Receba as notícias:

Planificação automática resolve problemas mais rapidamente

Cientistas espanhóis usam uma nova técnica de Inteligência Artificial

2012-01-17


Cientistas da Universidade Carlos III de Madrid (UC3M) desenvolveram uma nova técnica de criação automática de planos baseados em Inteligência Artificial, que permite resolver problemas muito mais rapidamente do que com as metodologias atuais quando os recursos são limitados. A nova técnica pode ser aplicada em sectores de logística, controlo autónomo de robôs, extinção de incêndios ou ensino on-line.

A ideia do projecto é garantir que o sistema encontre por si mesmo uma sequência ordenada de ações para atingir certos objectivos com base na situação e recursos iniciais.

Robô usado na investigação (UC3M)
Robô usado na investigação (UC3M)
Por exemplo, perante um conjunto de mercadorias, estas técnicas permitem otimizar as melhores rotas e modos de transporte, por horários e produtos, através da planificação automática. Neste caso, a metodologia apresentada pelos cientistas seria criar planos em situações em que não é possível distribuir todos os pacotes, como acontece quando o tempo necessário para fazê-lo é maior do que o disponível porque não existem recursos suficientes. Desta forma, o sistema tenta encontrar um plano para entregar o maior número possível de mercadorias, minimizando o custo.

No dia-a-dia muitas vezes não existem planos para alcançar todos os objetivos por limitações de tempo, dinheiro, combustível, bateria... e é aqui que entra a metodologia proposta pelos cientistas da UC3M. Na verdade, a NASA já utilizou a planificação automática para controlar autonomamente os rovers Spirit e Opportunity que estiveram para Marte alguns anos.

Atualmente, a equipa está a aplicar as técnicas desenvolvidas num projeto com a Agência Espacial Europeia sobre planeamento de operações de observação no espaço.
José Sousa
2012-01-22
00:30
para melhor...Está bem está bem. Obrigado

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

MORREU MARIANO GAGO

Siemens desenvolve sistema de sensores
que facilita o estacionamento nas cidades

Artista português e cientista da Harvard Medical School
criam escultura inspirada na biologia celular

Quais as principais características
nutricionais e funcionais da bolota?

UBI acelera processo na luta contra o cancro

Coimbra estuda dieta das aves das Galápagos

Olfacto humano ajuda a desvendar crimes violentos

Aluno da FCUL cria barómetro de eficiência energética

UA desenvolve tecnologia para armazenar
e dar mobilidade à eletricidade

Industrialização e “conjuntos sociotecnológicos”
– o caso dos laticínios açorianos

No more bleeding for “iron overload” patients?

Coimbra dá importante contributo
para aplicação da terapia génica

Estudo inédito do sofrimento na deficiência visual
vale nota 20 a aluna quase cega

Prémio Terre de Femmes para bióloga da UA

Encontrado o gene responsável
pela reacção das plantas ao toque

Dores nas costas e hérnias discais

Investigação sobre Cancro, AVC e descontaminação da água
por medicamentos distingue jovens investigadoras

UTAD investiga valor nutricional do leite de golfinhos

Terapia amiga do ambiente descontamina
águas das pisciculturas

Portas abertas para novos tratamentos
para a artrite reumatóide

Gosta de merujes? Vão aparecer na sua mesa!

Estudantes de medicina apostam
na formação científica e humana

Investigadora da Universidade de Coimbra premiada
pela Sociedade Portuguesa de Doenças Metabólicas

UC estuda o impacto do novo metro igeiro de Macau

Hepatite C: nova realidade, novos horizontes

Saúde do cérebro e do coração começa na boca

Descoberto o responsável pelo surgimento
de problemas de memória

UA combate contrafacção com códigos DNA para marcas

Investigadores belgas e franceses medem
a temperatura do coração das estrelas

Estudante da UA imprime circuitos electrónicos em papel