Receba as notícias:

Planificação automática resolve problemas mais rapidamente

Cientistas espanhóis usam uma nova técnica de Inteligência Artificial

2012-01-17


Cientistas da Universidade Carlos III de Madrid (UC3M) desenvolveram uma nova técnica de criação automática de planos baseados em Inteligência Artificial, que permite resolver problemas muito mais rapidamente do que com as metodologias atuais quando os recursos são limitados. A nova técnica pode ser aplicada em sectores de logística, controlo autónomo de robôs, extinção de incêndios ou ensino on-line.

A ideia do projecto é garantir que o sistema encontre por si mesmo uma sequência ordenada de ações para atingir certos objectivos com base na situação e recursos iniciais.

Robô usado na investigação (UC3M)
Robô usado na investigação (UC3M)
Por exemplo, perante um conjunto de mercadorias, estas técnicas permitem otimizar as melhores rotas e modos de transporte, por horários e produtos, através da planificação automática. Neste caso, a metodologia apresentada pelos cientistas seria criar planos em situações em que não é possível distribuir todos os pacotes, como acontece quando o tempo necessário para fazê-lo é maior do que o disponível porque não existem recursos suficientes. Desta forma, o sistema tenta encontrar um plano para entregar o maior número possível de mercadorias, minimizando o custo.

No dia-a-dia muitas vezes não existem planos para alcançar todos os objetivos por limitações de tempo, dinheiro, combustível, bateria... e é aqui que entra a metodologia proposta pelos cientistas da UC3M. Na verdade, a NASA já utilizou a planificação automática para controlar autonomamente os rovers Spirit e Opportunity que estiveram para Marte alguns anos.

Atualmente, a equipa está a aplicar as técnicas desenvolvidas num projeto com a Agência Espacial Europeia sobre planeamento de operações de observação no espaço.
José Sousa
2012-01-22
00:30
para melhor...Está bem está bem. Obrigado

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Tristeza permanece mais tempo do que outras emoções

Refrigeração magnética dá prémio internacional
a jovem cientista português

Fantasias sexuais: você é normal?

Maria Machado, do CIIMAR, com o melhor poster
na Conferência Europeia de Aquacultura

Detectar metástases pela axila e usar estímulos elétricos para recuperação motora

Crianças com melhor coordenação motora
apresentaram melhores resultados em tarefas cognitivas

Vai um queijo da Serra da Estrela com flor de castanheiro?

Nasce o maior instituto de investigação
em astrofísica de Portugal

Universidade de Aveiro «exporta» pastéis de nata

Como «infectar» as células vizinhas normais
tornando-as cancerosas

Mais mulheres menos cancro da próstata?

UMinho desenvolve método
para a libertação direccionada de fármacos

Para acabar (de vez?) com a turbulência nos aviões

Investigadores descobrem como os micróbios
constroem um poderoso antibiótico

Investigadora do CEDOC vence prémio FAZ Innovate Competition

UMinho cria gestor de exames à la carte

How tilapias use urine to attract females

UC participa solução inovadora
de apoio a pacientes em reabilitação cardíaca

Novos métodos para manter a qualidade das batatas

Cunha-Vaz distinguido com Prémio Albert C. Muse

Bactéria da flora intestinal de mosquitos
pode bloquear transmissão de malária e dengue

Subvalorizar o Ébola é crime!

Pepinos do mar já podem ser produzidos em aquacultura

A Ciência na educação pré-escolar

A guerra dos espermatozóides

O Viagra protege o coração para além do quarto

Premiado dispositivo portátil
para recuperar lesões desportivas

Aí está o andarilho inteligente motorizado
com «marca» portuguesa

Ajuda de emergência para «overdoses»

Investigadores portugueses abrem novas possibilidades
no desenho de vacinas contra o cancro