Receba as notícias:

Carne de frango contaminada por dioxinas cancerígenas

Investigadores alemães encontraram níveis superiores ao permitido

2011-01-10
Gordura utilizada nas rações “não era adequada”
Gordura utilizada nas rações “não era adequada”
Investigadores alemães encontraram níveis excessivos de dioxinas cancerígenas em frangos, confirmando pela primeira vez que há carne afectada desde que se soube que animais tinham comido rações contaminadas, provavelmente durante meses.

Três frangos, numa amostra de 15, perus e porcos enviados à Comissão Europeia, revelaram o dobro da concentração de dioxinas legalmente autorizada, disse um porta-voz do ministério da agricultura no sábado, citado pela agência Associated Press.
Segundo a mesma fonte, os frangos não tinham sido vendidos e que não constituiriam perigo a curto prazo, visto que os níveis de contaminação são reduzidos. Os níveis de dioxinas dos produtos para fabrico de rações para animais da firma alemã Harles & Jentzsch chegaram a ultrapassar 78 vezes o permitido, revelou na sexta-feira o ministério da agricultura de Schleswig-Holstein, onde a empresa tem a sede.

Na semana passada, o mesmo ministério tinha dito que os valores de dioxinas encontrados eram dez vezes superiores aos 0,75 nanogramas por quilo, limite máximo admitido pela Organização Mundial de Saúde.

As autoridades alemãs chegaram à conclusão de que a gordura utilizada nas rações “não era adequada” para este fim, mas a Harles & Jentzsch, entretanto alvo de um processo-crime do ministério público, rejeitou ter participado em atividades criminosas.

Siegfied Sievert alegou ainda não saber a origem da contaminação com dioxinas de cerca de três mil toneladas de gordura sintética proveniente do fabrico de biodiesel, e adquirida à firma holandesa Olivet, que por sua vez a comprou à refinaria holandesa Petrotec.

A referida quantidade de gorduras é suficiente para fabricar perto de 150 mil toneladas de rações para animais, segundo os especialistas. O escândalo das dioxinas já levou ao encerramento preventivo de mais de 4.700 explorações agrícolas, sobretudo na região da Baixa-Saxónia, medida que foi no sábado levantada em 500 casos.

As autoridades confiscaram também grandes quantidades de ovos e carne de frango, mas garantiram, simultaneamente, que não há risco elevado para a saúde pública. Em Portugal, uma fonte do Ministério da Agricultura afirmou que a informação que há a nível europeu é de que nenhuma da carne contaminada saiu da Alemanha.
Mário Cardoso
2011-01-11
19:12
A isto chama-se competitividade. Chegou-se ao ponto de alimentar bovinos com carne, com as consequências conhecidas. Absolutamente impensável e contra natura, mas a competitividade assim o obrigou…Os produtores que quiserem desenvolver um trabalho com qualidade, respeito pelo ambiente e pelos consumidores, estão condenados à falência. O conceito de preço justo, deve-se sobrepor à competitividade.
castanho
2011-01-12
19:00
será a afirmacão das autoridades de não existir riscos para a saúde pública é verdadeira...tenho duvidas quanto a isto.
Americo Rodrigues
2011-01-13
01:55
Ainda bem que se conseguem descrobrir estas situações.
GUSTAVO LEPE
2011-01-30
01:35
Passem essa notícia ao Brasil, pois as autoridades daqui têm que ficar sabendo disso, mesmo que o fornecedor não seja essa empresa. Isso serve de aviso e início de atividades preventivas.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Iniciativa monitoriza estado de saúde, aptidão física
e rendimento táctico de bombeiros em contexto de combate

Investigadores do Algarve combatem células tumorais
com extractos de plantas de sapal

Aditivos mais naturais?

UTAD alerta para os riscos do consumo de bivalves
produzidos em ambientes poluídos

Podemos prever a evolução?

Um Nobel de medicina que nem medicina sabe

Menopausa e a osteoporose: estudo premeia
investigadora de Coimbra

A revolução dos filmes de cristais líquidos

Abutre-preto volta ao Alentejo 40 anos depois

Grafeno mais sílica: a revolução
da indústria tecnológica do futuro

De como um smartphone pode controlar
a qualidade dos óleos de fritar

Cátedra do Real Madrid aprova projecto que envolve
a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

António Damásio profere conferência no Porto

Investigadora portuguesa revela novo método
de detecção precoce de cancro do pâncreas

Universidade da Beira Interior
com avanços no cancro da próstata

Investigadores portugueses distinguidos
por avanços na área da dor

Identidade, valores, modernidade: o meu livro
sobre o pensamento de Onésimo Teotónio Almeida

Nanopartícula entrega moléculas terapêuticas
a tumores cerebrais malignos

Portugal conquista prémio europeu
de conservação da natureza

E se lhe oferecerem um chão inteligente?

Plantas portuguesas dão origem a infusões de qualidade premium

CR7 já não é uma estrela! É uma galáxia!

EGO em Aveiro: uma peça do inventor da pílula

Estrutura social é importante na conservação de espécies

Philae acordou e mandou notícias

Coimbra indica nova direcção para o tratamento
dos vários tipos de cancro

Aveiro cria o anjo da guarda dos condutores

Cientista português financiado por March of Dimes
para estudar malária durante a gravidez

Barcelona cria sistema para avaliação cognitiva
de trabalhadores com deficiência cognitiva

José Carlos Príncipe: inovação e ciência
ao serviço das empresas