Receba as notícias:

Determinação sexual difere entre mamíferos e aves

Estudo analisou três galinhas ginandromorfas
(com características de ambos os sexos)

2010-03-11
Samanta ou Samuel? Os investigadores dizem que é ambos
Samanta ou Samuel? Os investigadores dizem que é ambos
A determinação sexual entre aves e mamíferos acontece de um forma radicalmente diferente. Uma equipa de investigadores do Instituto Roslin, da Universidade de Edimburgo (Escócia), chegou a esta conclusão estudando três galináceos ginandromorfos, ou seja, com características de ambos os sexos. O artigo está agora publicado na «Nature».

A equipa descobriu que quase todas as células das galinhas têm uma identidade sexual inerente. Esta definição sexual «célula por célula» contrasta com a situação dos mamíferos, em que a identidade sexual é estabelecida através das hormonas.
Um dos galináceos estudados foi o ambíguo Sam (de Samanta e de Samuel). Em um dos lados, Sam era um galo perfeito, apresentando penugem esbranquiçada e músculos bem desenvolvidos. Do outro lado, as penas eram castanhas e os músculos mais delgados, como é normal nas galinhas.

Até agora, os cientistas pensavam que a determinação sexual dos pássaros seguia os padrões dos mamíferos.

As células dos embriões humanos são assexuadas até as gónadas (testículos ou ovários) se diferenciarem na sétima ou oitava semana de gestação. As hormonas segregadas pelas gónodas determinam, então, o sexo do embrião e de todas as células que ele contém.

Michael Clinton, do Instituto Roslin (Edimburgo)
Michael Clinton, do Instituto Roslin (Edimburgo)
Não se conhecem todos os segredos que determinam o sexo. Contudo, sabe-se que um gene localizado no cromossoma Y (SRY) induz o desenvolvimento dos testículos.

No caso dos galináceos, as galinhas são ZW e os galos são ZZ. A equipa de investigadores liderada por Michael Clinton esperava, no estudo, encontrar num dos lados, uma anomalia cromossómica que os pusesse na pista de um gene crítico similar ao SRY.

Mas não encontraram. Sam é verdadeiramente metade macho, metade fêmea. As suas células, distribuídas de forma assimétrica, ou são ZZ ou ZW. Portanto, todas as células são submetidas ao mesmo «banho» hormonal.

Assim, concluem que as hormonas não são as principais responsáveis pela determinação do sexo no galo e na galinha e que as suas células têm uma identidade sexual antes do desenvolvimento da gónoda.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Descoberta da Universidade de Coimbra pode ajudar
a tratar doenças do coração

Eco Camp revela cidade completamente sustentável

Esperança média de vida mundial
cresce seis anos mas com pior saúde

Implicações da expansão do Canal de Suez
na biodiversidade marinha do Mediterrâneo

Vacina universal contra a gripe
pode estar mais perto de ser desenvolvida

UTAD aposta em “jardins terapêuticos”

Café ajuda no combate ao cancro do cólon

Em busca da matéria escura

Trabalhar em demasia potencia risco de AVC

Cigarro electrónico é menos nocivo do que o normal

Já pode consultar estado dos incêndios em tempo real

Doutorando português vence prémio internacional

OMS cria em Macau centro de cooperação
para a medicina tradicional chinesa

Inadequação social, desemprego e problemas financeiros
«ajudam» a manter consumo de drogas

Brasil poderá ter vacina contra dengue em 2018

Médico português cria ‘app’ para diagnosticar
doenças sexuais masculinas

Português recebe prémio de melhor tese
de doutoramento do Mundo

Cientista português participa em estudo que revela
perturbações idênticas às da esquizofrenia e autismo

Brasil constrói laboratório de combate à tuberculose
em São Tomé e Príncipe

Docente da Universidade de Coimbra
preside a rede europeia

Fórum Económico Mundial destaca start-up da UMinho

Campanha de vacinação em Timor-Leste
beneficia mais de 93% das criança por cento

Suplemento alimentar para vacas leiteiras
reduz emissões de metano

Como proliferam as células dos vasos sanguíneos
em redor de um tumor

Sistema híbrido à base de hidrogel
«ataca» cancro da próstata

Insecto vai atacar uma das piores plantas invasoras em Portugal

Português na descoberta de que redução de enzima
na doença de Parkinson abre portas a novos tratamentos

Viagem aos primórdios portugueses do darwinismo social

Mais de 500 genes podem afectar a audição

Descoberto mecanismo que permite à melatonina
combater células cancerígenas