Receba as notícias:

A importância de perguntar

Opinião

2006-10-02
Por Por Renato Ribeiro Velloso *

Durante séculos, o ser humano é questionado sobre o que é o mais importante: saber responder ou saber perguntar. Quem é o verdadeiro sábio? Aquele que tem respostas para tudo? Ou, aquele que sabe questionar o que lhe foi imposto?

* RENATO RIBEIRO VELLOSO (renatov@ajato.com.br) – Pós-graduado em Direito Penal Económico Internacional, pelo Instituto de Direito Penal Económico e Europeu da Universidade de Coimbra, Portugal, e cursando MBA em Economia e Direito do Sistema Internacional, pela Universidade de São Paulo – USP.

O homem deve sempre agir com prudência, aquele que tem respostas para todas as questões, agindo com excesso, coloca sua reputação em perigo, pois quando não se tem o domínio sobre si próprio ninguém irá admirá-lo, mas sim censurá-lo. A paixão dos tolos é a pressa. Como não sabem o que é verdadeiro não param para pensar.

 O sábio, pelo contrário, possui reservas de paciência, não se afoba, pois só a perfeição tem o verdadeiro valor, dando mais valor ao saber perguntar, pois assim desenvolve pensamentos, vai em busca do inimaginável, do inatingível.

Os verdadeiros sábios buscam verdades e por mais difícil que seja encontrá-las nunca desistem ou pensam que não existam. Em nossas vidas também devemos procurar nossas respostas e é importante conhecermos o que foi dito em outras épocas para que possamos formar uma opinião própria.

A partir do momento em que tivermos a ideia de que fazemos parte de um grande mistério, temos consciência de estarmos participando de um enigma e procuramos explicações para isso.
A única coisa de que precisamos para nos tornar bons filósofos é a capacidade de nos admirarmos com as coisas. Os grandes sábios são comparados a uma criança, pois tanto um quanto o outro ainda não se acostumaram com o mundo e não pretendem se acomodar com as coisas.

Aqueles que possuem resposta para tudo são as pessoas que acham que não vale a pena chegar a um conhecimento superior pois sua visão sobre o certo e o errado é limitada, acham que o questionamento prejudica sua formação.

O diálogo é um dos exercícios que devemos praticar para a busca da sabedoria, pois assim nos são apresentadas opiniões sobre o que questionamos e assim somos forçados a elaborar as próprias ideias, indo de encontro com a alma e adquirindo, a partir de então, uma existência autêntica e verdadeiramente original.

O homem sábio deve saber perguntar, ter inteligência e discernimento. A imaginação é um dom notável, mas é muito mais notável aquele que sabe perguntar bem e entender o que é colocado. A inteligência deve ser aguçada, deve irradiar luz. Capacidade e grandeza se medem pela virtude e não pela sorte. O sábio estima todos, pois reconhece o que há de bom em cada um e sabe como custa chegar ao verdadeiro conhecimento.

Valter da Rosa Borges
2006-10-04
13:48
O princípio da inércia, aplicada à atividade intelectual, é um dos maiores obstáculos para a formação de uma individualidade realmente independente. Quem tem respostas para tudo, é uma ostra fechada a tudo o que é novo. Não sabe aventurar-se além do que aprendeu, porque o que aprendeu é o chão de sua segurança. Sabe aventurar-se além do que se sabe, formulando perguntas originais em qualquer área do conhecimento humano, é uma aptidão encontrável apenas em raríssimos seres humanos.
E.M.
2006-10-09
16:27
O que eu mais apreciei deste exercício de retórica foi o título. Interpretações existencialistas à moda de um certo escritor brasileiro não são louváveis, e a falta de respeito pela miséria humana também não. Nunca viu crianças a levarem chapadas por fazerem perguntas? Quantas pessoas ainda hoje em dia não têm tão pouco acesso a saneamento básico, quanto mais a educação... Será muito difícil aos feios, porcos e maus atingirem o estatuto de sábio de acordo com os parâmetros apresentados? É impressionante a leveza que foi incutida durante o texto ao que "deve" ser um sábio. Talvez daqui a muitos séculos os seus descendentes possam interrogar-se, "mas porque é que o Renato se preocupava tanto com estas coisas?".
J.Santos
2006-10-25
11:25
O texto é agradável e dá ênfase ao que considero ser fundamental na aprendizagem e no conhecimento do mundo em que vivemos. Tem razão o Sr. E.M. sobre aquilo a que se refere, mas pergunto: será este o contexto em que se insere o seu comentário?
Christian Moreira da Silva
2009-09-23
01:47
Nobre Dr. Renato Velloso. Sempre com belas, sobretudo, sábias palavras em todos os textos postados, o que torna pública, sua imagem e acima de tudo, sua inteligência, no entendimento de diversos temas.
Não obstante, gostei do texto acima, embora, este, tivera sido escrito em meados de 2002. E... aproveito aqui a oportunidade de parabenizá-lo também pelo artigo "O crime organizado", publicado mais recentemente, que enfatiza mais um pensamento penal/criminal. Muito enriquecedor.
Um abraço,
Chrystian Moreira

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Historiadores de linguística de todo o Mundo
reúnem-se na UTAD

A espantosa capacidade de regeneração do pâncreas

Ébola não é porventura tão temível como a gripe

Bloquear os canais de potássio pode salvar vidas

Técnicas de meditação associadas ao budismo tibetano
podem melhorar o desempenho do cérebro

O meu automóvel conduz, estaciona e recarrega-se sozinho

Congresso Mundial de Investigação marinha
no Oceanário de Lisboa

Iraniana é a primeira mulher
a ser distinguida com o «Nobel» da Matemática

Alunos da UMinho desenvolvem protótipos todo-o-terreno

Todos pela Antártida

A Roseta foi ao cometa

Concelhos despovoados e com poucos bombeiros
são os mais atingidos pelos fogos

As barreiras dos serviços de saúde
que afectam os imigrantes

As barreiras dos serviços de saúde que afectam os imigrantes

“La réalité n’existe pas”

Como os mamíferos e as moscas se alimentam:
semelhanças surpreendentes

Células "secundarias" do sistema nervoso são afinal cruciais
para a cognição e doenças mentais

As duas caras da misteriosa Azobenzeno

Investigadores do Minho premiados no Brasil

Avanços na compreensão da doença de Parkinson
abrem novas portas terapêuticas

Ciência Hoje não vai de férias! Apoie este jornal!

Oceans of Hope chega a Lisboa para mudar percepções
sobre esclerose múltipla em Portugal

Com um euro pode combater a dor crónica

Estudo da UMinho avalia efeito de corticosteroides
no desenvolvimento dos bebés prematuros

Rapazes mais depressivos do que elas

Assim em Marte como na Terra

O primeiro genoma foi descodificado
numa cooperação Luso-Brasileira – Desulfovibrio gigas

Alunos aplicam ciência para detectar
mão criminosa nos incêndios

Scientists discovered a new player in mental diseases

Insucesso Escolar e competências transversais:
uma forma alternativa de observar o problema…