Receba as notícias:

Redes sociais capazes de «envenenar» relações

Estudo revela que Facebook cria ciúmes e aumenta tensão entre casais

2009-08-27

Que ‘a curiosidade matou o gato’ já se sabia. Porém, a curiosidade aliada às redes sociais que proliferam na Internet pode contribuir para ‘matar’ as relações. Um estudo do Departamento de Psicologia da Universidade de Guelph, no Canadá, revela que o Facebook pode provocar situações graves de ciúmes

O funcionamento da maior parte das redes sociais – como Facebook, Hi5, Myspace, Netlog, etc. – é quase sempre semelhante e implica uma actualização frequente de cada participante que no seu espaço é impelido a colocar, entre muitas coisas, fotografias, imagens, dados pessoais, interesses, partilhando-o com ‘amigos’ que podem ver e comentar essas informações. Porém, esse fluxo contínuo de informação desperta a curiosidade e pode levar a más interpretações.

"O Facebook permite o acesso a informação a que de outra forma não acederíamos e essa informação carece muitas vezes de contexto", explica Amy Muise, uma das autoras do estudo. É que um comentário banal sobre o perfil de um participante feito por um contacto do sexo oposto pode despertar a suspeita no seu parceiro que passa a acompanhar aquela página, qual espião, só para encontrar mais informações.

As redes sociais acabam assim por expor os seus participantes ao que a investigadora considera serem “detonadores de ciúmes” já que se vêm envolvidos numa “espiral de desconfiança”. O estudo, que envolveu 308 estudantes universitários entre os 17 e 24 anos, mostrou que os sentimentos de insegurança sobre o parceiro podem causar comportamentos curiosos sendo o Facebook o acesso fácil a essa informação.

Privacidade

Um grupo de cinco utilizadores do Facebook na Califórnia apresentou este mês uma acção contra a rede social, alegando que viola as leis de privacidade daquele estado ao divulgar informações pessoais sobre os seus participantes sem os informar devidamente.

