Receba as notícias:

Encontrados cinco novos planetas

Telescópio espacial Kepler encontrou seus primeiros sistemas planetários

2010-01-05
Por Bárbara Gouveia
Imagem de um planeta semelhante a Júpiter (Cortesia NASA)
Imagem de um planeta semelhante a Júpiter (Cortesia NASA)
Enviado para o espaço a 6 de Março de 2009, o telescópio espacial norte-americano Kepler descobriu cinco novos planetas fora do sistema solar.

São conhecidos como hot Jupiters, pelas suas grandes dimensões e temperaturas extremas. Com tamanhos que variam entre uma dimensão semelhante a Neptuno e uma maior Júpiter, estima-se que a temperatura possa ir dos 1200 aos 1648 graus Célsius. Está assim excluída a hipótese de vida nestes exoplanetes com designações de Kepler 4b a Kepler 8b
Na opinião de Nuno Santos, investigador do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP), mais interessante do que a descoberta dos cinco planetas é a prova que “o Kepler está a dar frutos”.

Desde 1995 já foram descobertos, com outros telescópios, 415 planetas fora do sistema solar. Grande parte destes tem dimensões próximas de Júpiter mas uma densidade menor. São planetas inchados “não se sabe bem porquê mas são grandes em tamanho mas não em massa”, acrescenta o astrofísico do CAUP que acredita que “o Kepler vai trazer-nos algumas dezenas ou centenas de novos planetas”.

Esta missão, que decorre no mínimo até Novembro de 2012, pode contribuir para “compreender melhor como se formam e evoluem os sistemas planetários”, garante William Borucki, do centro de investigações Ames da NASA e responsável principal pela equipa científica do Kepler.

William Borucki, investigador principal (NASA)
William Borucki, investigador principal (NASA)
Segundo elucida Nuno Santos, com esta missão “vamos saber a massa e o raio dos planetas, o que nos permite calcular a densidade e conhecer melhor a sua estrutura interna”.

Brilho das estrelas

Graças a um fotómetro que permite medir as intensidades luminosas, o Kepler mede o brilho de mais de 150 mil estrelas de uma forma contínua e simultânea. Assim, este método detecta um planeta assim que este passe em frente a estrela.

A quantidade da intensidade de luz que diminui sempre que o planeta orbita em frente à estrela, permite calcular o raio desse planeta. Contudo, a massa é detectada em outras observações complementares a partir da Terra.

Jon Morse, director da divisão de Astrofísica da NASA, acredita que não faltará muito para o telescópio encontrar planetas mais pequenos com órbitas mais longas, “aproximando-se da descoberta do primeiro planeta análogo à Terra”.
isac
2010-01-06
15:18
boa
Gustavo Lepe
2010-01-07
01:23
Mais um passo. Estamos chegando lá!

Nossos atuais Colombos, Hojedas, Lepes e Pinzóns que não desistam. Estamos chegando lá!
Bruno CARVALHO. B.
2010-01-07
10:14
Acho formidável já tinha conhecimento que avia investigação fora do nosso sistema solar como é claro mas é super intresantissimo saber sempre algo novo.
parabéns!
Duarte
2010-01-11
20:57
gosto que haja novos planetas,eu gosto muito de astronomia.
BIANCA
2010-03-14
21:02
NOSSA LEGAL
BIANCA
2010-03-14
21:02
NOSSA LEGAL
Gerte Franklin
2010-03-24
23:46
Tais investigações e descobertas sobre o nosso sistema solar, nos leva a crer que em breve descubriremos que não estamos sozinhos no Universo.Parabéns.
Antonio Nunes
2010-03-31
04:17
NOSSA MUITO LEGAL ISSO.
EU ADORO ASTRONOMIA É BEM INTERESSANTE.
BEM QUE SERIA LEGAL SE NOS PUDESSEMOS MORAR NESSES OUTROS PLANETAS :)SO Q TEMOS Q CUIDAR DESSE PRIMEIRO E SE A GENTE FOR PRO OUTRO CUIDAR!!
jackeline
2010-04-01
20:45
hum que legal
Filipe
2010-04-27
16:01
Amo astronomia e adorei esta reportagem mas se investe milhões em dinheiro nisso em quanto isso milhares de pessoas morem de fome e de sede devemos pensar mais em nosso proximo antes disso
KEITH
2010-04-28
13:31
MUITO LEGAL
caiohenrique vieira de souza
2010-04-30
19:26
nossa achei muito legal esses novos planetas
lucas
2010-05-11
18:51
gostei da materia
camila
2010-05-14
03:46
legal e interessanteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee
simon w.da rosa
2010-05-15
20:01
bem legal mas tem q botar os nomes dos planetas e mais coisas de pesquisas de escola mas ta bom
john
2010-05-16
08:22
e estamos chegando la com a a nossa tecnologia estamos chegando lá daqui a pouco tamos chegando numa estrela que em média são 500 mil anos luz para chegar mas vamos lá...
thayna
2010-06-04
17:33
interessante melhor mais... tenho uma duvida existe vida lá? aliás esxiste vida em outros planetas?
lili
2010-06-09
03:07
interessante
fernanda
2010-07-25
23:39
Adoro astronomia, tenho varias reportagens sobre esse assunto,adoraria fazer faculdade desse tema. Mas será que existe vida fora da TERRA?
renato
2010-09-14
21:15
muito legal mas logo vamos decobrir vida em outro planeta só questão de tempo ...(se a nasa não já sabe né )
Maico
2010-10-06
20:03
po legal mesmo,,

