Receba as notícias:

Metacognição na Internet

Artigo

2006-08-26
Por Por Maurício Peixoto *

A metacognição surge na literatura científica durante a década de 70 como um discurso de segundo nível sobre a cognição. Isto é, refere-se ao grau de consciência que o aprendiz possui sobre o seu próprio processo de aprendizagem. Até ao momento, tem-se desenvolvido em duas grandes áreas. Por um lado, em estudos básicos visando compreender o processo de aprendizagem. Por outro, de forma mais aplicada, como ferramenta no processo de ensino-aprendizagem.

*   Professor Adjunto do Laboratório de Currículo e Ensino; NUTES - Núcleo de Tecnologia para a Saúde; UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro. O artigo é co-assinado por   Roberta Pereira Coutinho; Marcos António Gomes Brandão; Viviane Modesto Ferraz

No entanto, compreensivelmente, tem sido estudada apenas em ambientes presenciais, já que se trata de consciência sobre processos internos do pensamento. O presente estudo testa a hipótese de que a metacognição pode expressar-se também em ambientes virtuais, sendo passível sua identificação nas mensagens de membros de uma comunidade virtual de enfermagem.

Do ponto de vista do presente estudo, “evento metacognitivo” foi caracterizado quando, na mensagem, foi possível identificar características que permitiram inferir algum tipo de actividade reflexiva do aprendiz que demonstrasse algum grau de consciência sobre os seus processos cognitivos e/ou conduzindo a este. Seus objectivos foram: a) identificar eventos metacognitivos nas mensagens dos membros da comunidade virtual b) caracterizar tais eventos em relação ao tipo apresentado (Pessoa, Estratégia e Tarefa). 

O tipo de abordagem metodológica utilizada foi do tipo survey com desenho sociométrico, tendo como material para análise do conteúdo, as mensagens postadas por membros do grupo de discussões em enfermagem, cenário desta pesquisa, até o sexto mês de existência. Foram encontradas 261 mensagens contendo eventos metacognitivos, das 934 analisadas neste estudo. Destas, 180 ocorrências são do tipo Pessoa, 115 são do tipo Tarefa e 64 são do tipo Estratégia. Estes resultados indicaram que existe actividade metacognitiva nesta Comunidade Virtual e que ela pode ser expressa e identificada em registros textuais.

Acredita-se, que este resultado possa ser extensível a outras comunidades destinadas a aprendizagem.

josete Dias
2007-06-17
10:21
Tenho me interessado por esta discussão. Acredito que podemos sim utilizar a metacognição em vários ambientes de aprendizagem, porém no presencial devido a relação direta dos sujeitos dos processos de ensinar e aprender essa discussão deva se inserir em uma dinâmca áulica colaborativivos, interacionais.
Prof. Mauricio A. P. Peixoto
2008-08-06
13:38
Concordo com você. Em minhas aulas, os aspectos metacognitivos tem um papel importante, que claro varia conforme o conteúdo a ser ministrado. Nas disciplinas de aprendizagem que ministro, a metacognição é parte integrante da ementa. Já ao trabalhar com Metodologia Científica, embora presente, é estimulada mais como ferramenta de mudança e aprendizado.
Sannya Rodrigues
2010-06-09
13:48
Olá, prof. Maurício Peixoto e sua equipe!
Iniciei minha investigação de doutorado exatamente sobre o tema da metacognição em ambientes de colaboração online. Gostei muito da publicação dos resultados da vossa pesquisa, os quais já me ajudaram a organizar algumas ideias para a investigação em curso. Como podemos obter mais informações sobre a pesquisa realizada?

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Uma «estranha» forma de atracção

A tinta que «pinta» a energia da luz solar em energia eléctrica

Amamentar diminui o risco de depressão pós-parto

Portugueses do IMM abrem caminho
a nova terapêutica para leucemia pediátrica

Quando o chichi «dá» luz!

Menos nicotina não quer dizer mais cigarros

Não-me-esqueças, a planta rara redescoberta no Corvo

Da felicidade à dor: entender a função da serotonina

Treinar o cérebro para melhorar a capacidade mulitarefa

Historiadores de linguística de todo o Mundo
reúnem-se na UTAD

A espantosa capacidade de regeneração do pâncreas

Ébola não é porventura tão temível como a gripe

Bloquear os canais de potássio pode salvar vidas

Técnicas de meditação associadas ao budismo tibetano
podem melhorar o desempenho do cérebro

O meu automóvel conduz, estaciona e recarrega-se sozinho

Congresso Mundial de Investigação marinha
no Oceanário de Lisboa

Iraniana é a primeira mulher
a ser distinguida com o «Nobel» da Matemática

Alunos da UMinho desenvolvem protótipos todo-o-terreno

Todos pela Antártida

A Roseta foi ao cometa

Concelhos despovoados e com poucos bombeiros
são os mais atingidos pelos fogos

As barreiras dos serviços de saúde
que afectam os imigrantes

As barreiras dos serviços de saúde que afectam os imigrantes

“La réalité n’existe pas”

Como os mamíferos e as moscas se alimentam:
semelhanças surpreendentes

Células "secundarias" do sistema nervoso são afinal cruciais
para a cognição e doenças mentais

As duas caras da misteriosa Azobenzeno

Investigadores do Minho premiados no Brasil

Avanços na compreensão da doença de Parkinson
abrem novas portas terapêuticas

Ciência Hoje não tem férias! Apoie este jornal!