalhadores com deficiência cognitiva