Receba as notícias:

Pseudo-escorpião e escaravelho únicos no mundo descobertos em Portugal

Animais foram encontrados em grutas pela bióloga Sofia Reboleira

2010-12-02

Pseudo-escorpião tem dois centímetros
Pseudo-escorpião tem dois centímetros
Duas novas espécies únicas no mundo, um pseudo-escorpião e um escaravelho cavernícolas, foram descobertas pela bióloga portuguesa Sofia Reboleira em grutas do Algarve e do Montejunto.

É uma descoberta absolutamente fascinante” disse à Lusa a bióloga que fez a descoberta do pseudo-escorpião considerado “uma relíquia” por ser um dos exemplares “mais modificados ao longo de milhões de anos em que se adaptaram para viver debaixo de terra”.

Sem antecessores vivos à superfície, este invertebrado de dois centímetros, que só existe nas grutas do Algarve, é apontado como “um gigante” já que o tamanho destes animais oscila, normalmente, entre um e cinco milímetros, explica a bióloga.

 

A descoberta, que confere um maior grau de interesse à fauna cavernícola portuguesa, revela “informação evolutiva importante” já que o pseudo-escorpião evoluiu para características como “não ter olhos, ter patas grandes, e um extremo alargamento das pinças”, acrescenta.

Sofia Reboleira descobriu os animais em grutas
Sofia Reboleira descobriu os animais em grutas
Publicada há duas semanas em revistas científicas especializadas em zoologia - Zootaxa - a descoberta da portuguesa (descrita com Juan Zaragoza) sucede a outra publicada na sexta feira, e que oficializa a descoberta de uma nova espécie de escaravelho cavernícola encontrado nas grutas do Montejunto (Cadaval).

Denominado “Trechus Tatai” o escaravelho descoberto por Sofia Reboleira e descrito por Vicente Ortuño (da Universidade de Alcalá, em Madrid) aumenta para quatro o número de espécies de escaravelhos cavernícolas (três dos quais descobertos pela bióloga).

“Vive exclusivamente ali, é despigmentado e tem os olhos muito reduzidos” descreve a investigadora, sublinhando a raridade do escaravelho cuja sobrevivência depende da matéria orgânica arrastada pelas águas para o subsolo e para o qual “a poluição e destruição de grutas significam perigo de extinção”.

A descoberta das duas espécies ocorreu durante o trabalho de campo no âmbito do doutoramento de Sofia Reboleira, orientado por Fernando Gonçalves (do departamento de biologia da Universidade de Aveiro) e Pedro Oromí (da Universidade de La Laguna, em Tenerife, Espanha) e financiado pela Fundação Para a Ciência e Tecnologia.
 

Augusto
2010-12-04
10:47
Parabens

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Homens ou mulheres? Quem corre mais riscos
de violência verbal no local de trabalho?

Investigador do IA é um dos vencedores dos Prémios Breakthrough 2015

Qual é a melhor iluminação para a sua casa?

Cyberbullying: retrato de um fenómeno
em expansão silenciosa

Centro de Investigação da Montanha distinguido
em cooperação internacional

Investigação europeia em oftalmologia
coordenada em Portugal

Portugal lidera detecção inédita na atmosfera de Vénus

Modelos matemáticos desenvolvidos na UA
preveem gravidade de acidentes de viação

Mosca-da-azeitona pode ser combatida
de forma rápida, barata e eficaz

Já é possível «ouvir» o coração da mãe
e do bebé ao mesmo tempo

Áreas menos desenvolvidas penalizadas
na agenda política de saúde

Foi com uma grande alegria que vi o nome de Teresa Teixeira!

Teresa Teixeira nomeada hoje
EMBO Young Investigator

Investigador mexicano desenvolve software
que “prevê” ocorrências cardíacas

UTAD aposta no combate ao abandono escolar

ESAN quer ser referência em fabrico aditivo rápido

Um neurónio, uma função? Afinal o cérebro faz multitasking!

Consegue seguir o ritmo?

De como bem aprender uma sequência de dança

As crianças devem ir a pé para a escola

Investigadores da UC desenvolvem
guia inteligente de apoio a cegos

O nariz delas é melhor do que o deles

De como a realidade virtual pode «medir»
os delinquentes sexuais

Cancro do pulmão pode ser diagnosticado
anos antes de ser detectado por imagem

Distractores ambientais influenciam
a atenção e a memória dos mais velhos

Como é a excitação sexual nas mulheres?

Insónia potencia o risco de acidentes de viação

Tristeza permanece mais tempo do que outras emoções

Refrigeração magnética dá prémio internacional
a jovem cientista português

Fantasias sexuais: você é normal?