Receba as notícias:

Google testa carro que anda sem condutor

Automóvel pode entregar uma pizza a domicílio sozinho

2010-10-11


Todos se lembram, com certeza, do Kitt – na série de televisão «O justiceiro», dos anos 80 – o carro que falava e andava sozinho. Agora, engenheiros da Google testaram um novo automóvel sem condutor nas ruas da Califórnia. A novidade foi anunciada no blog oficial da empresa.
O veículo usa câmaras de vídeo montadas no tecto, sensores de radar e uma mira a laser para conseguir perceber a presença de outros carros e obstáculos no trânsito, segundo o engenheiro de software Sebastian Thrun. O automóvel, um Prius modificado, pode ir entregar uma pizza a domicílio, sem ninguém no seu interior.

Durante a primeira experiência, um motorista treinado acompanhou os testes dentro do carro para tomar o controlo em caso de alguma falha. O objectivo da Google é eventualmente "reduzir os congestionamentos e o número de acidentes nas ruas". No blog, Thrun disse que os testes já cobriram 225 mil quilómetros. O carro cruzou a icónica ponte Golden Gate, em San Francisco, andou pelas famosas ladeiras da cidade, entre escritórios da Google, e circulou à volta do lago Tahoe, sem sofrer acidentes. Contudo, o veículo acabou por sofrer um pequeno embate, quando o carro estava parado num semáforo.

Sebastian Thrun, professor de ciências da computação e engenharia electrónica na Universidade Stanford, explicou ainda no blog oficial da empresa que as rotas são planeadas e mapeadas por motoristas reais, e a polícia local é avisada com antecedência dos testes. "Este projecto ainda está em estágio experimental, mas a ideia é este transporte poder aparecer no futuro, graças aos avanços das ciências da computação", avançou também.
prata
2010-10-28
16:40
muito fixe

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Esperar ou não esperar
- o papel da confiança na tomada de decisões

Implantes dentários «ganham» volume ósseo

Em Portugal um tratamento específico
depende da região onde se mora

Eousdryosaurus, o pequeno dinossauro
que viveu num tempo de gigante

Um em cada quatro já traiu

A Ciência da Gestão de Ciência e Tecnologia
– reflexões de uma despedida

A ansiedade de estar doente no hospital?
O ambiente do quarto pode ajudar!

Prémio António Champalimaud reconhece tratamento
revolucionário de doenças graves da visão

João Rocha é o primeiro português
da European Academy of Sciences

O Porto na Guerra Fria

Nariz electrónico pode detectar
subgrupos de asma nas crianças

Oceanos de Esperança chegou a Boston

Braga quer construir travessas de caminho-de-ferro
com resíduos de plásticos mistos

Comer com sucesso no Mercado do Bom Sucesso

Lars Montelius é o novo director do INL

José Xavier participa no Atlas
sobre vida marinha no Oceano Antárctico

Utilizar Software de Código Aberto
permitiria ao Estado poupar milhões de euros

Trás-os-Montes apresentou no MInho cremes inovadores
que ajudam no tratamento de queimaduras, feridas profundas e psoríase

Sistema reduz de meses para dias o tempo necessário
para os cientistas testarem hipóteses

Empresa tecnológica de Braga serve milhões de pessoas

Investigadores de Coimbra avançam na luta
contra a febre da carraça e tifo epidémico

Uma «estranha» forma de atracção

A tinta que «pinta» a energia da luz solar em energia eléctrica

Amamentar diminui o risco de depressão pós-parto

Portugueses do IMM abrem caminho
a nova terapêutica para leucemia pediátrica

Quando o chichi «dá» luz!

Menos nicotina não quer dizer mais cigarros

Não-me-esqueças, a planta rara redescoberta no Corvo

Da felicidade à dor: entender a função da serotonina

Treinar o cérebro para melhorar a capacidade mulitarefa