Receba as notícias:

Produção de roupa a partir de fibras do caule de cânhamo

Indústria têxtil europeia congrega dez investigadores de seis centros tecnológicos

2010-05-03
Fibras de cannabis usadas na indústria têxtil
Fibras de cannabis usadas na indústria têxtil
Uma equipa de investigadores portugueses conseguiu extrair e separar com êxito as fibras do caule do cânhamo, aplicando-lhe as propriedades necessárias à confecção de vestuário técnico apenas com estas fibras naturais, segundo foi hoje anunciado. Iniciado há um ano, o projecto partiu de um desafio lançado pela indústria têxtil europeia e congrega dez investigadores de seis centros tecnológicos de Portugal, Espanha e França.
O objectivo do projecto FIBNATEX – Produção e Valorização Técnica de Fibras Naturais para a Indústria Têxtil do Sudoeste Europeu - é a criação de tecidos cem por cento de fibras naturais do cânhamo para serem colocados à disposição da indústria do vestuário, especialmente o de âmbito técnico.

Liderado pelo CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário, de Vila Nova de Famalicão, o projecto está dividido em três áreas: fabrico, produção e fiação da fibra (equipa francesa), fiação do fio (CITEVE) e modificação da superfície das fibras para que adquiram as propriedades ideais para vestuário.

A modificação das fibras é coordenada pela investigadora do Instituto Pedro Nunes (IPN) e da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) Ana Manaia. As fibras de cânhamo são “mais ecológicas e baratas que outras fibras naturais, como o algodão ou linho, e possuem propriedades de resistência muito superior (cinco vezes superior ao algodão)”, disse hoje a investigadora.

“Ultrapassada a grande dificuldade da extracção e separação das fibras do caule da planta do cânhamo, conseguimos, com processos amigos do ambiente, transformar com sucesso essas fibras, retirando-lhe o mau odor característico da planta, modificando a cor, aumentando a resistência à temperatura e introduzindo propriedades anti-bacterianas”, explicou.

O projecto é liderado pelo CITEVE
O projecto é liderado pelo CITEVE
Fase de produção


Os investigadores preparam-se agora para iniciar a fase de produção do fio, que esperam concretizar até ao final do ano e crêem que no início de 2011 seja possível arrancar com a produção dos tecidos. “É necessário optimizar o processo, realizar novos testes e estudos para se conseguir produzir um tecido que obedeça a todas as características estabelecidas pela indústria” europeia, de forma a enfrentar a “feroz concorrência dos países asiáticos, nomeadamente da China”, acrescenta Ana Manaia.

O cânhamo (cannabis) utilizado na investigação é proveniente do sul de França e o projecto deverá estar concluído no próximo ano, com a apresentação de uma colecção de vestuário técnico (uniformes para médicos, bombeiros e astronautas) e com a transferência tecnológica para a indústria do vestuário, refere uma nota hoje divulgada pela FCTUC.

Envolvidos no projecto estão também "LEITAT - Technological Center" e o "ASINTEC - Centro Tecnológico de Confección", por Espanha, o "GIH - Groupement des Industries de l'Habillement" e o "ICAM - Institut Catholique d'Arts et Métiers Ecole d'Ingénieurs Département Matériaux", por França.
Paulo Dalla Porta
2010-05-12
21:43
O projeto é interessante. Agora fica a pergunta: isso não vai aumentar a oferta de cannabis no mercado ilegal de drogas?
Paulo
2012-06-22
00:36
Bom projecto mas pouca divulgação::
Após 2 Anos,espero que a mentalidade mude?
pode ser droga, mas a planta fornece:
Fibra (roupa, tecidos, cordas, velas)
Alimentação
e mais...
manuel duarte
2012-10-01
17:37
Lamentavelmente, com todo o respeito, continuamos a investigar o quê? Se há anos que se produzem para cima de 25 mil produtos diferentes. Consigo dar-vos contactos de fornecedores da C.E. com quem me relaciono. Sim, porque tenho loja aberta ao publico em Carnaxide com dezenas de produtos diferentes. Infelizmente todos os produtos importados. Inclusivamente o M. Agricultura não me responde às solicitações. E o P.R. mandou-me - literalmente - falar com os franceses.
Nosso site: www.canhamohousehemp.com
Temos é de por em pratica teses de Mestrado já realizadas com os respectivos Mestres. E a nossa experiencia acomulada dos anos 40/70 com Celestino Graça e outros não serve de nada? Temos uma relacçao familiar com o Cânhamo de centenas de anos!

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Nova lei da investigação clínica
publicada hoje em Diário da República

Dor condiciona actividades diárias dos doentes mais idosos

Fraunhofer Portugal Challenge premeia a ciência nacional

Investigadores da UC localizam a distribuição celular
da proteína envolvida na Alzheimer

Cocktails de pesticidas prejudicam a saúde dos solos

Polémica das Ciências do Mar:
resposta ao coordenador do painel de avaliação

Cancro de Mama “Triplo-negativo” e Metástases do Cérebro
«vencem» bolsas de investigação da Associação Laço

Galaxy Zoo abre as portas do Universo

“Será realista o mundo de Avatar ?”

São João da Madeira vence “Dá Power ao Electrão”

“Jogar” na Sala de aula: estudo da UC defende
a utilização de dispositivos móveis no ensino

Fobias: quem tem medo compra um cão!

Bolsas para Ciências do Mar: críticas vindas a público
são totalmente desprovidas de fundamento

Estudo sociológico sobre jovens portugueses/as
vence prémio mundial

Alunos do secundário desvendam a física das partículas na UMinho

Sabe escolher azeite de qualidade?
Se vai só pela acidez está errado!

Projecto internacional da UA mostra vantagens
da iluminação pública inteligente com LED

Candidatos denunciam irregularidades
na atribuição de bolsas da FCT

Cientista português ligado
a nova investigação sobre Alzheimer

Cancro e diabetes: políticas a longo prazo
reduzem incidência de casos

Quinta do Seixo é caso de estudo
para especialistas europeus em biodiversidade

Trinta concorrentes disputam meia-final do FameLab

Veneno de caracol marinho letal pode facultar
novos tratamentos para a dor crónica em humanos

Cientistas portugueses no maior projecto da UE
contra a degradação dos solos europeus

Inaugurada estação de seguimento do Galileo
em Santa Maria, Açores

Pressão para que as mulheres se casem
ainda é grande no século XXI

O doce sabor amargo de um trabalho
de Química Alimentar da UP

A menina dança? E na sua cabeça o que se passa?

Rastreio do cancro do cólon e recto: porque fazer e como fazer

Perspetivando os próximos invernos – interrogações
como que na ponte de um superpetroleiro