Receba as notícias:

Plástico decompõe-se na água e liberta elementos tóxicos

Estudo contradiz a ideia
de que este material é indestrutível

2009-08-21
A situação no Oceano Pacífico é preocupante
A situação no Oceano Pacífico é preocupante
Um estudo dado a conhecer esta semana indica que o plástico se decompõe rapidamente na água. Ao decompor-se, liberta substâncias muito tóxicas.

Liderada pelo Katsuhiko Saido, a investigação foi apresentada quarta-feira em Washington, no 238º Encontro Nacional da American Chemical Society, que ontem chegou ao fim.
O plástico que se utiliza diariamente é considerado estável. Contudo, os investigadores descobriram que no oceano se decompõe por estar exposto ao sol, à chuva e às mais diversas condições ambientais.

Segundo Katsuhiko Saido, químico e professor da Faculdade de Farmácia da Universidade de Nihon, Japão, esta fonte de contaminação está para durar. Só no Japão são despejados para o oceano todos os anos 150 mil toneladas de plásticos.

A sua acumulação cria vastas extensões de resíduos que flutuam nos oceanos, como a conhecida “ilha do lixo”, no Pacífico (entre a Califórnia e o Havai) que tem sensivelmente o tamanho da França.

Segundo o estudo, o poliestireno (esferovite) começa a decompor-se passado apenas um ano, libertando componentes dentro dos ecossistemas marinhos.

Quando o plástico se decompõe liberta bisfenol-A e oligómero para a água, causando poluição adicional.

Normalmente os plásticos não se desfazem no corpo do animal que o ingere. No entanto, as substâncias libertadas na decomposição são absorvidas e podem ter efeitos adversos.

O bisfenol e o oligómero são fontes de preocupação porque podem interromper o funcionamento das hormonas dos animais e afectar seriamente o sistema reprodutor.
JOSÉ ALOÍSIO PORTES
2009-08-24
02:50
É MUITO PREOCUPANTE PARA NOSSA SAÚDE E PARA A DO PLANETA TAMBÉM. DEVEMOS CRIAR UMA FORÇA TAREFA E COMERÇARMOS A MUDAR NOSSOS HÁBITOS EM RELAÇÃO AO PLÁSTICO COM PEQUENAS AÇÕES, COMO O USO DE SACOLAS RETORNÁVEIS, POR EXEMPLO, QUE SÃO MAIS BONITAS E NÃO PRECISAMOS FAZER PROPAGANDA DE GRAÇA PRA NINGUÉM PELO MEIO DA RUA (RSRSRSRS). OUTRA MUDANÇA SIMPLES TAMBÉM ESTÁ NA COMPRA DE PRODUTOS COM O MÍNIMO DE EMBALAGEM POSSÍVEL, PRINCIPALMENTE O PLÁSTICO. NÃO PRECISAMOS DE AÇÕES FARAÔNICAS PARA SALVAR O PLANETA, É NECESSÁRIO QUE CADA UM FAÇA SUA PARTE, SUA PEQUENA PARTE.
Luís Alves de Fraga
2009-08-24
11:21
Em nome do bem-estar pessoal destamos a destruir o bem-estar dos nossos filhos e netos! É uma frase vulgar, mas que necessita ser meditada...
Alcides Garcia Ortiz
2009-08-24
19:36
No Brasil, temos um programa com relação ao plástico. Existe pessoas catadoras de plásticos elas catam, vendem as indústria de reciclagem e fazemos novamente o plástico.
Alexandra Boga
2009-08-25
02:01
Uma ilha de lixo com o tamanho de França???? E nunca tinha ouvido falar sobre isso! Isso deveria ser divulgado por todo o mundo!! Não fazia ideia que a poluição derivada dos plásticos era tão brutalmente grave!! Até dá raiva... e ainda fazem caras estranhas, em certos supermercados, quando eu levo a minha mochila no lugar de pedir sacos de plástico..... :-( isto é GRAVE, eu não tinha a noção...
Maria Gomes
2009-08-25
10:07
Vamos todos nunca mais parar de lutar pela Natureza.
O plástico é um perigo e deve ser considerado assim, em nosso quotidiano.
É preferível ser radical neste sentido a ser alienado. A vida agradece.
Fabio Ferreira Caramez
2010-06-10
15:53
Qual e a fonte de informacao oficial que afirma o lancamento de 150 mil ton ano de plastico no oceano pelo Japao? E que tambem afirma a formacao de tal ilha de plastico no meio do oceano pacifico. Pq o Japao lanca lixo plastico no oceano e nao tem outro destino para este tipo de residuo? Qual e a fonte original e oficial desta informacao? Pergunto apenas para verificar se esta informacao e confiavel e cientificamente fundamentada. Se os fatos aqui descritos sao realmente verdadeiros, a nossa civilizacao esta a beira do caos e da loucura. Levando-se em conta que o Japao e um pais desenvolvido e referencia tecnologica, como explicar tal fato para a humanidade?

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Jogo online previne violência no namoro entre adolescentes

Criança de cinco anos infectada por HIV
manteve-se saudável

A Expressão das Emoções
nova peça de teatro pela Marionet

Nanocatalisadores de carbono
ajudam a tratar águas residuais

Investigadores da UC mostram o valor da floresta
mediterrânica com filme de animação

Homens ou mulheres? Quem corre mais riscos
de violência verbal no local de trabalho?

Investigador do IA é um dos vencedores dos Prémios Breakthrough 2015

Qual é a melhor iluminação para a sua casa?

Cyberbullying: retrato de um fenómeno
em expansão silenciosa

Centro de Investigação da Montanha distinguido
em cooperação internacional

Investigação europeia em oftalmologia
coordenada em Portugal

Portugal lidera detecção inédita na atmosfera de Vénus

Modelos matemáticos desenvolvidos na UA
preveem gravidade de acidentes de viação

Mosca-da-azeitona pode ser combatida
de forma rápida, barata e eficaz

Já é possível «ouvir» o coração da mãe
e do bebé ao mesmo tempo

Áreas menos desenvolvidas penalizadas
na agenda política de saúde

Foi com uma grande alegria que vi o nome de Teresa Teixeira!

Teresa Teixeira nomeada hoje
EMBO Young Investigator

Investigador mexicano desenvolve software
que “prevê” ocorrências cardíacas

UTAD aposta no combate ao abandono escolar

ESAN quer ser referência em fabrico aditivo rápido

Um neurónio, uma função? Afinal o cérebro faz multitasking!

Consegue seguir o ritmo?

De como bem aprender uma sequência de dança

As crianças devem ir a pé para a escola

Investigadores da UC desenvolvem
guia inteligente de apoio a cegos

O nariz delas é melhor do que o deles

De como a realidade virtual pode «medir»
os delinquentes sexuais

Cancro do pulmão pode ser diagnosticado
anos antes de ser detectado por imagem

Distractores ambientais influenciam
a atenção e a memória dos mais velhos