Não é a primeira vez que o Facebook está a enfrentar queixas ou críticas pela forma como lida com dados privados, o que levou a empresa no início deste ano a alterar as suas regras de utilização, dando aos utilizadores mais controlo sobre a sua privacidade.
Tim
2009-08-28
11:47
Curioso este estudo do Departamento de Psicologia da Universidade de Guelph. Que apesar de grande parte dos indivíduos já terem percebido (ou deviam), a forma como estas "redes sociais" afectam as relações interpessoais, conseguiu objectivizar e definir (muito bem) o problema: "detonadores de cíumes" e "espiral de desconfiança". Falta adicionar a este facto, a completa inutilidade que é para a Internet os sites de "redes sociais". Em vez de utilizarmos esta grande "teia" que é a Internet para procurar informação preciosa sobre assuntos que nos interessam, andamos a "coscuvilhar" informação que se adquire na compra de revistas "cor-de-rosa".
Isabel Quelhas Ribeiro
2009-08-28
15:37
Concordo!!!!
Daniel
2009-08-28
16:42
sinceramente acho que estes sites deviam eram ser fechados. só criam problemas entres casais e entre muitas outras coisas. esses sites devem é ser fechados, para evitar divorcios e más relaçoes ou ate conflitos.
Tim
2009-08-30
12:56
Concordo Daniel. Até porque normalmente o que acontece, numa relação em que está instaurado o "conflito redes sociais", é que um dos indivíduos acha (ou não quer admitir) que os cíumes da outra pessoa são infundados. Mais tarde quando o caso vira ao contrário, esse indivíduo tem uma explosão de cíumes ainda pior. Concluindo, estas "redes sociais" têm um impacto complexo nas relações interpessoais. E esse impacto é contínuo, e vai escavando na mente do indivíduo. Razões mais que suficientes para que se tenha realizado este estudo, e para que se divulgue este problema. Problema esse que agora começa a afectar não só a "juventude", mas os pais também, que entretanto foram aderindo.
Alexandre Moleiro
2009-08-30
13:22
O que não deixa de ser curioso é logo abaixo do título do artigo existir um botão para partilhar este artigo nas "redes sociais". Botão que acabei de usar!
Dina
2009-08-31
11:35
Concordo plenamente. É triste verificar que se acaba por escrever a alguém coisas que nem se sente verdadeiramente mas que, num momento menos forte ou mais infantil, deixou sair... E as palavras ficam escritas, no facebook e na memória de quem ama essa pessoa; para sempre...
Acabem com estes supostos caminhos para a "amizade"... Os dias cada vez estão menos verdadeiros à conta deste meios na internet...
Daniela
2009-08-31
12:06
ninguém é obrigado a criar uma página nestas redes sociais. Só tem pagina no hi5 e facebook quem quer... não queres problemas, não uses ou então se já usas, apaga!!
luis brissos
2009-08-31
12:26
Este tipo de estudos não são pioneiros, e quanto à parte de serem cancelados eu discordo, as pessoas é que não sabem utiliza-las correctamente...e já agora onde é que posso obter esse estudo?
Anita Vilar
2009-08-31
16:27
Na verdade, em relação a isto, tive uma experiência que considero interessante. Parti um pé e ao fim de 1 mês de gesso e imobilidade e, embora tenha aproveitado para pôr a leitura em dia, confesso que já estava um pouco cansada e uma amiga aconselhou-me entrar numa dessas redes. Creio que hoje tem o nome de Netlog. E entrei e o que encontrei impressionou-me vivamente. Gente só, insegura, com relações afectivas pouco compensadoras, onde o diálogo não existia, relaçoes perturbadas, procura de emoções; também era uma feira de vaidades onde publicavam poemas e textos, poucos com real qualidade, mas onde se adulavam mutuamente, mas em que as pessoas paceriam contentes. Também era usado com a finalidade de gerar ciúmes ou de dizerem ao outro que algo estava mal, porque muitas pessoas, subconsciente ou conscientemente deixava "sinais" para que o outro pudesse ir ver e ler o que lá estava.Fui saneada, porque decidi falar de coisas "mais sérias" e consegui uma pequena rede de jovens com os quais trocava ideias culturais e politicas. Um dia não me deixaram entrar. Acusação: tinha publicado uma imagem pornográfica! que era um quadro de Picasso, uma Maternidade, um quadro belissimo! Tb tinham cortado esses jovens! Para eu voltar, teria de me retratar! segundo os responsáveis portugueses que me informaram que tinham sido os responsáveis americanos pelo site!!! Claro que não voltei nem me retratei. Portanto, o que se pretende desses sites é mesmo redes sociais de "amizade", voieurismo e as pessoas que lá andam sabem disso, em geral. Não sei como estão esses sitios actualmente, porque já lá vão 3 anos!
Acho o estudo interessante.
Lénia
2009-09-01
02:13
bem quanto há minha opinião, posso dizer-vos que tenho mais que uma rede social, mas tal como o Luís Brissos, afirmou, as pessoas é que não sabem utilizá-las devidamente, é uma verdade, concordo com ele. Eu posso ter imensas redes e não são elas que me alteram a minha atitude, amo imenso o meu amor, e não é por ter mais de 12 sites sociais, que vou traír.
Agora uma coisa eu digo-vos:
Qual é o amor verdadeiro que traí?
Será isso amor? Ou será atracção, quando se traí, ou será interesse, ou química?
Eu tenho imensos sites sociais e revelo zonas de Turismo, para as pessoas visitarem, e rever amigos de muitos anos, mas confesso que vejo imensas pessoas críticas e sem amor próprio, e que nem sabem o que é o Amor, e isso eu fico triste, porque não existe respeito em sites sociais, pelos mais novos, não existe bom senso, nem boa educação.
Por isso digo-vos nada melhor que criar um blog em sites sociais ou jornais, e escrever com amigos, e pessoas de bem.
As pessoas que traíem em sites sociais são pessoas que não sabem amar, não sabem respeitar e nunca tiveram uma boa educação, porque eu em sites sociais, escrevo com amizades que se eles não me respeitarem bloquei-os logo, e se tiverem segundas intenções nem conseguem mais dialogo comigo.
Vivam o presente e saibam melhor o que é a vida, com quem amam, e não se esqueçam de dialogar mais com quem amam, porque isso e a fraternidade e comunicação e respeito e bom senso é um caminho para a felicidade e entre os 2, ou o casal, não são sites sociais q vão alterar as pessoas, só se elas forem influênciadas e não tiverem personalidade própria, nem forte como eu tenho, e serem sempre vencidos e não vencedores.
boa semana para todos, e espero que concondem comigo.
Amélia Resende
2009-09-01
03:16
Importante e esclarecedor este estudo.Estou completamente de acordo com o último comentário.É o "tricot" da net,precisamente as tais redes sociais.
Maria
2009-09-10
22:25
Este tipo de sites compensa quem não tem na realidade amigos, hobbys e coisas com verdadeiro interesse para ocupar o tempo. Se apanharmos alguém interessante é bom acompanharmos o seu trabalho, quando exposto, caso contrário os diálogos ficam pelo AH!AH!AH!, EH!EH! etc... típicos de mentes brilhantes.
Klaudya TH
2009-09-22
12:19
Pois...como costumo dizer... quem entra na chuva é para se molhar! Melhor curtir cada gota molhada que cair no seu corpo... isso é ter inteligência emocional e , já agora, qdo não quiser mais curtir a chuva...sair debaixo dela antes de parar...ficar na janela a olhar a chuva também é gostoso e...já está seca e já curtiu o que devia curtir. Tudo tem o seu tempo e a sua hora !
Tommy
2009-12-28
16:46
Nestas coisas das redes sociais, exitem sempre os pós e os contras, isso é uma verdade, verdade é que também eu já fui um usuario bem assiduo nessas andanças, mas,assim como a vida muda, tambem na net as coisas deviam melhorar, mas pelo contrário, de facto so se regista quem quer, contra factos não há argumentos,depois de uns bons anos, talvez uns 6 anos de messenger, hi5, netlog, netjovens...etc...decidi acabar com tudo e de me deixar expor a tanta coisa desconhecida por essa net fora.
Ao principio é tudo muito giro e interessante quase diria, que mágico se torna, mas quando percebemos que estamos a ir longe de mais ao expor mos a nossa personalidade, o nosso carácter, e ate a nossa integridade fisica...paramos para pensar, eu pensei e hoje nao tenho nada disso, tenho sim uma familia maravilhosa, um mulher a quem amo e um filho a quem amo igualmente. Todos os dias somos alvos de algo, mas basta dizer que NÃO e a nossa vontade deverá ser respeitada. Não vamos fazer confusao com internet e redes sociais, a internet é de facto muito util e demonstraque assim o é para milhoes de utilizadores ja as ditas redes sociais servem para os mais fracos.
Boas Festas para todos.
valente
2010-01-03
11:54
nao precebo como uma rede social pode arruinar um casamento por amor de deus eu possuo varias contas em hi5 facebook myspace e recebo varios pedidos de amizades mas tudo tem o seu tempo
Anónimo
2010-02-03
00:30
Não sou utilizador de qualquer rede social.
Contudo, acho triste que alguns de vós encontrem a solução das vossas relações (pelos vistos bem mais vazias do que os supostos vazios cibernautas) no fim das redes sociais.
anonimo
2010-02-09
20:18
Tenho doze anos e ando a estudar esta materia. Ando muito pelas redes tenho quase todas o estudo está correcto mas tb so se adiciona a pessoa que queremos
Paulo Coelho
2010-05-04
15:36
Foram estudados "308 estudantes entre os 17 e 24 anos de idade". Exactamente o grupo social com mais "estabilidade nas suas relações amorosas", e com maior "sensatez" nas suas relações interpessoais........ E daí, extrapolou-se que a redes sociais são perigosas.... fantástico!!!!

