Receba as notícias:

Plástico decompõe-se na água e liberta elementos tóxicos

Estudo contradiz a ideia
de que este material é indestrutível

2009-08-21
A situação no Oceano Pacífico é preocupante
A situação no Oceano Pacífico é preocupante
Um estudo dado a conhecer esta semana indica que o plástico se decompõe rapidamente na água. Ao decompor-se, liberta substâncias muito tóxicas.

Liderada pelo Katsuhiko Saido, a investigação foi apresentada quarta-feira em Washington, no 238º Encontro Nacional da American Chemical Society, que ontem chegou ao fim.
O plástico que se utiliza diariamente é considerado estável. Contudo, os investigadores descobriram que no oceano se decompõe por estar exposto ao sol, à chuva e às mais diversas condições ambientais.

Segundo Katsuhiko Saido, químico e professor da Faculdade de Farmácia da Universidade de Nihon, Japão, esta fonte de contaminação está para durar. Só no Japão são despejados para o oceano todos os anos 150 mil toneladas de plásticos.

A sua acumulação cria vastas extensões de resíduos que flutuam nos oceanos, como a conhecida “ilha do lixo”, no Pacífico (entre a Califórnia e o Havai) que tem sensivelmente o tamanho da França.

Segundo o estudo, o poliestireno (esferovite) começa a decompor-se passado apenas um ano, libertando componentes dentro dos ecossistemas marinhos.

Quando o plástico se decompõe liberta bisfenol-A e oligómero para a água, causando poluição adicional.

Normalmente os plásticos não se desfazem no corpo do animal que o ingere. No entanto, as substâncias libertadas na decomposição são absorvidas e podem ter efeitos adversos.

O bisfenol e o oligómero são fontes de preocupação porque podem interromper o funcionamento das hormonas dos animais e afectar seriamente o sistema reprodutor.
JOSÉ ALOÍSIO PORTES
2009-08-24
02:50
É MUITO PREOCUPANTE PARA NOSSA SAÚDE E PARA A DO PLANETA TAMBÉM. DEVEMOS CRIAR UMA FORÇA TAREFA E COMERÇARMOS A MUDAR NOSSOS HÁBITOS EM RELAÇÃO AO PLÁSTICO COM PEQUENAS AÇÕES, COMO O USO DE SACOLAS RETORNÁVEIS, POR EXEMPLO, QUE SÃO MAIS BONITAS E NÃO PRECISAMOS FAZER PROPAGANDA DE GRAÇA PRA NINGUÉM PELO MEIO DA RUA (RSRSRSRS). OUTRA MUDANÇA SIMPLES TAMBÉM ESTÁ NA COMPRA DE PRODUTOS COM O MÍNIMO DE EMBALAGEM POSSÍVEL, PRINCIPALMENTE O PLÁSTICO. NÃO PRECISAMOS DE AÇÕES FARAÔNICAS PARA SALVAR O PLANETA, É NECESSÁRIO QUE CADA UM FAÇA SUA PARTE, SUA PEQUENA PARTE.
Luís Alves de Fraga
2009-08-24
11:21
Em nome do bem-estar pessoal destamos a destruir o bem-estar dos nossos filhos e netos! É uma frase vulgar, mas que necessita ser meditada...
Alcides Garcia Ortiz
2009-08-24
19:36
No Brasil, temos um programa com relação ao plástico. Existe pessoas catadoras de plásticos elas catam, vendem as indústria de reciclagem e fazemos novamente o plástico.
Alexandra Boga
2009-08-25
02:01
Uma ilha de lixo com o tamanho de França???? E nunca tinha ouvido falar sobre isso! Isso deveria ser divulgado por todo o mundo!! Não fazia ideia que a poluição derivada dos plásticos era tão brutalmente grave!! Até dá raiva... e ainda fazem caras estranhas, em certos supermercados, quando eu levo a minha mochila no lugar de pedir sacos de plástico..... :-( isto é GRAVE, eu não tinha a noção...
Maria Gomes
2009-08-25
10:07
Vamos todos nunca mais parar de lutar pela Natureza.
O plástico é um perigo e deve ser considerado assim, em nosso quotidiano.
É preferível ser radical neste sentido a ser alienado. A vida agradece.
Fabio Ferreira Caramez
2010-06-10
15:53
Qual e a fonte de informacao oficial que afirma o lancamento de 150 mil ton ano de plastico no oceano pelo Japao? E que tambem afirma a formacao de tal ilha de plastico no meio do oceano pacifico. Pq o Japao lanca lixo plastico no oceano e nao tem outro destino para este tipo de residuo? Qual e a fonte original e oficial desta informacao? Pergunto apenas para verificar se esta informacao e confiavel e cientificamente fundamentada. Se os fatos aqui descritos sao realmente verdadeiros, a nossa civilizacao esta a beira do caos e da loucura. Levando-se em conta que o Japao e um pais desenvolvido e referencia tecnologica, como explicar tal fato para a humanidade?

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Dores nas costas e hérnias discais

Investigação sobre Cancro, AVC e descontaminação da água
por medicamentos distingue jovens investigadoras

UTAD investiga valor nutricional do leite de golfinhos

Terapia amiga do ambiente descontamina
águas das pisciculturas

Portas abertas para novos tratamentos
para a artrite reumatóide

Gosta de merujes? Vão aparecer na sua mesa!

Estudantes de medicina apostam
na formação científica e humana

Investigadora da Universidade de Coimbra premiada
pela Sociedade Portuguesa de Doenças Metabólicas

UC estuda o impacto do novo metro igeiro de Macau

Hepatite C: nova realidade, novos horizontes

Saúde do cérebro e do coração começa na boca

Descoberto o responsável pelo surgimento
de problemas de memória

UA combate contrafacção com códigos DNA para marcas

Investigadores belgas e franceses medem
a temperatura do coração das estrelas

Estudante da UA imprime circuitos electrónicos em papel

Je suis Charlie

Investigações sobre cromossomas e doença de Huntington
premiadas hoje pela FLAD

Investigadora da UTAD distinguida na Galiza
com Prémio “Vicente Risco”

Compostos descobertos na casca do eucalipto
já têm método de extracção

Em 2015 continuo a supor que poderíamos ter pedido baunilha…

Investigadores de Coimbra querem melhorar
prognóstico do transplante de fígado

Curador do primeiro planetário da América
vai ser português

Humilhação dos 7-1 leva o Brasil
a olhar para a ciência

Carlos Ribeiro eleito para o primeiro grupo
dos FENS-Kavli Scholars

Rotundas virtuais vão projectar rotundas reais
seguras e amigas do ambiente

Dê azeite ao seu coração

Dois jovens cientistas portugueses
entre oito distinguidos pela EMBO

Neste Ano Novo dê o seu apoio ao Ciência Hoje

Efeitos da cafeína diferem com ou sem açúcar?

António Fernandes da Fonseca deixou a “sua marca”
na passagem pelo Mundo!