Receba as notcias:

Estudar nas horas de sono prejudica desempenho escolar

2012-09-06
Estudar em vez de dormir no ajuda em vspera de exames
Estudar em vez de dormir no ajuda em vspera de exames
Com a chegada de Setembro e o regresso às aulas vêm todas as preocupações para um bom rendimento escolar e, muitas vezes, sacrificam-se horas de sono para estudar um pouco mais antes de um teste.

Um recente estudo desenvolvido pela Universidade da Califórnia, Los Angeles (Estados Unidos) demonstrou que os alunos que dormem pouco em véspera de exames, por exemplo, prejudicam o seu desempenho académico. A investigação foi publicada no «Child Development».
A equipa, constituída por Cari Gillen-O’Neel, Virginia Huynh e Andrew J. Fuligni, defende que o sucesso escolar depende de estratégias que evitem sacrificar as horas de descanso necessárias para um bom desempenho, reforçando que é importante manter o mesmo horário dedicado ao estudo todos os dias.

Para o estudo, os investigadores pediram a 535 estudantes, dos 14 a 18 anos, que relatassem durante duas semanas quantas horas estudavam e dormiam diariamente e que descrevessem eventuais dificuldades na escola, como problemas de compreensão, notas baixas, etc.

Segundo os resultados, os participantes que sacrificaram o sono para estudar mais, mesmo que tivessem dedicado mais tempo ao estudo, apresentaram piores resultados nos testes. Os investigadores asseveram que se esta dinâmica negativa acaba por prevalecer durante algum tempo
ngela Augusto
2014-10-31
17:20
muito verdade no que dizem sobre passarmos mais tempo acordados, ao ponto de se esquecermos de estudar as horas certas...
Prejudica muito no ensino-aprendizagem de um estudante porque; dormem nas aulas, no compreendem a matria porque naquele momento esto com muito sono, e se o professor(a) estiver a fazer uma Avaliao o aluno no vai conseguir responder porque no momento est com muito sono e no consegue repor os esses conhecimentos para responder uma pergunta correctamente...

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

ltimas notcias

No more bleeding for iron overload patients?

Coimbra d importante contributo
para aplicao da terapia gnica

Estudo indito do sofrimento na deficincia visual
vale nota 20 a aluna quase cega

Prmio Terre de Femmes para biloga da UA

Encontrado o gene responsvel
pela reaco das plantas ao toque

Dores nas costas e hrnias discais

Investigao sobre Cancro, AVC e descontaminao da gua
por medicamentos distingue jovens investigadoras

UTAD investiga valor nutricional do leite de golfinhos

Terapia amiga do ambiente descontamina
guas das pisciculturas

Portas abertas para novos tratamentos
para a artrite reumatide

Gosta de merujes? Vo aparecer na sua mesa!

Estudantes de medicina apostam
na formao cientfica e humana

Investigadora da Universidade de Coimbra premiada
pela Sociedade Portuguesa de Doenas Metablicas

UC estuda o impacto do novo metro igeiro de Macau

Hepatite C: nova realidade, novos horizontes

Sade do crebro e do corao comea na boca

Descoberto o responsvel pelo surgimento
de problemas de memria

UA combate contrafaco com cdigos DNA para marcas

Investigadores belgas e franceses medem
a temperatura do corao das estrelas

Estudante da UA imprime circuitos electrnicos em papel

Je suis Charlie

Investigaes sobre cromossomas e doena de Huntington
premiadas hoje pela FLAD

Investigadora da UTAD distinguida na Galiza
com Prmio Vicente Risco

Compostos descobertos na casca do eucalipto
j tm mtodo de extraco

Em 2015 continuo a supor que poderamos ter pedido baunilha

Investigadores de Coimbra querem melhorar
prognstico do transplante de fgado

Curador do primeiro planetrio da Amrica
vai ser portugus

Humilhao dos 7-1 leva o Brasil
a olhar para a cincia

Carlos Ribeiro eleito para o primeiro grupo
dos FENS-Kavli Scholars

Rotundas virtuais vo projectar rotundas reais
seguras e amigas do ambiente