Receba as notícias:

Universidade de Coimbra realiza experiências científicas
em laboratórios virtuais

O Projecto chama-se Experiment@Portugal’2012

2013-02-01
Alberto Cardoso, coordenador do projecto Experiment@Portugal’2012.
Alberto Cardoso, coordenador do projecto Experiment@Portugal’2012.
A iniciativa que tem por objectivo o desenvolvimento de conteúdos documentais, multimédia e de realidade virtual, módulos de software para agentes de tutoria virtual e um protótipo de dispositivo sensorial (háptico) de baixo custo.

O projecto Experiment@Portugal’2012, em vigor até Novembro de 2013, é continuação de um outro, igualmente financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, que teve como objectivo a identificação dos recursos existentes a nível nacional de laboratórios e experiencias virtuais e remotas. Foi feita uma catalogação desses recursos depois disponibilizada na Internet, em http://pt.lab2go.net
“O Experiment@Portugal’2012 tem como obejctivo o desenvolvimento de recursos multimédia que possam recorrer a essas mesmas experiências e possam servir de um contributo para a experimentação online em vários contextos, como ensino secundário, superior, formação especializada, por exemplo, em ambiente industrial”, explica o responsável pela iniciativa, Alberto Cardoso, investigador da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

O responsável chama a atenção para uma das ambições do projecto que é o desenvolvimento de um protótipo de dispositivo sensorial (háptico) de baixo custo. “Existem vários dispositivos hápticos no mercado. O que acontece é que muitos dessses dispositivos oferecem mais coisas do que necessitamos. A nossa ideia é desenvolver um mais simples mas o suficiente para estabelecer algum tipo de experiências quer remotas quer virtuais”.

O dispositivo háptico permite interagir com o computador, mas obtendo retorno. Alberto Cardoso exemplifica: “Imagine que tem uma aplicação com o seguinte cenário, tem vários objectos que quer empurrar ao longo da superfície. Objectos de madeira, algodão e de chumbo. Com o rato pode selecionar e empurrar mas não sente nada. Com este dispositivo tem feedback, ou seja, consegue sentir que tem de fazer mais força para empurrar o mais pesado. A pessoa tem interacção mais efectiva com a aplicação mesmo sendo virtual”.

O Experiment@Portugal’2012 está vocacionado para promover a engenharia online. O projecto aposta, não só em novas ferramentas web para o ensino, mas também na divulgação das novas vias de educação e investigação científica em diversas áreas do conhecimento, e é dirigido a estudantes, docentes, investigadores e indústria.

O trabalho desenvolvido vai ser depois disponibilizado na plataforma web, acessível a qualquer pessoa do mundo. Será criada uma “espécie de enciclopédia científica, que terá desafios colocados aos diversos públicos-alvo”.

O objectivo é “agregar os recursos existentes nas diversas instituições de ensino e colocá-los ao dispor de todos, de uma forma atractiva e acessível, apostando em plataformas universais e em software livre. Por isso, desenvolvemos laboratórios virtuais que remetem para a recriação do ambiente real, isto é, replicamos o que poderia acontecer na realidade”, afirma Alberto Cardoso.

No âmbito desta iniciativa serão realizados dois encontros. O primeiro é um workshop já no dia 4 de Fevereiro, no anfiteatro do Departamento de Engenharia Química, no Polo II da UC, pelas 10h00, para debater temas como “a experimentação online e a Universidade digital do futuro” e “disseminação da experimentação online”.

O segundo encontro é uma conferência internacional agendada para os dias 18 a 20 de Setembro, igualmente na Universidade de Coimbra.

A Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto é parceira neste projecto.

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Esperar ou não esperar
- o papel da confiança na tomada de decisões

Implantes dentários «ganham» volume ósseo

Em Portugal um tratamento específico
depende da região onde se mora

Eousdryosaurus, o pequeno dinossauro
que viveu num tempo de gigante

Um em cada quatro já traiu

A Ciência da Gestão de Ciência e Tecnologia
– reflexões de uma despedida

A ansiedade de estar doente no hospital?
O ambiente do quarto pode ajudar!

Prémio António Champalimaud reconhece tratamento
revolucionário de doenças graves da visão

João Rocha é o primeiro português
da European Academy of Sciences

O Porto na Guerra Fria

Nariz electrónico pode detectar
subgrupos de asma nas crianças

Oceanos de Esperança chegou a Boston

Braga quer construir travessas de caminho-de-ferro
com resíduos de plásticos mistos

Comer com sucesso no Mercado do Bom Sucesso

Lars Montelius é o novo director do INL

José Xavier participa no Atlas
sobre vida marinha no Oceano Antárctico

Utilizar Software de Código Aberto
permitiria ao Estado poupar milhões de euros

Trás-os-Montes apresentou no MInho cremes inovadores
que ajudam no tratamento de queimaduras, feridas profundas e psoríase

Sistema reduz de meses para dias o tempo necessário
para os cientistas testarem hipóteses

Empresa tecnológica de Braga serve milhões de pessoas

Investigadores de Coimbra avançam na luta
contra a febre da carraça e tifo epidémico

Uma «estranha» forma de atracção

A tinta que «pinta» a energia da luz solar em energia eléctrica

Amamentar diminui o risco de depressão pós-parto

Portugueses do IMM abrem caminho
a nova terapêutica para leucemia pediátrica

Quando o chichi «dá» luz!

Menos nicotina não quer dizer mais cigarros

Não-me-esqueças, a planta rara redescoberta no Corvo

Da felicidade à dor: entender a função da serotonina

Treinar o cérebro para melhorar a capacidade mulitarefa