Receba as notícias:

Carne de frango contaminada por dioxinas cancerígenas

Investigadores alemães encontraram níveis superiores ao permitido

2011-01-10
Gordura utilizada nas rações “não era adequada”
Gordura utilizada nas rações “não era adequada”
Investigadores alemães encontraram níveis excessivos de dioxinas cancerígenas em frangos, confirmando pela primeira vez que há carne afectada desde que se soube que animais tinham comido rações contaminadas, provavelmente durante meses.

Três frangos, numa amostra de 15, perus e porcos enviados à Comissão Europeia, revelaram o dobro da concentração de dioxinas legalmente autorizada, disse um porta-voz do ministério da agricultura no sábado, citado pela agência Associated Press.
Segundo a mesma fonte, os frangos não tinham sido vendidos e que não constituiriam perigo a curto prazo, visto que os níveis de contaminação são reduzidos. Os níveis de dioxinas dos produtos para fabrico de rações para animais da firma alemã Harles & Jentzsch chegaram a ultrapassar 78 vezes o permitido, revelou na sexta-feira o ministério da agricultura de Schleswig-Holstein, onde a empresa tem a sede.

Na semana passada, o mesmo ministério tinha dito que os valores de dioxinas encontrados eram dez vezes superiores aos 0,75 nanogramas por quilo, limite máximo admitido pela Organização Mundial de Saúde.

As autoridades alemãs chegaram à conclusão de que a gordura utilizada nas rações “não era adequada” para este fim, mas a Harles & Jentzsch, entretanto alvo de um processo-crime do ministério público, rejeitou ter participado em atividades criminosas.

Siegfied Sievert alegou ainda não saber a origem da contaminação com dioxinas de cerca de três mil toneladas de gordura sintética proveniente do fabrico de biodiesel, e adquirida à firma holandesa Olivet, que por sua vez a comprou à refinaria holandesa Petrotec.

A referida quantidade de gorduras é suficiente para fabricar perto de 150 mil toneladas de rações para animais, segundo os especialistas. O escândalo das dioxinas já levou ao encerramento preventivo de mais de 4.700 explorações agrícolas, sobretudo na região da Baixa-Saxónia, medida que foi no sábado levantada em 500 casos.

As autoridades confiscaram também grandes quantidades de ovos e carne de frango, mas garantiram, simultaneamente, que não há risco elevado para a saúde pública. Em Portugal, uma fonte do Ministério da Agricultura afirmou que a informação que há a nível europeu é de que nenhuma da carne contaminada saiu da Alemanha.
Mário Cardoso
2011-01-11
19:12
A isto chama-se competitividade. Chegou-se ao ponto de alimentar bovinos com carne, com as consequências conhecidas. Absolutamente impensável e contra natura, mas a competitividade assim o obrigou…Os produtores que quiserem desenvolver um trabalho com qualidade, respeito pelo ambiente e pelos consumidores, estão condenados à falência. O conceito de preço justo, deve-se sobrepor à competitividade.
castanho
2011-01-12
19:00
será a afirmacão das autoridades de não existir riscos para a saúde pública é verdadeira...tenho duvidas quanto a isto.
Americo Rodrigues
2011-01-13
01:55
Ainda bem que se conseguem descrobrir estas situações.
GUSTAVO LEPE
2011-01-30
01:35
Passem essa notícia ao Brasil, pois as autoridades daqui têm que ficar sabendo disso, mesmo que o fornecedor não seja essa empresa. Isso serve de aviso e início de atividades preventivas.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Nova lei da investigação clínica
publicada hoje em Diário da República

Dor condiciona actividades diárias dos doentes mais idosos

Fraunhofer Portugal Challenge premeia a ciência nacional

Investigadores da UC localizam a distribuição celular
da proteína envolvida na Alzheimer

Cocktails de pesticidas prejudicam a saúde dos solos

Polémica das Ciências do Mar:
resposta ao coordenador do painel de avaliação

Cancro de Mama “Triplo-negativo” e Metástases do Cérebro
«vencem» bolsas de investigação da Associação Laço

Galaxy Zoo abre as portas do Universo

“Será realista o mundo de Avatar ?”

São João da Madeira vence “Dá Power ao Electrão”

“Jogar” na Sala de aula: estudo da UC defende
a utilização de dispositivos móveis no ensino

Fobias: quem tem medo compra um cão!

Bolsas para Ciências do Mar: críticas vindas a público
são totalmente desprovidas de fundamento

Estudo sociológico sobre jovens portugueses/as
vence prémio mundial

Alunos do secundário desvendam a física das partículas na UMinho

Sabe escolher azeite de qualidade?
Se vai só pela acidez está errado!

Projecto internacional da UA mostra vantagens
da iluminação pública inteligente com LED

Candidatos denunciam irregularidades
na atribuição de bolsas da FCT

Cientista português ligado
a nova investigação sobre Alzheimer

Cancro e diabetes: políticas a longo prazo
reduzem incidência de casos

Quinta do Seixo é caso de estudo
para especialistas europeus em biodiversidade

Trinta concorrentes disputam meia-final do FameLab

Veneno de caracol marinho letal pode facultar
novos tratamentos para a dor crónica em humanos

Cientistas portugueses no maior projecto da UE
contra a degradação dos solos europeus

Inaugurada estação de seguimento do Galileo
em Santa Maria, Açores

Pressão para que as mulheres se casem
ainda é grande no século XXI

O doce sabor amargo de um trabalho
de Química Alimentar da UP

A menina dança? E na sua cabeça o que se passa?

Rastreio do cancro do cólon e recto: porque fazer e como fazer

Perspetivando os próximos invernos – interrogações
como que na ponte de um superpetroleiro