Receba as notícias:

Gruta de Altamira tem de continuar fechada ao público

Pinturas paleolíticas Património da Humanidade continuam encerradas para conservação

2011-10-11
Gruta de Altamira é Património Mundial
Gruta de Altamira é Património Mundial

Fechada desde 2002, a Gruta de Altamira (Espanha), onde se encontra um dos complexos mais importantes de arte paleolítica, vai ter de continuar encerrada ao público. Esta é a conclusão de um estudo levado a cabo pelo CSIC (Conselho Superior de Investigações Científicas espanhol), publicado agora na revista «Science».

Os investigadores afirmam que estas pinturas na rocha que se conservaram durante 14 mil anos estão a enfrentar problemas com bactérias, fungos e partículas nocivas.

As pinturas da Gruta de Altamira conservaram-se excepcionalmente bem graças à ausência de luz, a escassa infiltração de água e o baixo fluxo de ar na sala Policromada. Depois de terem sido descobertas em 1879 e abertas ao público começou a verificar-se uma constante deterioração.

Em 1977 foi necessário encerrar a gruta que tinha uma média de visitantes anuais na ordem dos 175 mil. Voltou a ser aberta em 1982 com bastantes restrições. Em 2002, fechou novamente devido à presença de microrganismos fototróficos nas pinturas, consequência da utilização, durante décadas, de luz artificial.

Se a gruta reabrir agora, hipótese que esteve em análise devido ao impacto positivo que teria para o turismo da região, haverá um aumento de temperatura, de humidade e de CO2 na Sala Policromada, o que irá reactivar a condensação e a corrosão das rochas.

Cesáreo Saiz-Jiménez, investigador do CSIC que liderou a investigação, explica que a proliferação de bactérias e fungos que já colonizaram a entrada da gruta é um dos principais problemas. Os visitantes, por se moverem no interior do recinto, podem levantar partículas nocivas que ficam suspensas no ar, o que incrementa a erosão das paredes e liberta bactérias, esporas e fungos. Iriam também entrar novos nutrientes que contaminariam o frágil ecossistema da gruta.

Altamira preservou-se intacta durante milhares de anos graças a um ambiente pobre em nutrientes e ao escasso contacto com a atmosfera exterior. Apesar dos benefícios do seu encerramento ao público em 2002, os problemas de conservação estão longe de ser resolvidos. A gruta é gerida pelo Museu Nacional de Altamira, dependente do Ministério da Cultura espanhol.

Artigo: Paleolithic Art in Peril: Policy and Science Collide at Altamira Cave

Jorge Carvalho
2011-10-12
17:44
A gruta está fechada, é certo. Mas pode-se visitar a sua réplica de excepcional qualidade e museu anexo.
Estive lá este ano. É um exemplo de qualidade do que pode ser feito em termos de divulgação científica e cultural.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Subvalorizar o Ébola é crime!

Pepinos do mar já podem ser produzidos em aquacultura

A Ciência na educação pré-escolar

A guerra dos espermatozóides

O Viagra protege o coração para além do quarto

Premiado dispositivo portátil
para recuperar lesões desportivas

Aí está o andarilho inteligente motorizado
com «marca» portuguesa

Ajuda de emergência para «overdoses»

Investigadores portugueses abrem novas possibilidades
no desenho de vacinas contra o cancro

Porquê eu? Muitas mulheres que vivem na pobreza
culpam os filhos e a vida amorosa

O papel dos "oásis" oceânicos nas interacções
entre organismos marinhos

Planta substituta de sal desenvolvida
em cultura in vitro por aluna da UTAD

Trabalho de investigadores da UA
cruza-se com o do Nobel da Física 2014

José Vieira da Universidade do Minho
foi eleito presidente da FEANI

Machimosaurus: o crocodilomorfo
de nove metros do Jurássico de Portugal

Investigação do IMM sobre causas e tratamento
da doença de Crohn premiada nos EUA

Jet lag prejudica funções cognitivas a curto prazo

Quando melhores descobertas ganham destaque
nas primeiras páginas dos jornais e nos telejornais

Investigadores do Porto distinguidos com prémio Grünenthal Dor

Fundação Champalimaud e governo do Rajastão
investem em clínica para o cancro

Visão sem precedentes de duzentas galáxias no Universo

Pistas para a neutralização do HIV

Homens e mulheres avaliam arte de forma diferente

Aumento do desemprego (também) pode
colocar em causa o futuro da Segurança Social

Colar os cromossomas no sítio certo

Cientista Português identifica mecanismo que evita
o suicídio celular e um potencial alvo contra o cancro

Maior painel termodinâmico do mundo é português

Jogos interactivos auxiliam vítimas de AVC

Nobel da Química premeia invenção
do microscópio fluorescente de alta resolução

Cientistas europeus manifestam-se dia 17
em Espanha, França e Itália