Receba as notícias:

UMinho lança serviço para cartografar áreas florestais ardidas

FIREMAP entra em funcionamento esta semana

2012-06-05
As imagens são tiradas por equipamentos de voo não tripulados
As imagens são tiradas por equipamentos de voo não tripulados
A GeoJustiça e Pangeo, duas spin-offs da Universidade do Minho (UMinho), acabam de lançar um serviço, cujo objectivo é cartografar as áreas florestais ardidas através da utilização de um helicóptero e um avião não tripulados. O projecto chama-se FIREMAP e permite a aquisição de imagens de elevada resolução, georreferenciada e estruturada com uma base de dados geográfica nacional no sentido de caracterizar as zonas ardidas e, possivelmente, ajudar na prevenção de futuros incêndios.

“A delimitação de terrenos percorridos por incêndios assume hoje uma especial importância, pois constitui a base do planeamento de acções de recuperação de áreas ardidas, de prevenção estrutural e de organização anual do sistema de vigilância e combate. A floresta é um recurso ambiental e económico que temos que preservar. O conhecimento rigoroso destas zonas é uma necessidade”, explica Carla Freitas, fundadora da GeoJustiça, spin-off especializada na recolha, no tratamento e na interpretação de informação geográfica de apoio à resolução de conflitos judiciais e extrajudiciais.
Para além da cartografia elaborada com base nas imagens retiradas por equipamentos de voo não tripulados, será também entregue um relatório com informação detalhada sobre o número de incêndios florestais, a área ardida, o perímetro de área florestal afectada e a caracterização da vegetação existente naquele local.

Esta é uma solução que vem responder às necessidas de diversas entidades, tais como os Gabinetes Técnicos Florestais, a GNR, a Autoridade Nacional de Protecção Civil, a Autoridade Florestal Nacional e o Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, em mapear os terrenos percorridos por incêndios, através do levantamento e tratamento da informação geográfica.

“O que acontece é que estes organismos não dispõem de meios, nem de ‘know-how’ para o efeito”, reforça Paulo Pereira, doutorado em Ciências pela UMinho e responsável da Pangeo, cujo objectivo é disponibilizar serviços ligados à conservação da natureza, à educação ambiental e à informação geográfica.

O desenvolvimento do FIREMAP envolve ainda a colaboração das empresas GeoAtributo e PASSOS no AR, direccionadas para o planeamento e ordenamento do território e a produção de imagens aéreas, respectivamente. “São quatro projectos empresariais de áreas distintas mas complementares, garantido ao consórcio apoio técnico-científico e acesso ao mais moderno equipamento e a laboratórios de apoio”, conclui Carla Freitas.
José António
2012-06-11
14:04
Cartografar áreas ardidas nunca foi um problema. Muito menos dos GTF's...
Não há mais nada onde empatar recursos???
Com soluções destas, realmente, mais vale seguirem o conselho do PM - emigrem! Cá não fazem falta nenhuma...

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Associação Portuguesa de Estudos Franceses
recebe Prémio Hervé Deluen

Reclusos de Castelo Branco vão ver o sol
(não aos quadradinhos)

Fernando Pestana da Costa eleito presidente da SPM

Hortas urbanas têm solos com excesso de metais pesados

Coimbra cria programa pioneiro para a infertilidade

Jovem português «bronzeia-se» na Física

Aditivos alimentares sintéticos e naturais:
quem vai ganhar a «guerra»?

Qual é o número de moléculas dentro de células?

CESPU e Universidade de Barcelona
juntas no ensino da saúde

João Ramalho- Santos lidera CNC

GILEAD SCIENCES apoia projectos científicos
com 200 mil euros

Marta Catarino é vice-presidente da associação europeia
de transferência de conhecimento

Dr. ROAD – o “médico” das estradas - nasce em Coimbra

Um «osso» para a cabeça? Uma porta para o carro?
Uma peça para uma aeronave? É para já!

Livro ensina pais a alimentarem crianças

Investigadores do Porto distinguidos
com Prémio Grünenthal Dor

Portugueses conquistam duplo bronze
nas Olimpíadas Internacionais de Biologia

Rui Costa vence mais um prémio internacional

Quando a matemática «joga» rugby

UTAD valoriza da Dieta Mediterrânica

Vem aí o Aquila, o Fórmula 1
da Universidade de Aveiro

Computadores «aprendem» português em Coimbra

Portugal obtém novo recorde nas Olimpíadas Internacionais de Matemática

Ordem dos Nutricionistas alerta
para o risco de «alimentos tostados»

Mais de 80% dos materiais a usar na construção do
Boom Festival 2014 são reutilizados ou naturais

Tânia Morais identificou compostos eficientes
contra várias linhas celulares cancerígenas

Trás-os-Montes recomenda saladas-bebé!

Para a esquerda ou para a direita?
O balanço está no cérebro!

Obesidade infantil previne-se vom actividade física intensa

UAlg e mergulhadores internacionais vão topografar
a gruta marinha a “Catedral”