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Esperar ou não esperar
- o papel da confiança na tomada de decisões

Implantes dentários «ganham» volume ósseo

Em Portugal um tratamento específico
depende da região onde se mora

Eousdryosaurus, o pequeno dinossauro
que viveu num tempo de gigante

Um em cada quatro já traiu

A Ciência da Gestão de Ciência e Tecnologia
– reflexões de uma despedida

A ansiedade de estar doente no hospital?
O ambiente do quarto pode ajudar!

Prémio António Champalimaud reconhece tratamento
revolucionário de doenças graves da visão

João Rocha é o primeiro português
da European Academy of Sciences

O Porto na Guerra Fria

Nariz electrónico pode detectar
subgrupos de asma nas crianças

Oceanos de Esperança chegou a Boston

Braga quer construir travessas de caminho-de-ferro
com resíduos de plásticos mistos

Comer com sucesso no Mercado do Bom Sucesso

Lars Montelius é o novo director do INL

José Xavier participa no Atlas
sobre vida marinha no Oceano Antárctico

Utilizar Software de Código Aberto
permitiria ao Estado poupar milhões de euros

Trás-os-Montes apresentou no MInho cremes inovadores
que ajudam no tratamento de queimaduras, feridas profundas e psoríase

Sistema reduz de meses para dias o tempo necessário
para os cientistas testarem hipóteses

Empresa tecnológica de Braga serve milhões de pessoas

Investigadores de Coimbra avançam na luta
contra a febre da carraça e tifo epidémico

Uma «estranha» forma de atracção

A tinta que «pinta» a energia da luz solar em energia eléctrica

Amamentar diminui o risco de depressão pós-parto

Portugueses do IMM abrem caminho
a nova terapêutica para leucemia pediátrica

Quando o chichi «dá» luz!

Menos nicotina não quer dizer mais cigarros

Não-me-esqueças, a planta rara redescoberta no Corvo

Da felicidade à dor: entender a função da serotonina

Treinar o cérebro para melhorar a capacidade mulitarefa