Receba as notícias:

Estranhas deformações em aves do Alasca

Investigadores denominam patologia de Transtorno da queratina aviária

2010-11-15
Cientistas não conseguem explicar o fenómeno. <br> (crédito: USGS)
Cientistas não conseguem explicar o fenómeno.
(crédito: USGS)
O mundo das aves tem sofrido estranhas transformações no Alasca. Um número elevado de animais surge com deformações, desde o bico às patas. Na maior parte dos casos, é a parte superior que aparece desmesurada e dificulta a capacidade de alimentação destes pássaros, assim como o alisamento das suas penas. O fenómeno afecta essencialmente três espécies e os investigadores ainda não encontraram explicação.

Dois estudos, publicados no «The Auk» – revista da União Norte-americana dos Ornitologistas – fazem o ponto da situação. Apesar de não conseguirem explicar o que se passa, já encontraram um nome para a patologia: síndrome da queratina aviária – proteína constituinte dos cabelos, unhas, bicos, garras, etc. 
A principal característica desta anormalidade é o crescimento excessivo do tegumento, sendo demasiado curvado no bico. Os investigadores ainda não se atrevem a falar de doença emergente, já que os estudos apenas começaram, mas a patologia tem progredido desde finais dos anos 1990.

Os biólogos da United States Geological Survey (USGS) consideram que é muito raro se verificar qualquer deformação no bico das aves. Contudo, já se registam 17 por cento de indivíduos adultos com este problema, em determinadas regiões. A patologia manifesta-se ainda através de lesões nas patas, garras e penas. Em comunicado, a USGS refere nunca se tinha observado um número tão elevado de anomalias em pássaros.

As malformações produzem-se mais frequentemente na idade adulta e não nas crias. Pelo menos, umas 80 aves foram capturadas perfeitamente normais e, posteriormente, reencontradas já transformadas.

Os espécimes analisados não apresentam sinais de bactérias, vírus ou ácaros conhecidos que possam estar na origem desta anormalidade, nem detectaram a presença de pesticidas em águas, da região da Califórnia. Ainda mais estranho é o facto de não registarem carências de vitaminas ou cálcio – elementos indispensáveis para a produção de queratina.
marizete assis alves
2010-11-16
14:11
Com a mudança climática, poluíção, camada de ozônio, tudo isto influí na vida animal, vegetal, etc..
Obrigada.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Descoberto mecanismo que permite à melatonina
combater células cancerígenas

Da eficácia do exercício físico no tratamento das depressões

Vacina contra o Ébola revela-se cem por cento eficaz

A verdade sobre a infertilidade

INSA e OMS lutam contra a obesidade infantil

Burro mirandês em risco de extinção

De como a diabetes afecta a fertilidade

UTAD e Federação Portuguesa de Voleibol avaliam
performance dos jogadores da selecção nacional

Portugal conquista pela primeira vez medalha
na Olimpíada Internacional de Química

IST recebe 69 Milhões de horas
num dos supercomputadores mais rápidos do mundo

Criadores do «Magalhães» chegam ao Uruguai

Minho quer extrair colagénio da pele de tubarão

Hepatite C “pode estar erradicada dentro de alguns anos”

Área ardida em Portugal terá redução drástica
se houver prevenção de incêndios

Milheirinhas: os machos mais coloridos
cuidam melhor da plumagem

Aveiro abre caminho ao tratamento do vírus Ébola

Rastreios gratuitos a cancro de cabeça e pescoço
até sexta-feira em 12 hospitais

Universidades do Porto, Aveiro e Técnica de Lisboa lideram
produção científica das instituições científicas do Ensino Superior

Quimioterapia pode prejudicar doentes terminais

Todos os seropositivos devem receber terapia
independentemente da carga viral

Coimbra confirma eficácia de terapia inovadora
em vários tipos de cancro

Exterior dos jardins de infância não promove
desenvolvimento saudável das crianças

Novo medicamento pode retardar Alzheimer

Torres Vedras campeã do Mundo em robótica

Injecções em árvores vão controlar pragas de insectos

Oftalmologista português distinguido nos EUA

Jovem com VIH em remissão após tratamento precoce

Portugal é o 12º país europeu com mais projectos
submetidos ao Horizon 2020

Perigos dos microplásticos e dos fármacos preocupam ambientalistas

Quando soube que tinha cancro pensei:
cheguei ao fim da vida!