Receba as notícias:

Descoberto gene responsável por trevos de quatro folhas

Cientistas identificam proteína que favorece a proliferação de células que dão origem a folíolos

2010-05-28
Trevo de quatro folhas é considerado amuleto de sorte
Trevo de quatro folhas é considerado amuleto de sorte
Uma equipa internacional de cientistas descobriu o gene responsável pela existência dos trevos de quatro folhas.

Os cientistas identificaram um gene que ao mutar faz com que o Medicago truncatula, uma leguminosa da mesma família que o trevo e a alface, tenham cinco folhas em vez de três. Os investigadores acreditam que este é o gene também responsável pela existência dos trevos de quatro folhas.
O resultado da investigação dos trevos da sorte foi publicado na revista da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

“A formação de novas folhas ocorre no topo do caule, a partir de umas pequenas protuberâncias, chamadas primórdios, formadas por células que se multiplicam”, explicou ao La Razón, Francisco Madueño do Instituto de Biologia Molecular e Celular de plantas da Universidade Politécnica de Valência, em Espanha. 

Os primórdios das folhas simples crescem e dão lugar à forma final da folha, com apenas uma camada, chamada folíolo, unida ao caule por o pecíolo.

Medicago truncatula, planta em que foi realizado o estudo
Medicago truncatula, planta em que foi realizado o estudo
Os que têm folhas compostas, como o trevo, o tomate ou a planta estudada, têm maior capacidade de proliferação e formam menos primórdios, que dão lugar a mais folíolos.

Gene descontrolado

A formação de novos primórdios deve-se à expressão em certas zonas do primórdio original do factor de transcrição SGL1 (uma proteína que regula a activação e inactivação dos genes) e que favorece a proliferação desse grupo de células.

O estudo descobriu que o gene identificado, PALM1, controla de modo preciso a expressão do SGL1, ou seja, quando o PALM1 não funciona, o SGL1 expressa-se descontroladamente, permitindo a formação de um maior número de folíolos.
Eduardo de Atibaia
2010-05-30
15:10
Como se esplica que haja mais trevos de quatro, do que de cinco folhas se a teoria estiver certo ?
Eu por exemplo tenho muito mais com quatro do de cinco ou mais folhas.
Olga
2010-05-31
00:28
Eu aconselhava uma revisão da frase "...Medicago truncatula, uma leguminosa da mesma família que o trevo e a alface..."
A alface não é uma leguminosa e pertence à familia das Asteraceas, Medicago truncatula pertence à familia das Fabaceas e é uma leguminosa.
dani
2010-11-16
22:37
como se explica o aparecimento do trevo de 4 folhas na natureza

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Santuário de pesca no Índico concilia
conservação e alívio da pobreza

Mais quatro cientistas portugueses escolhidos para a EMBO

Endoscopia em 2035: Que futuro antecipar?

“Login, logo existo?”

MORREU MARIANO GAGO

Siemens desenvolve sistema de sensores
que facilita o estacionamento nas cidades

Artista português e cientista da Harvard Medical School
criam escultura inspirada na biologia celular

Quais as principais características
nutricionais e funcionais da bolota?

UBI acelera processo na luta contra o cancro

Coimbra estuda dieta das aves das Galápagos

Olfacto humano ajuda a desvendar crimes violentos

Aluno da FCUL cria barómetro de eficiência energética

UA desenvolve tecnologia para armazenar
e dar mobilidade à eletricidade

Industrialização e “conjuntos sociotecnológicos”
– o caso dos laticínios açorianos

No more bleeding for “iron overload” patients?

Coimbra dá importante contributo
para aplicação da terapia génica

Estudo inédito do sofrimento na deficiência visual
vale nota 20 a aluna quase cega

Prémio Terre de Femmes para bióloga da UA

Encontrado o gene responsável
pela reacção das plantas ao toque

Dores nas costas e hérnias discais

Investigação sobre Cancro, AVC e descontaminação da água
por medicamentos distingue jovens investigadoras

UTAD investiga valor nutricional do leite de golfinhos

Terapia amiga do ambiente descontamina
águas das pisciculturas

Portas abertas para novos tratamentos
para a artrite reumatóide

Gosta de merujes? Vão aparecer na sua mesa!

Estudantes de medicina apostam
na formação científica e humana

Investigadora da Universidade de Coimbra premiada
pela Sociedade Portuguesa de Doenças Metabólicas

UC estuda o impacto do novo metro igeiro de Macau

Hepatite C: nova realidade, novos horizontes

Saúde do cérebro e do coração começa na boca