Receba as notcias:

Novos tipos de diamantes encontrados em meteorito

Investigadores descobriram acidentalmente este material quando poliam pedaos do Haver

2010-02-05
Uma das zonas de carbono do Haver
Uma das zonas de carbono do Haver
Foram descobertos dois novos tipos de diamantes mais duros do que os que se formam na Terra. A equipa de investigadores achou este material no meteorito Haverö, que caiu na Finlândia há 39 anos. O estudo vai ser agora publicado na revista «Earht and Planetary Science Letters».

Este achado acidental aconteceu quando a equipa, dirigida por Tristán Ferroir, da Universidade de Lyon (França), estava a polir o pedaço do meteorito com pasta de diamante.
Durante o polimento do meteorito, os investigadores encontraram pontos carregados de carbono sobre a superfície. Estas zonas revelaram-se mais duras do que a pasta que estavam a utilizar.

O investigador Changfeng Chen, da Universidade de Nevada (Las Vegas), explica, em declarações ao «Discovey Channel», que quando ocorre um impacto, as camadas de grafite dos asteróides podem formar zonas muito resistentes na superfície.

O que aconteceu com o Haverö foi que as camadas de grafite devem ter aquecido o suficiente para criar laços entre elas, que é exactamente a fórmula que se utiliza para a fabricação de diamantes.

A equipa analisou os cristais com instrumentos de alta precisão o que permitiu confirmar que se tinha encontrado um novo polimorfo de carbono, assim como um tipo de diamante que se procurava há décadas mas que nunca se tinha encontrado na natureza.

Esta mostra é mais dura do que os diamantes regulares. No entanto, devido ao seu tamanho diminuto, não pode ser comparada aos diamantes ultra duros que se fabricam artificialmente. Ainda assim, os cientistas acreditam que a descoberta pode ajudar a criar diamantes artificiais ainda mais duros.

Artigo: Carbon polymorphism in shocked meteorites: Evidence for new natural ultrahard phases

Marco Cunha
2010-02-05
20:37
os aclamados "superdiamantes" j conseguem ser reproduzidos em laboratrio! o grande problema da gnese dos diamantes, segundo o ponto de vista geoqumico, seria a necessidade de temperaturas e presses elevadas para a sua formao e, na natureza ainda necessrio que os quimberlitos (rocha-me dos diamantes) tenha uma ascenso muito rpida at ao nvel fretico, onde ocorre uma exploso com o contacto sbito da gua. Os diatremas, tiveram de ter uma ascenso de cerca de 80km/h para no haver regresso do diamante para grafite. Ora que no espao, a presso nula, ou prxima de 0, e aos modelos do Planeta Terra isso no acontece. Esses "superdiamantes" tm um custo de produo bastante reduzido, necessitando apenas de um diamante-semente, metano, gua e uma temperatura de cerca de 1200C e, o diamante-semente como que "crescer" centmetros em 5 ou 6 dias! os diamantes pelas suas caractersticas (bom condutor, elevada resistncia, etc) poder vir a ser um substituto da slica em termos de componentes informticos e afins, pois, alm de ser melhor condutor elctrico (caracterstica conferida pela molcula) e, podendo aumentar consideravelmente a velocidade de transmisso e processamento de dados, no aquece to facilmente como a slica! Os superdiamantes so ainda cerca de 50% mais duros que os encontrados na Terra, podendo traduzir um nmero enorme de aplicaes devido a esse efeito!
marina
2010-05-17
17:06
que bom

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

ltimas notcias

Menopausa e a osteoporose: estudo premeia
investigadora de Coimbra

A revoluo dos filmes de cristais lquidos

Abutre-preto volta ao Alentejo 40 anos depois

Grafeno mais slica: a revoluo
da indstria tecnolgica do futuro

De como um smartphone pode controlar
a qualidade dos leos de fritar

Ctedra do Real Madrid aprova projecto que envolve
a Universidade de Trs-os-Montes e Alto Douro

Antnio Damsio profere conferncia no Porto

Investigadora portuguesa revela novo mtodo
de deteco precoce de cancro do pncreas

Universidade da Beira Interior
com avanos no cancro da prstata

Investigadores portugueses distinguidos
por avanos na rea da dor

Identidade, valores, modernidade: o meu livro
sobre o pensamento de Onsimo Teotnio Almeida

Nanopartcula entrega molculas teraputicas
a tumores cerebrais malignos

Portugal conquista prmio europeu
de conservao da natureza

E se lhe oferecerem um cho inteligente?

Plantas portuguesas do origem a infuses de qualidade premium

CR7 j no uma estrela! uma galxia!

EGO em Aveiro: uma pea do inventor da plula

Estrutura social importante na conservao de espcies

Philae acordou e mandou notcias

Coimbra indica nova direco para o tratamento
dos vrios tipos de cancro

Aveiro cria o anjo da guarda dos condutores

Cientista portugus financiado por March of Dimes
para estudar malria durante a gravidez

Barcelona cria sistema para avaliao cognitiva
de trabalhadores com deficincia cognitiva

Jos Carlos Prncipe: inovao e cincia
ao servio das empresas

Dar uma mo ou uma pata
o que nos leva a ajudar os outros?

Metodologia inovadora no diagnstico
e tratamento do cancro da mama

Cafena eficaz no combate depresso
revela estudo internacional liderado pela UC

A cultura portuguesa e a cultura das cincias

Um olhar sobre o futuro do sistema
da reviso por pares na academia

UMinho encontra novos marcadores para a doena obsessivo-compulsiva