Receba as notícias:

Carne de frango contaminada por dioxinas cancerígenas

Investigadores alemães encontraram níveis superiores ao permitido

2011-01-10
Gordura utilizada nas rações “não era adequada”
Gordura utilizada nas rações “não era adequada”
Investigadores alemães encontraram níveis excessivos de dioxinas cancerígenas em frangos, confirmando pela primeira vez que há carne afectada desde que se soube que animais tinham comido rações contaminadas, provavelmente durante meses.

Três frangos, numa amostra de 15, perus e porcos enviados à Comissão Europeia, revelaram o dobro da concentração de dioxinas legalmente autorizada, disse um porta-voz do ministério da agricultura no sábado, citado pela agência Associated Press.
Segundo a mesma fonte, os frangos não tinham sido vendidos e que não constituiriam perigo a curto prazo, visto que os níveis de contaminação são reduzidos. Os níveis de dioxinas dos produtos para fabrico de rações para animais da firma alemã Harles & Jentzsch chegaram a ultrapassar 78 vezes o permitido, revelou na sexta-feira o ministério da agricultura de Schleswig-Holstein, onde a empresa tem a sede.

Na semana passada, o mesmo ministério tinha dito que os valores de dioxinas encontrados eram dez vezes superiores aos 0,75 nanogramas por quilo, limite máximo admitido pela Organização Mundial de Saúde.

As autoridades alemãs chegaram à conclusão de que a gordura utilizada nas rações “não era adequada” para este fim, mas a Harles & Jentzsch, entretanto alvo de um processo-crime do ministério público, rejeitou ter participado em atividades criminosas.

Siegfied Sievert alegou ainda não saber a origem da contaminação com dioxinas de cerca de três mil toneladas de gordura sintética proveniente do fabrico de biodiesel, e adquirida à firma holandesa Olivet, que por sua vez a comprou à refinaria holandesa Petrotec.

A referida quantidade de gorduras é suficiente para fabricar perto de 150 mil toneladas de rações para animais, segundo os especialistas. O escândalo das dioxinas já levou ao encerramento preventivo de mais de 4.700 explorações agrícolas, sobretudo na região da Baixa-Saxónia, medida que foi no sábado levantada em 500 casos.

As autoridades confiscaram também grandes quantidades de ovos e carne de frango, mas garantiram, simultaneamente, que não há risco elevado para a saúde pública. Em Portugal, uma fonte do Ministério da Agricultura afirmou que a informação que há a nível europeu é de que nenhuma da carne contaminada saiu da Alemanha.
Mário Cardoso
2011-01-11
19:12
A isto chama-se competitividade. Chegou-se ao ponto de alimentar bovinos com carne, com as consequências conhecidas. Absolutamente impensável e contra natura, mas a competitividade assim o obrigou…Os produtores que quiserem desenvolver um trabalho com qualidade, respeito pelo ambiente e pelos consumidores, estão condenados à falência. O conceito de preço justo, deve-se sobrepor à competitividade.
castanho
2011-01-12
19:00
será a afirmacão das autoridades de não existir riscos para a saúde pública é verdadeira...tenho duvidas quanto a isto.
Americo Rodrigues
2011-01-13
01:55
Ainda bem que se conseguem descrobrir estas situações.
GUSTAVO LEPE
2011-01-30
01:35
Passem essa notícia ao Brasil, pois as autoridades daqui têm que ficar sabendo disso, mesmo que o fornecedor não seja essa empresa. Isso serve de aviso e início de atividades preventivas.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Investigação sobre Cancro, AVC e descontaminação da água
por medicamentos distingue jovens investigadoras

UTAD investiga valor nutricional do leite de golfinhos

Terapia amiga do ambiente descontamina
águas das pisciculturas

Portas abertas para novos tratamentos
para a artrite reumatóide

Gosta de merujes? Vão aparecer na sua mesa!

Estudantes de medicina apostam
na formação científica e humana

Investigadora da Universidade de Coimbra premiada
pela Sociedade Portuguesa de Doenças Metabólicas

UC estuda o impacto do novo metro igeiro de Macau

Hepatite C: nova realidade, novos horizontes

Saúde do cérebro e do coração começa na boca

Descoberto o responsável pelo surgimento
de problemas de memória

UA combate contrafacção com códigos DNA para marcas

Investigadores belgas e franceses medem
a temperatura do coração das estrelas

Estudante da UA imprime circuitos electrónicos em papel

Je suis Charlie

Investigações sobre cromossomas e doença de Huntington
premiadas hoje pela FLAD

Investigadora da UTAD distinguida na Galiza
com Prémio “Vicente Risco”

Compostos descobertos na casca do eucalipto
já têm método de extracção

Em 2015 continuo a supor que poderíamos ter pedido baunilha…

Investigadores de Coimbra querem melhorar
prognóstico do transplante de fígado

Curador do primeiro planetário da América
vai ser português

Humilhação dos 7-1 leva o Brasil
a olhar para a ciência

Carlos Ribeiro eleito para o primeiro grupo
dos FENS-Kavli Scholars

Rotundas virtuais vão projectar rotundas reais
seguras e amigas do ambiente

Dê azeite ao seu coração

Dois jovens cientistas portugueses
entre oito distinguidos pela EMBO

Neste Ano Novo dê o seu apoio ao Ciência Hoje

Efeitos da cafeína diferem com ou sem açúcar?

António Fernandes da Fonseca deixou a “sua marca”
na passagem pelo Mundo!

É possível estudar «cientificamente» os enchidos?
Universidades de Lisboa, Évora e Trás-os-Montes e Alto Douro fizeram investigação