Receba as notícias:

Google testa carro que anda sem condutor

Automóvel pode entregar uma pizza a domicílio sozinho

2010-10-11


Todos se lembram, com certeza, do Kitt – na série de televisão «O justiceiro», dos anos 80 – o carro que falava e andava sozinho. Agora, engenheiros da Google testaram um novo automóvel sem condutor nas ruas da Califórnia. A novidade foi anunciada no blog oficial da empresa.
O veículo usa câmaras de vídeo montadas no tecto, sensores de radar e uma mira a laser para conseguir perceber a presença de outros carros e obstáculos no trânsito, segundo o engenheiro de software Sebastian Thrun. O automóvel, um Prius modificado, pode ir entregar uma pizza a domicílio, sem ninguém no seu interior.

Durante a primeira experiência, um motorista treinado acompanhou os testes dentro do carro para tomar o controlo em caso de alguma falha. O objectivo da Google é eventualmente "reduzir os congestionamentos e o número de acidentes nas ruas". No blog, Thrun disse que os testes já cobriram 225 mil quilómetros. O carro cruzou a icónica ponte Golden Gate, em San Francisco, andou pelas famosas ladeiras da cidade, entre escritórios da Google, e circulou à volta do lago Tahoe, sem sofrer acidentes. Contudo, o veículo acabou por sofrer um pequeno embate, quando o carro estava parado num semáforo.

Sebastian Thrun, professor de ciências da computação e engenharia electrónica na Universidade Stanford, explicou ainda no blog oficial da empresa que as rotas são planeadas e mapeadas por motoristas reais, e a polícia local é avisada com antecedência dos testes. "Este projecto ainda está em estágio experimental, mas a ideia é este transporte poder aparecer no futuro, graças aos avanços das ciências da computação", avançou também.
prata
2010-10-28
16:40
muito fixe

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Treinar o cérebro para melhorar a capacidade mulitarefa

Historiadores de linguística de todo o Mundo
reúnem-se na UTAD

A espantosa capacidade de regeneração do pâncreas

Ébola não é porventura tão temível como a gripe

Bloquear os canais de potássio pode salvar vidas

Técnicas de meditação associadas ao budismo tibetano
podem melhorar o desempenho do cérebro

O meu automóvel conduz, estaciona e recarrega-se sozinho

Congresso Mundial de Investigação marinha
no Oceanário de Lisboa

Iraniana é a primeira mulher
a ser distinguida com o «Nobel» da Matemática

Alunos da UMinho desenvolvem protótipos todo-o-terreno

Todos pela Antártida

A Roseta foi ao cometa

Concelhos despovoados e com poucos bombeiros
são os mais atingidos pelos fogos

As barreiras dos serviços de saúde
que afectam os imigrantes

As barreiras dos serviços de saúde que afectam os imigrantes

“La réalité n’existe pas”

Como os mamíferos e as moscas se alimentam:
semelhanças surpreendentes

Células "secundarias" do sistema nervoso são afinal cruciais
para a cognição e doenças mentais

As duas caras da misteriosa Azobenzeno

Investigadores do Minho premiados no Brasil

Avanços na compreensão da doença de Parkinson
abrem novas portas terapêuticas

Ciência Hoje não vai de férias! Apoie este jornal!

Oceans of Hope chega a Lisboa para mudar percepções
sobre esclerose múltipla em Portugal

Com um euro pode combater a dor crónica

Estudo da UMinho avalia efeito de corticosteroides
no desenvolvimento dos bebés prematuros

Rapazes mais depressivos do que elas

Assim em Marte como na Terra

O primeiro genoma foi descodificado
numa cooperação Luso-Brasileira – Desulfovibrio gigas

Alunos aplicam ciência para detectar
mão criminosa nos incêndios

Scientists discovered a new player in mental diseases