Receba as notícias:

Novo código de barras generalizado até 2014

É apresentado hoje novo sistema de identificação de produtos que inclui mais informação

2009-10-09
Novo código de barras tem mais informação
Novo código de barras tem mais informação
Data de validade e origem do produto serão algumas das informações que passarão a ser fornecidas pelo novo código de barras que é hoje apresentado e que começará a ser utilizado em todo o mundo a partir de 2010.

Este novo processo “vai trazer um grau acrescido de protecção ao consumidor”, disse à agência Lusa Silvério Paixão, responsável pela área de codificação da GS1 Portugal, Associação Portuguesa de Identificação e Codificação de Produtos (CODIPOR).
Esta protecção, explicou o responsável, resulta do facto de o novo código de barras passar a incluir mais informação, como a data de validade, impedindo assim a compra de produtos cujo prazo de consumo já tenha terminado.

O novo código, que será mais pequeno que o actual, terá ainda vantagens na avaliação dos stocks por parte dos comerciantes e poderá ser aplicado em frutas e legumes, algo que hoje não é possível e que trará custos para os produtores, uma vez que a colocação do código será da sua responsabilidade.

Silvério Paixão explicou que a partir de 1 de Janeiro de 2010 todos os países do mundo entrarão num “período de transição” para o novo código de barras, período esse que durará quatro anos.

Será então a partir do início de 2014 que “os produtores e distribuidores terão de começar a adaptar-se, a fazer acordos de parceria e a preparar o software que permita a leitura do novo código.

Silvério Gomes, da CODIPOR
Silvério Gomes, da CODIPOR
O responsável da CODIPOR explicou que, numa primeira fase, o código de barras sofrerá alterações ao nível do tamanho e da forma, de modo a assumir a estrutura do novo código, mas vai conter a mesma informação que contém actualmente.

Depois, “à medida que o tempo for avançando e que o novo software seja preparado, os novos códigos de barras passarão a incluir mais informações”, explicou. Estas adaptações serão da responsabilidade dos produtores e distribuidores, que terão de assumir respectivos custos.

Código de barras há 25 anos em Portugal

O actual código de barras, em utilização em Portugal há 25 anos, engloba 13 dígitos e foi criado para tornar mais rápido o processo de compra nas caixas registadoras, para evitar as grandes filas, entre outras funcionalidades.

Em Portugal começou por ser implementado pelas grandes superfícies comerciais e hoje a CODIPOR tem, entre distribuidores, produtores e parceiros tecnológicos, mais de 6500 associados que participam no sistema de codificação comercial global.

A CODIPOR - GS1 Portugal é a entidade portuguesa responsável pelo registo destes códigos em Portugal e está associada à GS1 a nível internacional.
paulo oliveira
2009-10-10
18:56
espero que se continue a saber o país de origem dos produtos através deste sistema... 560 são os dígitos que identificam Portugal
ex: 560 xxx xxx
um abraço
Maria Pereira
2009-11-29
15:22
o código de barras deve de ser bem divulgado pela TV, Radio e outros, pois nem os próprios empregados de supermercados sabem os dígitos de Portugal

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Implantes dentários «ganham» volume ósseo

Em Portugal um tratamento específico
depende da região onde se mora

Eousdryosaurus, o pequeno dinossauro
que viveu num tempo de gigante

Um em cada quatro já traiu

A Ciência da Gestão de Ciência e Tecnologia
– reflexões de uma despedida

A ansiedade de estar doente no hospital?
O ambiente do quarto pode ajudar!

Prémio António Champalimaud reconhece tratamento
revolucionário de doenças graves da visão

João Rocha é o primeiro português
da European Academy of Sciences

O Porto na Guerra Fria

Nariz electrónico pode detectar
subgrupos de asma nas crianças

Oceanos de Esperança chegou a Boston

Braga quer construir travessas de caminho-de-ferro
com resíduos de plásticos mistos

Comer com sucesso no Mercado do Bom Sucesso

Lars Montelius é o novo director do INL

José Xavier participa no Atlas
sobre vida marinha no Oceano Antárctico

Utilizar Software de Código Aberto
permitiria ao Estado poupar milhões de euros

Trás-os-Montes apresentou no MInho cremes inovadores
que ajudam no tratamento de queimaduras, feridas profundas e psoríase

Sistema reduz de meses para dias o tempo necessário
para os cientistas testarem hipóteses

Empresa tecnológica de Braga serve milhões de pessoas

Investigadores de Coimbra avançam na luta
contra a febre da carraça e tifo epidémico

Uma «estranha» forma de atracção

A tinta que «pinta» a energia da luz solar em energia eléctrica

Amamentar diminui o risco de depressão pós-parto

Portugueses do IMM abrem caminho
a nova terapêutica para leucemia pediátrica

Quando o chichi «dá» luz!

Menos nicotina não quer dizer mais cigarros

Não-me-esqueças, a planta rara redescoberta no Corvo

Da felicidade à dor: entender a função da serotonina

Treinar o cérebro para melhorar a capacidade mulitarefa

Historiadores de linguística de todo o Mundo
reúnem-se na UTAD