Receba as notícias:

Carne de frango contaminada por dioxinas cancerígenas

Investigadores alemães encontraram níveis superiores ao permitido

2011-01-10
Gordura utilizada nas rações “não era adequada”
Gordura utilizada nas rações “não era adequada”
Investigadores alemães encontraram níveis excessivos de dioxinas cancerígenas em frangos, confirmando pela primeira vez que há carne afectada desde que se soube que animais tinham comido rações contaminadas, provavelmente durante meses.

Três frangos, numa amostra de 15, perus e porcos enviados à Comissão Europeia, revelaram o dobro da concentração de dioxinas legalmente autorizada, disse um porta-voz do ministério da agricultura no sábado, citado pela agência Associated Press.
Segundo a mesma fonte, os frangos não tinham sido vendidos e que não constituiriam perigo a curto prazo, visto que os níveis de contaminação são reduzidos. Os níveis de dioxinas dos produtos para fabrico de rações para animais da firma alemã Harles & Jentzsch chegaram a ultrapassar 78 vezes o permitido, revelou na sexta-feira o ministério da agricultura de Schleswig-Holstein, onde a empresa tem a sede.

Na semana passada, o mesmo ministério tinha dito que os valores de dioxinas encontrados eram dez vezes superiores aos 0,75 nanogramas por quilo, limite máximo admitido pela Organização Mundial de Saúde.

As autoridades alemãs chegaram à conclusão de que a gordura utilizada nas rações “não era adequada” para este fim, mas a Harles & Jentzsch, entretanto alvo de um processo-crime do ministério público, rejeitou ter participado em atividades criminosas.

Siegfied Sievert alegou ainda não saber a origem da contaminação com dioxinas de cerca de três mil toneladas de gordura sintética proveniente do fabrico de biodiesel, e adquirida à firma holandesa Olivet, que por sua vez a comprou à refinaria holandesa Petrotec.

A referida quantidade de gorduras é suficiente para fabricar perto de 150 mil toneladas de rações para animais, segundo os especialistas. O escândalo das dioxinas já levou ao encerramento preventivo de mais de 4.700 explorações agrícolas, sobretudo na região da Baixa-Saxónia, medida que foi no sábado levantada em 500 casos.

As autoridades confiscaram também grandes quantidades de ovos e carne de frango, mas garantiram, simultaneamente, que não há risco elevado para a saúde pública. Em Portugal, uma fonte do Ministério da Agricultura afirmou que a informação que há a nível europeu é de que nenhuma da carne contaminada saiu da Alemanha.
Mário Cardoso
2011-01-11
19:12
A isto chama-se competitividade. Chegou-se ao ponto de alimentar bovinos com carne, com as consequências conhecidas. Absolutamente impensável e contra natura, mas a competitividade assim o obrigou…Os produtores que quiserem desenvolver um trabalho com qualidade, respeito pelo ambiente e pelos consumidores, estão condenados à falência. O conceito de preço justo, deve-se sobrepor à competitividade.
castanho
2011-01-12
19:00
será a afirmacão das autoridades de não existir riscos para a saúde pública é verdadeira...tenho duvidas quanto a isto.
Americo Rodrigues
2011-01-13
01:55
Ainda bem que se conseguem descrobrir estas situações.
GUSTAVO LEPE
2011-01-30
01:35
Passem essa notícia ao Brasil, pois as autoridades daqui têm que ficar sabendo disso, mesmo que o fornecedor não seja essa empresa. Isso serve de aviso e início de atividades preventivas.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Tristeza permanece mais tempo do que outras emoções

Refrigeração magnética dá prémio internacional
a jovem cientista português

Fantasias sexuais: você é normal?

Maria Machado, do CIIMAR, com o melhor poster
na Conferência Europeia de Aquacultura

Detectar metástases pela axila e usar estímulos elétricos para recuperação motora

Crianças com melhor coordenação motora
apresentaram melhores resultados em tarefas cognitivas

Vai um queijo da Serra da Estrela com flor de castanheiro?

Nasce o maior instituto de investigação
em astrofísica de Portugal

Universidade de Aveiro «exporta» pastéis de nata

Como «infectar» as células vizinhas normais
tornando-as cancerosas

Mais mulheres menos cancro da próstata?

UMinho desenvolve método
para a libertação direccionada de fármacos

Para acabar (de vez?) com a turbulência nos aviões

Investigadores descobrem como os micróbios
constroem um poderoso antibiótico

Investigadora do CEDOC vence prémio FAZ Innovate Competition

UMinho cria gestor de exames à la carte

How tilapias use urine to attract females

UC participa solução inovadora
de apoio a pacientes em reabilitação cardíaca

Novos métodos para manter a qualidade das batatas

Cunha-Vaz distinguido com Prémio Albert C. Muse

Bactéria da flora intestinal de mosquitos
pode bloquear transmissão de malária e dengue

Subvalorizar o Ébola é crime!

Pepinos do mar já podem ser produzidos em aquacultura

A Ciência na educação pré-escolar

A guerra dos espermatozóides

O Viagra protege o coração para além do quarto

Premiado dispositivo portátil
para recuperar lesões desportivas

Aí está o andarilho inteligente motorizado
com «marca» portuguesa

Ajuda de emergência para «overdoses»

Investigadores portugueses abrem novas possibilidades
no desenho de vacinas contra o cancro