Receba as notícias:

Cometa ISON pode brilhar mais do que a Lua em 2013

Cientistas russos descobriram o corpo celeste que se dirige para o Sol

2012-09-28
O cometa ISON poderá ser visível em finais de 2013 e inícios de 2014
O cometa ISON poderá ser visível em finais de 2013 e inícios de 2014

Astrónomos russos descobriram um super-cometa que se aproximará no Sol em Novembro de 2013 e que será possível observar a olho nu até meados de Janeiro de 2014. Poderá mesmo brilhar mais do que uma Lua cheia. O cometa chama-se C/2012 S1 ISON, em homenagem à equipa que o descobriu (Rede Internacional de Ciência Óptica – ISON, nas siglas em inglês).

Vitali Nevski e Novichonok Artyom encontram o cometa dia 21 de Setembro através de imagens registadas com um telescópio reflector de 40 centímetros. Imediatamente, outros observadores também o registaram.

Segundo explica a «New Scientist», os astrónomos conseguiram rastrear a rota do cometa e encontrar imagens da mesma de Dezembro de 2011. Com esses dados, calcularam uma órbita que dirige o cometa quase directamente até ao Sol. A órbita do cometa também sugere que este é um recém-chegado da nuvem de Oort, que rodeia o Sistema Solar.

Neste momento, ISON é apenas um ponto de luz porque está muito longe da Terra, perto da órbita de Júpiter. No entanto, dias 28 ou 29 de Novembro de 2013, passará a menos de dois milhões de quilómetros do Sol, segundo o Observatório Remanzacco, em Itália.

Como não é mais do que uma bola gigantesca feita de rocha e gelo, corre o risco de começar a desintegrar-se. Se sobreviver, o pó gelado libertado tornará a sua cauda ainda mais brilhante.

Apesar de ainda ser muito cedo para se ter certezas, os cientistas dizem que o ISON poderá tornar-se num dos objectos mais brilhantes do céu nocturno, talvez o cometa mais brilhante da década. Pode mesmo chegar a superar o brilho da Lua cheia. Os astrónomos alertam, contudo, que os cometas podem ser imprevisíveis.

Antônio César Domingues Hedo
2012-10-04
18:03
Embora sejam ainda iniciais as notícias da descoberta desse novo cometa me parecem muito promissoras e penso que poderá se tratar do profetizado Grande Cometa da obra Na Luz da Verdade de Abdruschin.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Novas películas comestíveis antimicrobianas
aumentam o tempo de vida do queijo

Duarte Nuno Vieira preside a rede ibero-americana

Práticas de Intraempreendedorismo
nos Arquivos Municipais Portugueses

Jogo online previne violência no namoro entre adolescentes

Criança de cinco anos infectada por HIV
manteve-se saudável

A Expressão das Emoções
nova peça de teatro pela Marionet

Nanocatalisadores de carbono
ajudam a tratar águas residuais

Investigadores da UC mostram o valor da floresta
mediterrânica com filme de animação

Homens ou mulheres? Quem corre mais riscos
de violência verbal no local de trabalho?

Investigador do IA é um dos vencedores dos Prémios Breakthrough 2015

Qual é a melhor iluminação para a sua casa?

Cyberbullying: retrato de um fenómeno
em expansão silenciosa

Centro de Investigação da Montanha distinguido
em cooperação internacional

Investigação europeia em oftalmologia
coordenada em Portugal

Portugal lidera detecção inédita na atmosfera de Vénus

Modelos matemáticos desenvolvidos na UA
preveem gravidade de acidentes de viação

Mosca-da-azeitona pode ser combatida
de forma rápida, barata e eficaz

Já é possível «ouvir» o coração da mãe
e do bebé ao mesmo tempo

Áreas menos desenvolvidas penalizadas
na agenda política de saúde

Foi com uma grande alegria que vi o nome de Teresa Teixeira!

Teresa Teixeira nomeada hoje
EMBO Young Investigator

Investigador mexicano desenvolve software
que “prevê” ocorrências cardíacas

UTAD aposta no combate ao abandono escolar

ESAN quer ser referência em fabrico aditivo rápido

Um neurónio, uma função? Afinal o cérebro faz multitasking!

Consegue seguir o ritmo?

De como bem aprender uma sequência de dança

As crianças devem ir a pé para a escola

Investigadores da UC desenvolvem
guia inteligente de apoio a cegos

O nariz delas é melhor do que o deles