Receba as notícias:

A importância de perguntar

Opinião

2006-10-02
Por Por Renato Ribeiro Velloso *

Durante séculos, o ser humano é questionado sobre o que é o mais importante: saber responder ou saber perguntar. Quem é o verdadeiro sábio? Aquele que tem respostas para tudo? Ou, aquele que sabe questionar o que lhe foi imposto?

* RENATO RIBEIRO VELLOSO (renatov@ajato.com.br) – Pós-graduado em Direito Penal Económico Internacional, pelo Instituto de Direito Penal Económico e Europeu da Universidade de Coimbra, Portugal, e cursando MBA em Economia e Direito do Sistema Internacional, pela Universidade de São Paulo – USP.

O homem deve sempre agir com prudência, aquele que tem respostas para todas as questões, agindo com excesso, coloca sua reputação em perigo, pois quando não se tem o domínio sobre si próprio ninguém irá admirá-lo, mas sim censurá-lo. A paixão dos tolos é a pressa. Como não sabem o que é verdadeiro não param para pensar.

 O sábio, pelo contrário, possui reservas de paciência, não se afoba, pois só a perfeição tem o verdadeiro valor, dando mais valor ao saber perguntar, pois assim desenvolve pensamentos, vai em busca do inimaginável, do inatingível.

Os verdadeiros sábios buscam verdades e por mais difícil que seja encontrá-las nunca desistem ou pensam que não existam. Em nossas vidas também devemos procurar nossas respostas e é importante conhecermos o que foi dito em outras épocas para que possamos formar uma opinião própria.

A partir do momento em que tivermos a ideia de que fazemos parte de um grande mistério, temos consciência de estarmos participando de um enigma e procuramos explicações para isso.
A única coisa de que precisamos para nos tornar bons filósofos é a capacidade de nos admirarmos com as coisas. Os grandes sábios são comparados a uma criança, pois tanto um quanto o outro ainda não se acostumaram com o mundo e não pretendem se acomodar com as coisas.

Aqueles que possuem resposta para tudo são as pessoas que acham que não vale a pena chegar a um conhecimento superior pois sua visão sobre o certo e o errado é limitada, acham que o questionamento prejudica sua formação.

O diálogo é um dos exercícios que devemos praticar para a busca da sabedoria, pois assim nos são apresentadas opiniões sobre o que questionamos e assim somos forçados a elaborar as próprias ideias, indo de encontro com a alma e adquirindo, a partir de então, uma existência autêntica e verdadeiramente original.

O homem sábio deve saber perguntar, ter inteligência e discernimento. A imaginação é um dom notável, mas é muito mais notável aquele que sabe perguntar bem e entender o que é colocado. A inteligência deve ser aguçada, deve irradiar luz. Capacidade e grandeza se medem pela virtude e não pela sorte. O sábio estima todos, pois reconhece o que há de bom em cada um e sabe como custa chegar ao verdadeiro conhecimento.

Valter da Rosa Borges
2006-10-04
13:48
O princípio da inércia, aplicada à atividade intelectual, é um dos maiores obstáculos para a formação de uma individualidade realmente independente. Quem tem respostas para tudo, é uma ostra fechada a tudo o que é novo. Não sabe aventurar-se além do que aprendeu, porque o que aprendeu é o chão de sua segurança. Sabe aventurar-se além do que se sabe, formulando perguntas originais em qualquer área do conhecimento humano, é uma aptidão encontrável apenas em raríssimos seres humanos.
E.M.
2006-10-09
16:27
O que eu mais apreciei deste exercício de retórica foi o título. Interpretações existencialistas à moda de um certo escritor brasileiro não são louváveis, e a falta de respeito pela miséria humana também não. Nunca viu crianças a levarem chapadas por fazerem perguntas? Quantas pessoas ainda hoje em dia não têm tão pouco acesso a saneamento básico, quanto mais a educação... Será muito difícil aos feios, porcos e maus atingirem o estatuto de sábio de acordo com os parâmetros apresentados? É impressionante a leveza que foi incutida durante o texto ao que "deve" ser um sábio. Talvez daqui a muitos séculos os seus descendentes possam interrogar-se, "mas porque é que o Renato se preocupava tanto com estas coisas?".
J.Santos
2006-10-25
11:25
O texto é agradável e dá ênfase ao que considero ser fundamental na aprendizagem e no conhecimento do mundo em que vivemos. Tem razão o Sr. E.M. sobre aquilo a que se refere, mas pergunto: será este o contexto em que se insere o seu comentário?
Christian Moreira da Silva
2009-09-23
01:47
Nobre Dr. Renato Velloso. Sempre com belas, sobretudo, sábias palavras em todos os textos postados, o que torna pública, sua imagem e acima de tudo, sua inteligência, no entendimento de diversos temas.
Não obstante, gostei do texto acima, embora, este, tivera sido escrito em meados de 2002. E... aproveito aqui a oportunidade de parabenizá-lo também pelo artigo "O crime organizado", publicado mais recentemente, que enfatiza mais um pensamento penal/criminal. Muito enriquecedor.
Um abraço,
Chrystian Moreira

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

O flagelo das alergias

«Vender» empregos é o que vai dar!

O grande desafio:
reparar autoestradas axonais para tratar lesões

Estudo avalia impacto da crise económica nos médicos

A burocracia e as TIC
(esta dádiva de algum deus suspeito!)

When bad news are good news for neurodegenerative diseases

Nova lei da investigação clínica
publicada hoje em Diário da República

Dor condiciona actividades diárias dos doentes mais idosos

Fraunhofer Portugal Challenge premeia a ciência nacional

Investigadores da UC localizam a distribuição celular
da proteína envolvida na Alzheimer

Cocktails de pesticidas prejudicam a saúde dos solos

Polémica das Ciências do Mar:
resposta ao coordenador do painel de avaliação

Cancro de Mama “Triplo-negativo” e Metástases do Cérebro
«vencem» bolsas de investigação da Associação Laço

Galaxy Zoo abre as portas do Universo

“Será realista o mundo de Avatar ?”

São João da Madeira vence “Dá Power ao Electrão”

“Jogar” na Sala de aula: estudo da UC defende
a utilização de dispositivos móveis no ensino

Fobias: quem tem medo compra um cão!

Bolsas para Ciências do Mar: críticas vindas a público
são totalmente desprovidas de fundamento

Estudo sociológico sobre jovens portugueses/as
vence prémio mundial

Alunos do secundário desvendam a física das partículas na UMinho

Sabe escolher azeite de qualidade?
Se vai só pela acidez está errado!

Projecto internacional da UA mostra vantagens
da iluminação pública inteligente com LED

Candidatos denunciam irregularidades
na atribuição de bolsas da FCT

Cientista português ligado
a nova investigação sobre Alzheimer

Cancro e diabetes: políticas a longo prazo
reduzem incidência de casos

Quinta do Seixo é caso de estudo
para especialistas europeus em biodiversidade

Trinta concorrentes disputam meia-final do FameLab

Veneno de caracol marinho letal pode facultar
novos tratamentos para a dor crónica em humanos

Cientistas portugueses no maior projecto da UE
contra a degradação dos solos europeus