tbm adoro saber noticias sobre planetas
quando tiver maior idade,desejo trabalhar com isso

pena q isso eh um poko inacretitavel pra min
pois naum façi a minima ideia como ser um astro da astronomia==:s
nilton
2010-10-12
01:07
Gosteí é muito legal
esther
2010-10-28
14:49
q massa meu e muinto interessante
Jean
2011-02-08
02:47
Muito Interessante!
Alba
2011-02-10
22:53
Extraordinário, interessante, espetacular, adorei essa descoberta. Gostaria de saber qual o nome dos cinco planetas que foram descobertos.
Alba
2011-02-10
23:03
Extraordinário, interessante, espetacular, adorei essa descoberta. Gostaria de saber qual o nome dos cinco planetas que foram descobertos.
Kalyta
2011-02-14
21:56
Que legal me ajudou bastante no meu trabalho !
Jessica Israela Maule
2011-02-15
01:20
Gente isso é muito legal, saber que existem mais planetas, e que existem ipoteses de existirem alguma outra vida fora do nosso planeta...
Legal de mais adorei
edson araujo
2012-01-07
13:39
muita gente duvida que tenhamos companhia no iniverso,eu não,é ipossivel que em dimensões universais estejamos sos,estamos preparadospara sabermos sobre nossos acompanhantes nessas louca viagem?
julia
2012-03-13
20:37
amo astronomia!
;D

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Detectar metástases pela axila e usar estímulos elétricos para recuperação motora

Crianças com melhor coordenação motora
apresentaram melhores resultados em tarefas cognitivas

Vai um queijo da Serra da Estrela com flor de castanheiro?

Nasce o maior instituto de investigação
em astrofísica de Portugal

Universidade de Aveiro «exporta» pastéis de nata

Como «infectar» as células vizinhas normais
tornando-as cancerosas

Mais mulheres menos cancro da próstata?

UMinho desenvolve método
para a libertação direccionada de fármacos

Para acabar (de vez?) com a turbulência nos aviões

Investigadores descobrem como os micróbios
constroem um poderoso antibiótico

Investigadora do CEDOC vence prémio FAZ Innovate Competition

UMinho cria gestor de exames à la carte

How tilapias use urine to attract females

UC participa solução inovadora
de apoio a pacientes em reabilitação cardíaca

Novos métodos para manter a qualidade das batatas

Cunha-Vaz distinguido com Prémio Albert C. Muse

Bactéria da flora intestinal de mosquitos
pode bloquear transmissão de malária e dengue

Subvalorizar o Ébola é crime!

Pepinos do mar já podem ser produzidos em aquacultura

A Ciência na educação pré-escolar

A guerra dos espermatozóides

O Viagra protege o coração para além do quarto

Premiado dispositivo portátil
para recuperar lesões desportivas

Aí está o andarilho inteligente motorizado
com «marca» portuguesa

Ajuda de emergência para «overdoses»

Investigadores portugueses abrem novas possibilidades
no desenho de vacinas contra o cancro

Porquê eu? Muitas mulheres que vivem na pobreza
culpam os filhos e a vida amorosa

O papel dos "oásis" oceânicos nas interacções
entre organismos marinhos

Planta substituta de sal desenvolvida
em cultura in vitro por aluna da UTAD

Trabalho de investigadores da UA
cruza-se com o do Nobel da Física 2014