Receba as notícias:

A importância de perguntar

Opinião

2006-10-02
Por Por Renato Ribeiro Velloso *

Durante séculos, o ser humano é questionado sobre o que é o mais importante: saber responder ou saber perguntar. Quem é o verdadeiro sábio? Aquele que tem respostas para tudo? Ou, aquele que sabe questionar o que lhe foi imposto?

* RENATO RIBEIRO VELLOSO (renatov@ajato.com.br) – Pós-graduado em Direito Penal Económico Internacional, pelo Instituto de Direito Penal Económico e Europeu da Universidade de Coimbra, Portugal, e cursando MBA em Economia e Direito do Sistema Internacional, pela Universidade de São Paulo – USP.

O homem deve sempre agir com prudência, aquele que tem respostas para todas as questões, agindo com excesso, coloca sua reputação em perigo, pois quando não se tem o domínio sobre si próprio ninguém irá admirá-lo, mas sim censurá-lo. A paixão dos tolos é a pressa. Como não sabem o que é verdadeiro não param para pensar.

 O sábio, pelo contrário, possui reservas de paciência, não se afoba, pois só a perfeição tem o verdadeiro valor, dando mais valor ao saber perguntar, pois assim desenvolve pensamentos, vai em busca do inimaginável, do inatingível.

Os verdadeiros sábios buscam verdades e por mais difícil que seja encontrá-las nunca desistem ou pensam que não existam. Em nossas vidas também devemos procurar nossas respostas e é importante conhecermos o que foi dito em outras épocas para que possamos formar uma opinião própria.

A partir do momento em que tivermos a ideia de que fazemos parte de um grande mistério, temos consciência de estarmos participando de um enigma e procuramos explicações para isso.
A única coisa de que precisamos para nos tornar bons filósofos é a capacidade de nos admirarmos com as coisas. Os grandes sábios são comparados a uma criança, pois tanto um quanto o outro ainda não se acostumaram com o mundo e não pretendem se acomodar com as coisas.

Aqueles que possuem resposta para tudo são as pessoas que acham que não vale a pena chegar a um conhecimento superior pois sua visão sobre o certo e o errado é limitada, acham que o questionamento prejudica sua formação.

O diálogo é um dos exercícios que devemos praticar para a busca da sabedoria, pois assim nos são apresentadas opiniões sobre o que questionamos e assim somos forçados a elaborar as próprias ideias, indo de encontro com a alma e adquirindo, a partir de então, uma existência autêntica e verdadeiramente original.

O homem sábio deve saber perguntar, ter inteligência e discernimento. A imaginação é um dom notável, mas é muito mais notável aquele que sabe perguntar bem e entender o que é colocado. A inteligência deve ser aguçada, deve irradiar luz. Capacidade e grandeza se medem pela virtude e não pela sorte. O sábio estima todos, pois reconhece o que há de bom em cada um e sabe como custa chegar ao verdadeiro conhecimento.

Valter da Rosa Borges
2006-10-04
13:48
O princípio da inércia, aplicada à atividade intelectual, é um dos maiores obstáculos para a formação de uma individualidade realmente independente. Quem tem respostas para tudo, é uma ostra fechada a tudo o que é novo. Não sabe aventurar-se além do que aprendeu, porque o que aprendeu é o chão de sua segurança. Sabe aventurar-se além do que se sabe, formulando perguntas originais em qualquer área do conhecimento humano, é uma aptidão encontrável apenas em raríssimos seres humanos.
E.M.
2006-10-09
16:27
O que eu mais apreciei deste exercício de retórica foi o título. Interpretações existencialistas à moda de um certo escritor brasileiro não são louváveis, e a falta de respeito pela miséria humana também não. Nunca viu crianças a levarem chapadas por fazerem perguntas? Quantas pessoas ainda hoje em dia não têm tão pouco acesso a saneamento básico, quanto mais a educação... Será muito difícil aos feios, porcos e maus atingirem o estatuto de sábio de acordo com os parâmetros apresentados? É impressionante a leveza que foi incutida durante o texto ao que "deve" ser um sábio. Talvez daqui a muitos séculos os seus descendentes possam interrogar-se, "mas porque é que o Renato se preocupava tanto com estas coisas?".
J.Santos
2006-10-25
11:25
O texto é agradável e dá ênfase ao que considero ser fundamental na aprendizagem e no conhecimento do mundo em que vivemos. Tem razão o Sr. E.M. sobre aquilo a que se refere, mas pergunto: será este o contexto em que se insere o seu comentário?
Christian Moreira da Silva
2009-09-23
01:47
Nobre Dr. Renato Velloso. Sempre com belas, sobretudo, sábias palavras em todos os textos postados, o que torna pública, sua imagem e acima de tudo, sua inteligência, no entendimento de diversos temas.
Não obstante, gostei do texto acima, embora, este, tivera sido escrito em meados de 2002. E... aproveito aqui a oportunidade de parabenizá-lo também pelo artigo "O crime organizado", publicado mais recentemente, que enfatiza mais um pensamento penal/criminal. Muito enriquecedor.
Um abraço,
Chrystian Moreira

Adicionar comentário:

Comentário
Nome:
Email:
Insira as letras na caixa
Ciência Hoje não publica comentários anónimos. Ciência Hoje só publica comentários identificados com nome e email para eventual posterior contacto. Ciência Hoje recusa publicar comentários insultuosos ou ataques pessoais.

Últimas notícias

Detectar metástases pela axila e usar estímulos elétricos para recuperação motora

Crianças com melhor coordenação motora
apresentaram melhores resultados em tarefas cognitivas

Vai um queijo da Serra da Estrela com flor de castanheiro?

Nasce o maior instituto de investigação
em astrofísica de Portugal

Universidade de Aveiro «exporta» pastéis de nata

Como «infectar» as células vizinhas normais
tornando-as cancerosas

Mais mulheres menos cancro da próstata?

UMinho desenvolve método
para a libertação direccionada de fármacos

Para acabar (de vez?) com a turbulência nos aviões

Investigadores descobrem como os micróbios
constroem um poderoso antibiótico

Investigadora do CEDOC vence prémio FAZ Innovate Competition

UMinho cria gestor de exames à la carte

How tilapias use urine to attract females

UC participa solução inovadora
de apoio a pacientes em reabilitação cardíaca

Novos métodos para manter a qualidade das batatas

Cunha-Vaz distinguido com Prémio Albert C. Muse

Bactéria da flora intestinal de mosquitos
pode bloquear transmissão de malária e dengue

Subvalorizar o Ébola é crime!

Pepinos do mar já podem ser produzidos em aquacultura

A Ciência na educação pré-escolar

A guerra dos espermatozóides

O Viagra protege o coração para além do quarto

Premiado dispositivo portátil
para recuperar lesões desportivas

Aí está o andarilho inteligente motorizado
com «marca» portuguesa

Ajuda de emergência para «overdoses»

Investigadores portugueses abrem novas possibilidades
no desenho de vacinas contra o cancro

Porquê eu? Muitas mulheres que vivem na pobreza
culpam os filhos e a vida amorosa

O papel dos "oásis" oceânicos nas interacções
entre organismos marinhos

Planta substituta de sal desenvolvida
em cultura in vitro por aluna da UTAD

Trabalho de investigadores da UA
cruza-se com o do Nobel da Física 2014