Receba as notícias:

Plástico decompõe-se na água e liberta elementos tóxicos

Estudo contradiz a ideia
de que este material é indestrutível

2009-08-21
A situação no Oceano Pacífico é preocupante
A situação no Oceano Pacífico é preocupante
Um estudo dado a conhecer esta semana indica que o plástico se decompõe rapidamente na água. Ao decompor-se, liberta substâncias muito tóxicas.

Liderada pelo Katsuhiko Saido, a investigação foi apresentada quarta-feira em Washington, no 238º Encontro Nacional da American Chemical Society, que ontem chegou ao fim.
O plástico que se utiliza diariamente é considerado estável. Contudo, os investigadores descobriram que no oceano se decompõe por estar exposto ao sol, à chuva e às mais diversas condições ambientais.

Segundo Katsuhiko Saido, químico e professor da Faculdade de Farmácia da Universidade de Nihon, Japão, esta fonte de contaminação está para durar. Só no Japão são despejados para o oceano todos os anos 150 mil toneladas de plásticos.

A sua acumulação cria vastas extensões de resíduos que flutuam nos oceanos, como a conhecida “ilha do lixo”, no Pacífico (entre a Califórnia e o Havai) que tem sensivelmente o tamanho da França.

Segundo o estudo, o poliestireno (esferovite) começa a decompor-se passado apenas um ano, libertando componentes dentro dos ecossistemas marinhos.

Quando o plástico se decompõe liberta bisfenol-A e oligómero para a água, causando poluição adicional.

Normalmente os plásticos não se desfazem no corpo do animal que o ingere. No entanto, as substâncias libertadas na decomposição são absorvidas e podem ter efeitos adversos.

O bisfenol e o oligómero são fontes de preocupação porque podem interromper o funcionamento das hormonas dos animais e afectar seriamente o sistema reprodutor.
JOSÉ ALOÍSIO PORTES
2009-08-24
02:50
É MUITO PREOCUPANTE PARA NOSSA SAÚDE E PARA A DO PLANETA TAMBÉM. DEVEMOS CRIAR UMA FORÇA TAREFA E COMERÇARMOS A MUDAR NOSSOS HÁBITOS EM RELAÇÃO AO PLÁSTICO COM PEQUENAS AÇÕES, COMO O USO DE SACOLAS RETORNÁVEIS, POR EXEMPLO, QUE SÃO MAIS BONITAS E NÃO PRECISAMOS FAZER PROPAGANDA DE GRAÇA PRA NINGUÉM PELO MEIO DA RUA (RSRSRSRS). OUTRA MUDANÇA SIMPLES TAMBÉM ESTÁ NA COMPRA DE PRODUTOS COM O MÍNIMO DE EMBALAGEM POSSÍVEL, PRINCIPALMENTE O PLÁSTICO. NÃO PRECISAMOS DE AÇÕES FARAÔNICAS PARA SALVAR O PLANETA, É NECESSÁRIO QUE CADA UM FAÇA SUA PARTE, SUA PEQUENA PARTE.
Luís Alves de Fraga
2009-08-24
11:21
Em nome do bem-estar pessoal destamos a destruir o bem-estar dos nossos filhos e netos! É uma frase vulgar, mas que necessita ser meditada...
Alcides Garcia Ortiz
2009-08-24
19:36
No Brasil, temos um programa com relação ao plástico. Existe pessoas catadoras de plásticos elas catam, vendem as indústria de reciclagem e fazemos novamente o plástico.
Alexandra Boga
2009-08-25
02:01
Uma ilha de lixo com o tamanho de França???? E nunca tinha ouvido falar sobre isso! Isso deveria ser divulgado por todo o mundo!! Não fazia ideia que a poluição derivada dos plásticos era tão brutalmente grave!! Até dá raiva... e ainda fazem caras estranhas, em certos supermercados, quando eu levo a minha mochila no lugar de pedir sacos de plástico..... :-( isto é GRAVE, eu não tinha a noção...
Maria Gomes
2009-08-25
10:07
Vamos todos nunca mais parar de lutar pela Natureza.
O plástico é um perigo e deve ser considerado assim, em nosso quotidiano.
É preferível ser radical neste sentido a ser alienado. A vida agradece.
Fabio Ferreira Caramez
2010-06-10
15:53
Qual e a fonte de informacao oficial que afirma o lancamento de 150 mil ton ano de plastico no oceano pelo Japao? E que tambem afirma a formacao de tal ilha de plastico no meio do oceano pacifico. Pq o Japao lanca lixo plastico no oceano e nao tem outro destino para este tipo de residuo? Qual e a fonte original e oficial desta informacao? Pergunto apenas para verificar se esta informacao e confiavel e cientificamente fundamentada. Se os fatos aqui descritos sao realmente verdadeiros, a nossa civilizacao esta a beira do caos e da loucura. Levando-se em conta que o Japao e um pais desenvolvido e referencia tecnologica, como explicar tal fato para a humanidade?

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Nova lei da investigação clínica
publicada hoje em Diário da República

Dor condiciona actividades diárias dos doentes mais idosos

Fraunhofer Portugal Challenge premeia a ciência nacional

Investigadores da UC localizam a distribuição celular
da proteína envolvida na Alzheimer

Cocktails de pesticidas prejudicam a saúde dos solos

Polémica das Ciências do Mar:
resposta ao coordenador do painel de avaliação

Cancro de Mama “Triplo-negativo” e Metástases do Cérebro
«vencem» bolsas de investigação da Associação Laço

Galaxy Zoo abre as portas do Universo

“Será realista o mundo de Avatar ?”

São João da Madeira vence “Dá Power ao Electrão”

“Jogar” na Sala de aula: estudo da UC defende
a utilização de dispositivos móveis no ensino

Fobias: quem tem medo compra um cão!

Bolsas para Ciências do Mar: críticas vindas a público
são totalmente desprovidas de fundamento

Estudo sociológico sobre jovens portugueses/as
vence prémio mundial

Alunos do secundário desvendam a física das partículas na UMinho

Sabe escolher azeite de qualidade?
Se vai só pela acidez está errado!

Projecto internacional da UA mostra vantagens
da iluminação pública inteligente com LED

Candidatos denunciam irregularidades
na atribuição de bolsas da FCT

Cientista português ligado
a nova investigação sobre Alzheimer

Cancro e diabetes: políticas a longo prazo
reduzem incidência de casos

Quinta do Seixo é caso de estudo
para especialistas europeus em biodiversidade

Trinta concorrentes disputam meia-final do FameLab

Veneno de caracol marinho letal pode facultar
novos tratamentos para a dor crónica em humanos

Cientistas portugueses no maior projecto da UE
contra a degradação dos solos europeus

Inaugurada estação de seguimento do Galileo
em Santa Maria, Açores

Pressão para que as mulheres se casem
ainda é grande no século XXI

O doce sabor amargo de um trabalho
de Química Alimentar da UP

A menina dança? E na sua cabeça o que se passa?

Rastreio do cancro do cólon e recto: porque fazer e como fazer

Perspetivando os próximos invernos – interrogações
como que na ponte de um superpetroleiro