Receba as notícias:

Universidade de Coimbra realiza experiências científicas
em laboratórios virtuais

O Projecto chama-se Experiment@Portugal’2012

2013-02-01
Alberto Cardoso, coordenador do projecto Experiment@Portugal’2012.
Alberto Cardoso, coordenador do projecto Experiment@Portugal’2012.
A iniciativa que tem por objectivo o desenvolvimento de conteúdos documentais, multimédia e de realidade virtual, módulos de software para agentes de tutoria virtual e um protótipo de dispositivo sensorial (háptico) de baixo custo.

O projecto Experiment@Portugal’2012, em vigor até Novembro de 2013, é continuação de um outro, igualmente financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, que teve como objectivo a identificação dos recursos existentes a nível nacional de laboratórios e experiencias virtuais e remotas. Foi feita uma catalogação desses recursos depois disponibilizada na Internet, em http://pt.lab2go.net
“O Experiment@Portugal’2012 tem como obejctivo o desenvolvimento de recursos multimédia que possam recorrer a essas mesmas experiências e possam servir de um contributo para a experimentação online em vários contextos, como ensino secundário, superior, formação especializada, por exemplo, em ambiente industrial”, explica o responsável pela iniciativa, Alberto Cardoso, investigador da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

O responsável chama a atenção para uma das ambições do projecto que é o desenvolvimento de um protótipo de dispositivo sensorial (háptico) de baixo custo. “Existem vários dispositivos hápticos no mercado. O que acontece é que muitos dessses dispositivos oferecem mais coisas do que necessitamos. A nossa ideia é desenvolver um mais simples mas o suficiente para estabelecer algum tipo de experiências quer remotas quer virtuais”.

O dispositivo háptico permite interagir com o computador, mas obtendo retorno. Alberto Cardoso exemplifica: “Imagine que tem uma aplicação com o seguinte cenário, tem vários objectos que quer empurrar ao longo da superfície. Objectos de madeira, algodão e de chumbo. Com o rato pode selecionar e empurrar mas não sente nada. Com este dispositivo tem feedback, ou seja, consegue sentir que tem de fazer mais força para empurrar o mais pesado. A pessoa tem interacção mais efectiva com a aplicação mesmo sendo virtual”.

O Experiment@Portugal’2012 está vocacionado para promover a engenharia online. O projecto aposta, não só em novas ferramentas web para o ensino, mas também na divulgação das novas vias de educação e investigação científica em diversas áreas do conhecimento, e é dirigido a estudantes, docentes, investigadores e indústria.

O trabalho desenvolvido vai ser depois disponibilizado na plataforma web, acessível a qualquer pessoa do mundo. Será criada uma “espécie de enciclopédia científica, que terá desafios colocados aos diversos públicos-alvo”.

O objectivo é “agregar os recursos existentes nas diversas instituições de ensino e colocá-los ao dispor de todos, de uma forma atractiva e acessível, apostando em plataformas universais e em software livre. Por isso, desenvolvemos laboratórios virtuais que remetem para a recriação do ambiente real, isto é, replicamos o que poderia acontecer na realidade”, afirma Alberto Cardoso.

No âmbito desta iniciativa serão realizados dois encontros. O primeiro é um workshop já no dia 4 de Fevereiro, no anfiteatro do Departamento de Engenharia Química, no Polo II da UC, pelas 10h00, para debater temas como “a experimentação online e a Universidade digital do futuro” e “disseminação da experimentação online”.

O segundo encontro é uma conferência internacional agendada para os dias 18 a 20 de Setembro, igualmente na Universidade de Coimbra.

A Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto é parceira neste projecto.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Haverá afinal espaço para o livre arbítrio?

A técnica e o sítio que foi feito
para se pôr uma ponte entre ela e a ciência

A vida dupla da bactéria mais mortífera do planeta

As células estaminais fazem dieta até à morte

Um pedaço crucial de informação
no puzzle molecular oncológico

IMM avança no estudo de miopatia centronuclear

Cientistas do IST propõem teste experimental
para a equação mais exótica da física clássica

Português galardoado pela primeira vez
com prémio norte-americano em biologia reprodutiva

Investigador da UC preside a comissão mundial responsável
pela descrição e classificação de bactérias

Empreendedores Portugueses aceleram nos Estados Unidos
em programa de imersão «inRes»

Universidade de Coimbra no topo
da imagiologia molecular mundial

Leptospirose humana nos Açores:
da resposta imunológica à susceptibilidade genética

«Meu dito, meu escrito» ou de como a Ciência
já conheceu melhores dias em Portugal

O sucesso escolar começa à mesa!

Professora da UMinho vence prémio ibérico de contabilidade

João Falcão e Cunha é o novo director da FEUP

Mega experiência estuda o impacto das alterações climáticas
na biodiversidade da península ibérica

Os porquês do colapso da plataforma de gelo Larsen B

Investigadora de Coimbra reduz em 26,5%
a ocorrência de flebites

Equipa de Coimbra cria aerogel em spray
que permite isolar foguetões

Bioquímica portuguesa homenageada em Estocolmo

Esperar ou não esperar
- o papel da confiança na tomada de decisões

Implantes dentários «ganham» volume ósseo

Em Portugal um tratamento específico
depende da região onde se mora

Eousdryosaurus, o pequeno dinossauro
que viveu num tempo de gigante

Um em cada quatro já traiu

A Ciência da Gestão de Ciência e Tecnologia
– reflexões de uma despedida

A ansiedade de estar doente no hospital?
O ambiente do quarto pode ajudar!

Prémio António Champalimaud reconhece tratamento
revolucionário de doenças graves da visão

João Rocha é o primeiro português
da European Academy of Sciences